Tentando entender…

O que leva alguém a postar fotos do ENEM no Instagram, mesmo sabendo que isso resultará na eliminação do exame?

Certeza de impunidade não pode ser, pois quem sabe as regras e leva o exame a sério, certamente não seria capaz de tamanho desatino – não estaria disposto a ver se realmente as regras são cumpridas, correndo o risco de jogar fora um ano de estudo.

Seria apenas para “zoar”? Pois bem, existem muitas coisas bem melhores do que ir fazer uma prova numa tarde de sábado…

Restaria a opção “burrice”. Não é a mesma coisa que “ignorância”, que significa não ter conhecimento de determinado assunto. No caso do ENEM, ano passado já houve eliminações pelo mesmo motivo (postagem de fotos da prova nas redes sociais), e foi reforçado o alerta de que em 2013 a regra continuava valendo (óbvio!). E mesmo assim, teve gente postando fotos novamente… Desculpem a sinceridade, mas é muita burrice mesmo.

Mas eles não precisam se preocupar, ano que vem tem ENEM de novo.

Sinal dos tempos 2

Hoje, fiz prova da cadeira de História Contemporânea III. Tranqüila, talvez a mais fácil até hoje na faculdade – exceto as de Francês Instrumental, que eram com consulta.

Mas não foi uma simples prova. Hoje, 22 de outubro de 2008, fiz minha última prova em uma cadeira obrigatória no curso de História da UFRGS.

E considerando que:

  • Não terei mais prova nenhuma nesse semestre, já que as outras cadeiras têm apenas trabalhos; e
  • Já completei o número exigido de créditos eletivos, assim é possível que no ano que vem eu só faça as cadeiras finais do curso – projeto e monografia.

É possível então que essa tenha sido minha última prova na faculdade!

E considerando que entrei no curso no primeiro semestre de 2004, ou seja, há mais de quatro anos, acho que é possível resumir toda a situação na seguinte frase:

P*** que pariu, o tempo voa!