A chegada do disco voador

Qual criança nunca sonhou em ver, sem o intermédio da televisão, seus personagens favoritos? Lembro que eu tinha vários ídolos ficcionais: Tom & Jerry, Pica-Pau, Super-Homem, Jaspion… E, claro, toda a turma do Chaves e do Chapolim.

Pois esta noite, estarei entre as várias pessoas que realizarão um sonho: ver ao vivo um dos integrantes da turma do Chaves. Edgar Vivar, ator que interpreta o Senhor Barriga, aterrissa seu disco voador se apresenta dentro de algumas horas no Opinião. E fará com que todos, tenham oitenta e tantos anos ou apenas vinte e seis, sintam-se jovens ainda.

Envelhecendo

Às vezes, sinto uma dor no joelho direito quando firmo a perna no chão, e por conta disso resolvi consultar um ortopedista. O consultório fica na Rua Mariante, próximo à Dona Laura.

Na saída da consulta, decidi passar em frente ao local onde ficava o Esquilo Travesso. No início de 2009, a casa onde funcionava a escolinha que frequentei de meados de 1986 ao final de 1988 foi demolida.

Achei que seria erguido um espigão no lugar, mas agora há um estacionamento. Dos males, o menor: se a casa não está mais lá, ao menos ainda poderei um dia estar no exato local onde ficava a escolinha, caso um carro do qual eu seja um dos passageiros estacione ali. Como não voltei mais lá depois de dezembro de 1988, poderei pensar: “na última vez que estive neste ponto o presidente do Brasil era José Sarney, a inflação comia o dinheiro dos brasileiros, o Muro de Berlim e a União Soviética existiam, eu via o Jaspion no fim da tarde, e o Grêmio era o último clube brasileiro campeão da Libertadores e do Mundo”.

Tudo isso não deixa de ser sintomático: vi qual foi o destino de minha antiga escolinha no mesmo dia em que fui tratar de uma “dor nas juntas”.

Destino

Comentário do Arnaldo César Coelho durante programa no Sportv que contou com a presença do piloto Felipe Massa, citado em post interessante do Leandro Corrêa lá no Cataclisma 14:

Tem um vídeo que vi numa reportagem, Felipe, que mostrava você quando era criança, brincando com lápis e papel, desenhando um mapa do circuito de Interlagos. Você acha que o seu sucesso em Interlagos vem desse esforço desde criança?

Espero que seja verdade. Assim, um dia serei o Jaspion e combaterei o mal! Afinal, quando eu era criança eu imitava tanto ele, que só pode ser destino.

Aliás, o que eu estou fazendo na faculdade, me matando de tanto estudar?*

———-

* Mas, atualizando o blog sempre que possível…