“Novela” Ronaldinho: palhaçada

Há quase 20 dias, declarei ser favorável à contratação de Ronaldinho pelo Grêmio, sob certas condições. Dez anos depois de sua conturbada saída, o craque teria a oportunidade de reconquistar o coração da torcida gremista, ainda mais vindo por um salário que não seja elevado.

Porém, não é o que parece que acontecerá – seja qual for o seu destino. Como falei, são quase 20 dias de “novela”. Parecia que ele viria mesmo para o Grêmio. Aí se começou a falar que poderia ir para o Flamengo; e o Palmeiras também corria por fora. E no fim Ronaldinho, Assis (o “empresário-irmão” do craque) e Adriano Galliani (vice-presidente do Milan) decidiram convocar a entrevista coletiva da tarde de hoje, o que obviamente indicava algum anúncio importante.

O anúncio era simplesmente que ainda não havia a definição sobre qual clube brasileiro seria o destino de Ronaldinho… Mas para mim algo ficou óbvio com essa palhaçada: se as possibilidades são apenas Flamengo, Grêmio ou Palmeiras (já falaram que o Corinthians também teria feito uma proposta pelo jogador), quer dizer que de três clubes, dois estão sendo enrolados; e quem contratar Ronaldinho, não gastará pouco.

E uma coisa é certa: se depois de toda essa enrolação Ronaldinho não vier para o Grêmio, não duvidemos que ele simule lesões às vésperas de partidas em Porto Alegre, para escapar das vaias que inevitavelmente aconteceriam.

Como saber se um prefeito pensa nos interesses da população ou das corporações

Em São Paulo, é barbada.

Um projeto de lei, aprovado na Câmara de Vereadores, proibiria a realização de eventos esportivos após as 23h15min. O objetivo era facilitar a vida dos torcedores, que durante a semana precisam acordar cedo e muitas vezes mofam em paradas de ônibus à espera da condução para retornarem a seus lares.

Porém, o prefeito Gilberto Kassab (DEM) vetou. Para ele, a manutenção do horário daquela bosta de novela da Globo é mais importante que a comodidade da população…

Novela Tricolor

Nenhum jogador no futebol brasileiro merece ganhar R$ 200 mil de salário. Claro que Maxi López não é exceção.

Atacante rápido e raçudo, Maxi López fez seus gols pelo Grêmio, e também deu bastante trabalho às defesas adversárias em 2009. Mas sua mulher quer ir morar em Roma.

E o próprio Maxi López nunca escondeu que seu objetivo no Grêmio era valorizar-se novamente para jogar em um grande clube europeu (estava esquecido no FC Moscou) – embora eu não veja a Lazio como um clube tão grande assim, diferente de Juventus, Milan, Real Madrid, Liverpool… Embora tenha virado “queridinho da torcida” (nas palavras de Tcheco), Maxi não tem nenhum grande vínculo com o Grêmio. Sem contar que não é nenhum Jardel, que mais do que incomodar, causava PÂNICO nas defesas adversárias, e ainda tem um grande carinho pelo Tricolor.

Sinceramente, essa questão já era para estar sendo tratada pela direção há mais tempo, não deveriam ter deixado para dezembro. E o depósito de € 1,5 milhão só deveria ter sido feito se houvesse a certeza de que, com isso, Maxi López ficaria no Grêmio. Pois sabemos que apelar para a PIFA em caso de provável descumprimento do acordo pelo atacante dificilmente resultará em alguma coisa.