PARABÉNS GRÊMIO!

Hoje, nós gremistas podemos sentir orgulho depois de uma derrota. Não porque ela tirou o título das mãos dos nossos rivais.

Passaram a semana toda especulando sobre uma possível “entregada” do Grêmio. Dirigentes do Inter, na maior cara-de-pau, falavam em “ir ao STJD”, esquecendo que ano passado desejavam “derrota heroica por 1 a 0” para o São Paulo, só porque o Tricolor paulista era adversário do Tricolor dos pampas na briga pelo título brasileiro. E o Inter perdeu por 3 a 0: se “entregou” ou não, eu não sei, nem tenho como provar. Não que o Grêmio tenha perdido o campeonato por causa disso – naquela mesma rodada, empatou com o Figueirense num dos piores jogos de futebol que já assisti, sem contar que o São Paulo também fez por merecer o título, com apenas cinco derrotas em todo o campeonato – mas mostra que os dirigentes chorolados (genial definição do são-paulino Vinícius Duarte, do blog Com Fel e Limão) têm de lavar a boca antes de falarem qualquer coisa do Grêmio.

Ao longo da semana que passou, ouviu-se algum dirigente do Grêmio desejar “derrota heroica” contra o Flamengo? Não! Vimos é eles vetarem a escalação de um jogador – Souza – que, apesar de importantíssimo para o time, cogitou a possibilidade de “entregar”. Victor ficou de fora por razões compreensíveis: nosso NINJA tem tudo para ir à Copa 2010, e uma eventual falha num contexto desses acabaria com as chances dele na Seleção Brasileira.

Eu imaginava que os reservas escalados iriam querer mostrar serviço, para permanecerem no Grêmio em 2010. Dito e feito: foi simplesmente a melhor atuação do Tricolor fora de casa no Brasileirão – e talvez das melhores de todo o campeonato. Se tivesse empatado ou até mesmo vencido, não seria um resultado injusto. Pena que o Grêmio não tenha jogado assim em todo o campeonato.

E quanto a “entregar o jogo”… Só quem não viu o jogo poderá cogitar que o Grêmio jogou para perder. E quem viu e achou isso, peço desculpas, mas trata-se de um idiota.

Pela honra

O assunto da semana do sorteio dos grupos da Copa do Mundo é a possível “entregada” do Grêmio para o Flamengo no próximo domingo. Afinal, um empate poderá dar o título ao Inter (ou ao Palmeiras ou ao São Paulo, dependendo da combinação de resultados). A tentação de torcer por derrota do Grêmio é muito grande, só para impedir a conquista colorada (como se a partida deles contra o Santo André fosse jogo jogado, até parece que o time paulista virá a Porto Alegre não precisando vencer para escapar do rebaixamento).

O que eu digo, é: pela honra do futebol do Rio Grande do Sul, quero que o Grêmio vença domingo. Pois foi isso que faltou, se não aos jogadores, aos dirigentes do Inter: quando jogaram contra o São Paulo no ano passado, adversário direto do Grêmio na luta pelo título, falaram em desejar “derrota heroica por 1 a 0”. Se a escalação de um time misto (com a desculpa da Copa Sul-Americana) foi com o propósito de “entregar”, não sei, e não será possível provar. Mas mostra que os dirigentes colorados têm de lavar a boca antes de falarem qualquer coisa sobre o Tricolor (que, vale lembrar, ano passado perdeu o título por conta dos diversos jogos fáceis nos quais deixou de pontuar, dentre eles contra o Figueirense no Olímpico, na mesma rodada deste São Paulo x Inter – se tivesse vencido tais jogos, não teria do que reclamar).

Quero que o Grêmio mostre o seu máximo no domingo. Se fizer isso (e certamente fará, pois os jogadores são, acima de tudo, profissionais), mesmo que perca, será honroso. Será bom para o Flamengo também, que não entrará para a história por “ganhar um título porque o último jogo foi entregue” – mesmo que em um campeonato de pontos corridos o último jogo tenha o mesmo valor de todos os outros 37, ou seja, 3 pontos.

Aliás, é mais um motivo pelo qual os dirigentes colorados têm de calar a boca: se o Inter não for campeão, não será por causa do Grêmio (que já ajudou bastante o rival, tirando pontos de Flamengo, Palmeiras, São Paulo e Cruzeiro), e sim por conta de sua própria incompetência, que conseguiu perder em casa para o Botafogo, um dos piores times deste Brasileirão. Além de levar 4 a 0 do Flamengo (dele mesmo!) no Maracanã, jogando com reservas (vergonhoso!). Ou seja: poderia depender apenas de seu próprio resultado para ser campeão, sem precisar do Grêmio.

Resumo da história: no domingo, DÁ-LHE GRÊMIO! Se o Inter vencer e for campeão, será uma comemoração um tanto constrangida, como alguns colorados já confessaram. Mas pode acontecer algo melhor e nada impossível, dada a tradição colorada de “ressuscitar mortos”: uma vitória do Santo André…