Adeus, Prates

Os reaças adoravam. Quase tinham orgasmos ao ouvirem Luiz Carlos Prates defendendo a ditadura, assim como quando ele dizia que a culpa dos acidentes nas estradas era dos “pobres que agora têm carro” (e não do modelo rodoviarista que o Brasil adota desde o governo de Juscelino Kubitschek de Oliveira).

Pois agora devem estar em desespero: Prates deixou a RBS. Dizem que foi por acordo com a empresa. Será mesmo? Ou não houve outra saída, diante da enxurrada de críticas dos “miseráveis”?

Anúncios

E ele voltou a defender a ditadura…

O comentarista Luiz Carlos Prates, o mesmo que no ano passado fez rasgados elogios à ditadura militar, voltou ao ataque na última terça-feira. Não achei o vídeo no YouTube, por enquanto só é possível assisti-lo na própria RBS. E como não quero dar mais audiência a eles… Quem quiser assistir é só acessar a página e fazer a busca nos vídeos da RBS TV Santa Catarina.

Prates defende absurdos do tipo “na época do regime militar o Brasil cresceu muito, e havia disciplina e decência”: alguém acredita que a censura deixava passar qualquer “indecência”?

Aliás, qual a opinião de Prates acerca de algo ocorrido em Florianópolis, onde ele reside, e que a empresa dele omite? Não é também uma “indecência”?

————

Uma boa resposta à manifestação anterior de Prates em defesa da ditadura (a do ano passado) é o vídeo abaixo:

Ofensa a todos nós

Na segunda-feira, dia 30 de novembro, completaram-se 30 anos da Novembrada, como ficou conhecida uma grande manifestação popular em Florianópolis acontecida quando a cidade recebia a visita do general João Figueiredo, último militar a ocupar a presidência do Brasil. Foi um dos mais importantes protestos contra a ditadura no nosso país.

Porém, o comentarista Luiz Carlos Prates, da RBS, disse no “Jornal do Almoço” de Santa Catarina que a Novembrada foi “coisa de fracassados”. Para ele, o Brasil “só piorou” com a saída dos militares do governo, Figueiredo deu “uma lição de democracia” (E ele morreu pobre, com aposentadoria de general? Leitores, façam seus pedidos para o dia 25, eu sou o Papai Noel!), e não houve repressão e censura, visto que ele não as sofreu (indicativo de que lado ele estava). Pode???

Queria saber de Prates o que acha da crise econômica vivida pelo Brasil que se iniciou ainda na década de 1970 e se estendeu pela seguinte, a ponto dela ficar conhecida como “a década perdida”. Os militares gastaram uma fortuna “construindo estradas”, mesmo que inúteis, como a Transamazônica. E a dívida externa, Ó…

O comentário de Prates é uma ofensa a todos os cidadãos brasileiros, e principalmente aos que lutaram pelo retorno da democracia ao nosso país, muitos tendo que se exilar, ou mesmo perdendo suas vidas. É uma ofensa aos cidadãos que em 30 de novembro de 1979 não se intimidaram e saíram às ruas de Florianópolis para mostrar que as coisas não podiam mais ficar do jeito que estavam.

Abaixo, o vídeo com o comentário infame. Se o leitor tiver estômago, assista.

————

Em tempo: esse cara é tão reacionário, mas tão reacionário, que é contra as pessoas andarem de bermuda nas ruas. Se tal opinião já seria absurda em Porto Alegre (que é terrivelmente quente no verão), imaginem na praiana Florianópolis…