Por que a Seleção não empolga?

Falou-se muito da Seleção Brasileira nos últimos dias na mídia porto-alegrense. Compreensível: o jogo era em Porto Alegre.

Esperava-se lotação total do estádio para Brasil x Peru. Porém, mais uma vez sobraram lugares – como já ocorrera nos dois últimos jogos das Eliminatórias no Brasil, ambos no Rio de Janeiro (Engenhão e Maracanã). Aliás, não sei como Galvão & Cia. ainda não entenderam o porquê.

Ontem à tarde, me inscrevi no Simpósio Internacional: Centro, Periferia e Análise Histórica. O evento acontecerá de 27 a 30 de abril no Salão de Atos da UFRGS, e contará com importantes pesquisadores, inclusive de fora do Brasil. O que isso tem a ver com a Seleção??? Calma que já explico.

A inscrição custa 20 reais para estudantes (tanto de graduação como de pós-graduação), e 50 para os demais interessados. Logo, é mais barato do que o jogo da Seleção, cujo ingresso menos caro custava 70 reais…

Ou seja: é uma relação de custo-benefício. Muita gente não estava disposta a gastar uma nota para ver uma Seleção sem graça e sem raça. Já eu achei baratíssimo pagar 20 reais para participar de um evento internacional, e não acho 50 reais um valor tão absurdo, a considerar que são quatro dias de evento; enquanto para ver duas horas de futebol, teria de pagar “duas” inscrições para o Simpósio: uma de estudante e outra “normal”.

Não dá para colocar toda a culpa nos cambistas – que tentam revender ingressos a preços malucos. Pois, quando eles não têm sucesso, acabam vendendo até mais barato do que nas bilheterias, para diminuir o prejuízo.

Assim, os vários vazios verificados ontem à noite nas cadeiras do anel superior têm uma explicação: ingresso a 120 reais.