Há 20 anos, o “progresso” matava o defensor da floresta

No dia 22 de dezembro de 1988, foi assassinado Francisco Alves Mendes Filho – que o mundo todo conhecia como Chico Mendes.

Chico lutava pela Amazônia, que era também o meio de subsistência dos seringueiros como ele. A expansão do agronegócio levava à derrubada das árvores, privando os seringueiros de seu sustento.

Logo, uma luta que parecia apenas em defesa de uma classe de trabalhadores, tornou-se pela natureza e, conseqüentemente, pela humanidade. Chico Mendes chamou a atenção do mundo para a ação predatória e violenta dos fazendeiros do Acre contra a floresta e os trabalhadores.

Por defender o “atraso” que é a preservação da Amazônia, Chico foi vítima do “progresso”. Mas o mundo não o esqueceu. Jamais o esquecerá.

Chico Mendes sempre estará ao lado de cada um que lute pelo meio ambiente!