Por que a Comissão da Verdade é necessária

A “turma do pijama” não desistiu. Após a reprimenda de sua comandante-em-chefe, a presidenta Dilma Rousseff, militares da reserva voltaram a publicar um manifesto, desta vez não em nome dos clubes, mantendo as críticas ao governo. Até aí tudo bem, não fosse por um detalhe: cometeram um grave ato de insubordinação ao afirmarem não reconhecerem a autoridade do ministro da Defesa, Celso Amorim.

Isto é apenas mais um motivo que demonstra o quão necessária é a Comissão da Verdade no Brasil: para acabar com esta sensação de impunidade que se tem desde 1979, quando da promulgação da Lei da Anistia. Pois se oficialmente os militares deixaram o poder em 1985, o fizeram depois de terem “se protegido” com uma lei que impede punições por violações aos direitos humanos cometidas durante a ditadura militar. Tanto que é com base nesta mesma lei que hoje os reservistas berram contra qualquer intenção de se apurar responsabilidades para os crimes da ditadura.

Mesmo que a Comissão não tenha poderes para punir ninguém (afinal, para isso existe o Poder Judiciário), é fundamental que ao menos se possa “dar nome aos bois”, ou seja, afirmar publicamente que A ou B foram torturadores, violadores dos direitos humanos. E é contra isso que a “turma do pijama” se levanta: mesmo que não possam ser punidos judicialmente, a possibilidade de uma punição moral já os incomoda.

E para os tucanos que compraram o discurso da “turma do pijama” e ficam excitados com a insubordinação dos militares da reserva contra Dilma, uma dica: assistam ao vídeo abaixo, um curta-metragem sobre Rubens Paiva, desaparecido desde 1971. Tá lá o depoimento do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso: vão chamá-lo de “revanchista”? (Gostei muito também do que disse Plínio de Arruda Sampaio, que questiona o “espírito de corpo” dos militares, visto que não são as Forças Armadas o “alvo” da Comissão da Verdade, e sim, alguns militares que cometeram crimes contra o país que eles juraram defender.)

Anúncios

“Os pássaros”, por Kayser

Nesta versão, são tucanos.

Visite o Blog do Kayser.

Depois, dizem que a esquerda é intolerante

O Guga Türck, mais um colega e um estudante, passaram pelo ato a favor do (des)governo Yeda, em frente ao Piratini. Como são jornalistas – formados e em formação – decidiram fazer o que se espera de um profissional da área: registrar o que acontecia. Ligaram a câmera para filmar, e começaram a ser intimidados pelos tucanos.

O motivo? Uma barba… “Coisa de petista”, pensou algum direitosco, esquecendo que o Britto usou barba por muito tempo, e que o Enéas jamais teve simpatia alguma pelo PT – ao contrário, seu PRONA era a própria extrema direita.

O Guga levou pedrada (sem resultar em lesões corporais, felizmente) e empurrão dos “democráticos” tucanos, e registrou um BO na delegacia. Leia mais aqui.

————

A próxima vez que eu ver alguém chamar a esquerda – qualquer partido que seja – de “intolerante”, vai ser difícil não mandar o cara tomar “naquele lugar”…

Os direitosos (nem tão) engraçados

Como já escrevi no dia 6, o governo Lula está longe de ser dos meus sonhos. Mas, como escreveu o Luiz Fernando Verissimo, não entro no coro dos descontentes por causa das péssimas companhias que teria se entrasse.

Por incrível que pareça, tem direitoso apavorado. Crêem que o Brasil está a um passo de se tornar um país comunista! E, para darmos mais gargalhadas, já vi gente que acha que a culpa não é só do Lula: para eles, o “regime socialista” começou com o governo Fernando Henrique!

Certa vez li um artigo que acusava, pasmem, a RBS (sim, a RBS!) de ser petista! Na certa o autor acredita também que Roberto Marinho era comunista desde criancinha – e que ele, como “bom comunista”, comia criancinhas, é óbvio. Certamente ele as saboreava logo depois do programa da Xuxa.

Esses dias, recebi por e-mail o link de uma destas páginas direitosas, com artigos que acusam o governo Lula de ser comunista (é claro!). Nem vou repassar, porque não quero dar mais audiência a esses caras. Afinal, eu acho engraçado eles dizerem que estamos a um passo do comunismo, mas é perceptível a saudade que eles sentem da ditadura militar. E se eles voltarem ao poder, não vai ter graça nenhuma.

———-

Na página a qual me referi, tem um jogo cujo objetivo é matar o maior número possível de patos que têm a cara do Lula. Caso alguém descubra um jogo no qual devemos caçar tucanos, me repasse.