Mais um jacarandá caiu na Rua Pelotas

Em novembro de 2008, fui com meu pai à Rua Pelotas, para fotografar seus jacarandás floridos. Falamos com alguns moradores da rua, que comentaram sobre o preocupante estado das árvores: muitas estavam com os troncos ocos, o que representava sério risco de queda nos vendavais que costumam atingir Porto Alegre. Eles queriam não que os jacarandás fossem removidos, e sim, que recebessem tratamento, para que pudessem continuar embelezando a rua por muito tempo.

No ano de 2009, dois jacarandás da Pelotas foram cortados pela SMAM, e em seus lugares foram plantadas novas árvores, que levarão muitos anos até se tornarem imponentes como as que ali estavam antes. E em abril de 2010, num dia em que não ventava, uma outra árvore caiu sobre carros na rua.

Assim, infelizmente não chega a me surpreender que a ventania da manhã de hoje tenha derrubado mais um jacarandá na Rua Pelotas, próximo à Cristóvão Colombo, atingindo uma banca de revistas. E dessa vez, os prejuízos não foram apenas materiais: duas pessoas ficaram feridas.

E enquanto os Bombeiros trabalhavam para remover a árvore caída, um pedaço de outra também caiu, conforme relatou à Rádio Guaíba o tenente Cláudio Bayerle, oficial de serviço do 9º BPM – que também chamou à atenção para as várias árvores podres na rua, que ameaçam cair. O que não é nenhuma novidade, mas quem sabe com o alerta vindo da Brigada Militar alguma atitude seja tomada pelas autoridades competentes para evitar que os jacarandás continuem a cair, a pôr em risco a vida das pessoas e a deixar a Rua Pelotas cada vez menos verde.

Anúncios

Rua Pelotas cada vez menos verde

Foi na segunda-feira, por volta do meio-dia. Naquele momento, a Rua Pelotas passou a ter um jacarandá a menos.

A árvore não foi derrubada pelo vento, pois apenas chovia, não era temporal. Simplesmente caiu, o que não é nada surpreendente, dado o estado delas.

Jacarandá com o tronco oco, que acabou sendo cortado em julho de 2009. Foto obtida em 1º de novembro de 2008.

Como ficou o local após o corte da árvore. Foto obtida em 31 de outubro de 2009.

Do jeito que a coisa vai, as gerações futuras que quiserem conhecer o túnel verde que embeleza (até quando?) a Rua Pelotas terão de recorrer a álbuns de fotos antigas (quando 2008 e 2009 forem anos “distantes”) ou a relatos de quem o conheceu (meu caso). Pois muitos jacarandás estão doentes, e se não receberem um tratamento adequado, continuarão a cair.

Triste situação da rua onde eu cresci: suas árvores, que foram um dos principais motivos pelo qual meu pai escolheu a Pelotas para morarmos pouco antes de eu nascer, agora são motivo de preocupação para quem vive lá.