Acabou

Agora, o mundo tem um digno campeão, depois de 364 dias de sofrimento…

Brincadeiras com os colorados à parte, ficou comprovado que o Boca Juniors da Libertadores só era forte porque tinha Riquelme. Sem seu craque, perdeu de 4 a 2 para o Milan, mas podia ter tomado mais. O Boca tem um time comum, sem nada de mais, diferentemente dos dois últimos sul-americanos campeões mundiais (São Paulo e Internacional), que tinham boas equipes.

Se na final da Libertadores o Boca não tivesse Riquelme, quem sabe a história seria diferente…

E se acontecesse a verdadeira façanha que seria o Grêmio derrotar o poderoso Milan, teríamos hoje em Porto Alegre uma comemoração em um clima muito mais agradável do que os apocalípticos 38°C de dezembro do ano passado. Aquele calor desgraçado foi pior do que agüentar os colorados!