Inaceitável!

Imaginem um dirigente do Flamengo dizendo que torceu pelo Vasco. Ou um diretor do Palmeiras afirmando que entrou em desespero com o rebaixamento do Corinthians.

Agora, um dirigente do Grêmio dizer que torceu pelo título mundial do Internacional não é exercício de imaginação, é a mais estúpida verdade. Aconteceu na festa dos 99 anos do Inter, em abril passado. Veja o vídeo abaixo, também publicado nos blogs Apito do Blackão, Alma da Geral e Grêmio Acima de Tudo. O “gremista” que cometeu a insanidade é Túlio Macedo, que está para deixar a diretoria do Grêmio:

Entendo que os dirigentes se cumprimentem em ocasiões festivas, que mantenham uma relação de respeito, de cordialidade.

Até porque já faz parte da história de nosso futebol. No primeiro semestre de 1967, quando o futebol gaúcho não tinha a força de hoje, Grêmio e Internacional apoiaram um ao outro: surgiu assim a “Torcida Gre-Nal”, quando “em nome do Rio Grande” gremistas e colorados torciam lado a lado para ambos os clubes durante o Torneio Roberto Gomes Pedrosa. No Gauchão daquele ano a rivalidade voltou ao normal, já que não havia necessidade de “afirmação estadual” do futebol de Porto Alegre.

No dia do centenário do Grêmio, o Inter mandou publicar nos jornais de Porto Alegre uma nota oficial em homenagem ao Tricolor. E provavelmente haverá homenagem do Grêmio ao Inter ano que vem, no centenário colorado.

Mas, babação de ovo como a de Túlio Macedo é inaceitável! Só faltou ele beijar os pés de Vitório Piffero! Logo deste senhor, um dos presidentes mais arrogantes que já teve o Internacional, que nunca demonstrou o mínimo de respeito pelo Grêmio. Que adora falar do “título da FIFA”, ajudando a construir uma imagem extremamente antipática do clube vermelho. Eu poderia argumentar contra os colorados que, no ranking da Conmebol, o título mundial “FIFA” vale menos pontos do que o “não-FIFA”, mas, modéstia a parte, tenho um grande senso de justiça, e digo que a Conmebol deveria rever o critério, e atribuir a mesma pontuação tanto para os “FIFAs” como para os “não-FIFAs”, visto que a glória é a mesma.

Um bom exemplo de como o Internacional tornou-se um clube antipático é o que acontece com uma amiga minha nascida em Minas Gerais e que mora em Porto Alegre desde 2003: ela torce pelo Cruzeiro, e adotou o Grêmio como segundo time. Ela nunca detestou o Atlético-MG, mas tem sentido cada vez mais nojo do Inter desde o final de 2006, quando eles começaram com essa história “PIFAda” apenas para desmerecer a conquista do Grêmio.

E um dirigente do Grêmio ainda baba ovo deles! Enquanto isso, os colorados (não só torcedores, mas também os dirigentes, que pelo visto Túlio Macedo julga “superiores”, visto que ele afirma não ser “torcedor” e sim “dirigente”) só fazem piadas do Tricolor, ainda mais com a inoperância da atual direção gremista, que esqueceu da prioridade do clube, que está até no nome: futebol!

Considerando que Túlio Macedo representava a direção gremista na festa colorada, o presidente Paulo Odone deve explicações à torcida tricolor. E se for verdade o que Macedo diz, que foi autorizado pelo presidente a dar aquele discurso, só restará a Odone um caminho: a renúncia. Pois quem torce pelo Inter não tem a menor legitimidade para comandar os destinos do Grêmio.