Algo que dificilmente veremos no Brasil

Em 1988, a TV pública da Espanha (TVE) promoveu uma campanha chamada Aprenda a ver televisão, para mostrar que ficar o dia inteiro grudado na telinha não é lá muito bom… Não acredita? Então é só assistir ao vídeo abaixo.

Alguém acredita que um dia veremos algo assim na Globo? Nem é preciso responder… Pois o objetivo da Globo (assim como da Record, Bandeirantes, SBT etc.) é o lucro – afinal, trata-se de uma empresa privada. Uma campanha dessas só é possível numa TV pública. Caso da TVE na Espanha, assim como da BBC no Reino Unido – emissoras que são, inclusive, referência internacional.

Já no Brasil, infelizmente, as principais emissoras continuam a ser as privadas. Fica difícil que se possa ver na televisão uma campanha recomendando que ela seja desligada.

————

Como este blog não tem como objetivo o lucro (mesmo porque nunca ganhei sequer um centavo com isso), recomendo que não se fique o tempo todo na frente do computador – eu, agora vou para a frente da televisão (!!!), assistir à final da Copa do Brasil.

Anúncios

EXTRA! Bin Laden já atacou o RS!

Tá de rolar de rir a entrevista da Yeda na TVE!

Participam um reporter que não sei o nome (acho que é da TVE), o Políbio Braga e o Rogério Mendelski. Sem limites para a bajulação…

Respondendo à pergunta do Políbio quanto às constantes denúncias contra o (des)governo, a Yeda queixou-se do “Estado policial” e disse que houve “um ataque às duas torres”, em referência à Operação Rodin.

A entrevista está simplesmente demais! Quem puder, assista!

Atualização

Acabou agora mesmo a entrevista. O meu pai que avisou, pena que só tenhamos assistido às duas últimas partes. E pena também que não tive como gravar.

Ao final de 2009, penso em “premiar” o autor das maiores pérolas do ano. A carta da BM Par sobre o Pontal e as “correntes satânicas”, e essa entrevista da Yeda, são sérias candidatas a ele!

Atualização 2

A Nova Corja (é claro!) já avisara sobre a entrevista, que é qualificada pela Marcia Benetti como “pronunciamento oficial” e “propaganda”, não entrevista.

Como ela lembrou, a Yeda chegou a reclamar até da mídia! Podem acreditar, isso aconteceu mesmo!