Tudo é mais fácil

O dia que estiveres triste, achando que tudo está uma merda, impossível de mudar…

Que se sentires incapaz de fazer qualquer coisa…

Pense no googolplex.

Não, camarada, não estou falando de um novo lançamento do Google. É muito maior que isso – e faz o próprio Google ser praticamente nada.

Trata-se de um número. Mas não é um número qualquer: trata-se simplesmente de algo impossível de escrever, e ainda mais de conceber.

Mas quem pensa no Google não está totalmente errado. O nome da empresa se deve ao tamanho do número googol, que significa 10 elevado ao expoente 100. O resultado disso é o 1 seguido de cem zeros.

Até é possível imaginar esse trambolho escrito, embora não haja nenhum motivo prático para perder tantos minutos escrevendo esse troço. Mas a quantidade que isso significa, não se sinta mal por não conseguir imaginar: nem Albert Einstein conseguiria. Não existe sequer tal número de partículas no Universo.

Mas se o googol parece algo absurdamente grande, ele não é nada perto do googolplex, que é o resultado de… 10 elevado ao expoente googol! Aí, trata-se de um número impossível de escrever na prática: 1 seguido de googol zeros! E impossível de imaginar também, já que não conseguimos conceber tamanha quantidade de algarismos.

Escrever e imaginar essa coisa é tão impossível, mas tão impossível, que até eu cantar a Scarlett Johansson e ter êxito é mais fácil. Convenhamos, não é motivador?

Como ganhar dinheiro fácil

Certa vez, comentei com o meu pai: “uma das melhores maneiras de se ganhar dinheiro fácil é escrever um livro dizendo como ganhar dinheiro fácil”.

Pense: quem escreve livro de auto-ajuda presta um grande favor… A si mesmo. Afinal, o livro com “a receita do sucesso” certamente será dos mais vendidos, e assim o autor ganhará muito dinheiro. $uce$$o!

Um exemplo recente é “O Segredo”, da australiana Rhonda Byrne. Diz o livro que basta pensarmos numa coisa com vontade, que a teremos. Hum, vou pensar com vontade na Scarlett Johansson… Ou no Grêmio campeão mundial em 2009.

Leia aqui uma crítica muito bem-humorada a “O Segredo” e a todos os livros que dizem ter “a receita do sucesso”.

Resoluções de ano novo

Nos últimos dias de dezembro, dificilmente as pessoas não fazem planos para o novo ano que se iniciará. Há os que, tais como Luiz Fernando Verissimo e eu, decidiram fazer a seguinte “resolução de ano novo”: não fazer mais resoluções de ano novo. Afinal, são aquelas decisões que geralmente tomamos quando estamos podres de bêbados, já que nesta época o que mais fazemos, depois de comer, é beber.

Mas como é difícil escapar disso, nada melhor do que fazer promessas absurdas, traçar metas impossíveis… Afinal, se no dia 2 de janeiro eu já as estiver descumprindo, tenho a desculpa de que estava bêbado.

Assim, eis algumas coisas que pretendo fazer em 2008:

  • Conquistar a Scarlett Johansson;
  • Não deixar atrasar nenhuma leitura na faculdade;
  • Parar de beber;
  • Me livrar do vício em café;
  • Torcer para o Inter ser camp (ops, aí a piada já é de mau gosto!).