Um colorado sensato

O Valter – que é colorado – publicou um post a respeito do título estadual do Internacional e a falsa ideia que a conquista fácil pode passar, a de que o Campeonato Brasileiro será uma moleza.

Afinal, como todos lembram, ano passado o Inter foi campeão gaúcho com uma histórica goleada de 8 a 1 sobre o Juventude na final (mesmo placar da decisão do 2º turno de 2009 contra o Caxias), começou o Brasileirão como franco favorito, e acabou apenas em 6º lugar. Enquanto o Grêmio, eliminado do estadual em casa pelo mesmo Juventude que seria humilhado pelo Inter, brigou pelo título nacional até a última rodada.

E o fundamental no texto do Valter é que ele diz o óbvio: preferiria ganhar o Campeonato Brasileiro do que a Copa Sul-Americana. Afinal, como qualquer pessoa sensata entende, o Inter só foi “campeão de tudo” porque deixou precocemente de lutar não só pelo título nacional, como também por uma vaga na Libertadores de 2009: assim, se empenhou para ganhar a Sul-Americana e “salvar” o fim do ano de 2008, em que o verdadeiro objetivo era ganhar o Brasileirão.

————

Um aviso aos “pifados”: nem tentem transformar o espaço destinado à discussão (comentários) em baixaria.

Anúncios

Novo outdoor

Não vejo motivos para dar muita importância a um jogo de Gauchão quando há algo mais importante com que se preocupar, e não acho que baste o Grêmio mandar o Celso Roth embora para que as coisas se ajeitem – tipo o Jonas perder menos gols, o Maxi López fazer gols, o Tcheco deixar de ser “amarelão” (o que já acontecia sob o comando de Mano Menezes) etc. Afinal, para um time jogar bem ele precisa ter qualidade (coisa que os esquadrões de 1995 e 1996 tinham), ou garra para compensar (não que um time bom não precise dela: o Grêmio de 1995 e 1996 era forte, mas bateu adversários teoricamente mais poderosos por ter garra). E não percebo nenhum dos dois elementos no grupo atual.

Mas não posso negar: o Kayser quase me matou de rir com a mais recente atualização de seu blog…

face

A propósito: não é por acaso que esse outdoor é muito semelhante aos que irritaram a Yeda

Dupla cagada do Grêmio

A primeira, foi ontem. Colocou time reserva e levou humilhantes 4 a 0 do Caxias – que está bem longe de ser um time como aquele de 2000, que foi campeão gaúcho. Aliás, acho que a lista do Impedimento poderia muito bem ser atualizada depois do que aconteceu ontem… A segunda, é colocar titulares no Gre-Nal de domingo. E não é por querer desvalorizar uma eventual (e mais provável, nesse momento) vitória colorada – e nem para dar um “presente” de centenário.

O Grêmio devia jogar com os reservas (ou nem entrar em campo devido à intransigência da FGF, que não aceita mudar a data do jogo por causa dos interesses da RBS) devido ao jogo mais importante, que é o de terça-feira contra o Aurora – e pouco me importa que o time boliviano seja fraquíssimo, o que poderia me fazer achar que “com os reservas o Grêmio ganha deles”. Pois provavelmente pensaram que os reservas seriam suficientes para o Caxias, e o que se viu foi aquele vexame.

E agora, um Gre-Nal: aí, ao invés de continuar focado na Libertadores, o Grêmio decide “valorizar” o Gauchão só por que o adversário é o Inter e “é preciso ganhar deles de qualquer jeito” (para os dirigentes, não para mim, já que me preocupo com coisas mais importantes), independentemente da real importância do jogo de domingo. É apenas quartas-de-final de um turno do campeonato estadual, e não uma partida válida por competição nacional ou continental.

Sobre interesses comerciais

As transmissões do Gauchão 2009 têm primado por uma pérola – além das tradicionais do Paulo Brito, “heinhÔ Batista?” e “Futebol Clube Santa Cruz” (nunca vemos o Brito chamar Grêmio ou Inter por seu nome completo, só o Santa Cruz – deve ser implicância pelo clube ter o mesmo nome da cidade, já que ele torce para o rival Avenida).

De repente, um clube cujo nome é Sport Club Ulbra (heinhÔ Batista?) passou a ser chamado de “Canoas” nas transmissões e nos programas esportivos da RBS. Sendo que a cidade já tem um clube chamado Canoas Futebol Clube. No ano passado, já vinham chamando o time de “Ulbra-Canoas” – até entenderia bem em programas transmitidos para todo o Brasil, pois há também um Sport Club Ulbra em Ji-Paraná, Rondônia.

E não adiantou a direção do clube de Canoas divulgar uma nota oficial criticando a denominação da RBS e reafirmando que se chama Sport Club Ulbra. Os programas da emissora, assim como as transmissões dos jogos, continuam falando no “Canoas”.

E o pior é que o negócio pode ficar ainda mais esdrúxulo. Por exemplo, caso o Quilmes, da Argentina, venha a enfrentar algum time brasileiro em uma Libertadores ou Sul-Americana, qual será o nome que a Globo lhe dará? Pelo que li no Impedimento, parece ser determinação da emissora (e como a RBS é repetidora da Globo…) chamar times que têm nomes de “empresas” (Ulbra, em tese, é uma universidade, não empresa) pelo nome das cidades onde se situam. Só que o Quilmes fica em… Quilmes! A famosa cervejaria argentina e o clube devem seus nomes à cidade.

Torcidas deram espetáculo

Logo que o Brasil de Pelotas anunciou a contratação do goleiro Danrlei, eu decidi que de jeito nenhum deixaria de ir ao jogo do Grêmio contra o Brasil no Olímpico. A partida era para ter sido realizada em 29 de janeiro, mas devido à tragédia de duas semanas antes, o Xavante só estreou no Gauchão no início de fevereiro, e o jogo com o Grêmio foi remarcado para a noite passada.

Imaginei que o momento máximo do jogo – além dos gols que acontecessem, é claro – seria a entrada de Danrlei em campo. Mas Grêmio x Brasil-Pel teve mais.

Nos últimos jogos, a Geral resolveu fazer um protesto pelo fato da direção do Grêmio não dar mais subsídio às torcidas organizadas. Não levaram as faixas e os instrumentos musicais. Mas um grupo de torcedores discordantes das lideranças da Geral passou a se reunir no lado oposto, atrás da goleira da Carlos Barbosa.

No jogo de ontem, os dissidentes estavam presentes, com suas faixas. Era um grupo muito pequeno, mas que cantava bastante, bem mais animado do que a Geral “oficial”. Resultado: ao longo do jogo, vários torcedores deixaram o espaço da Geral (atrás da goleira da Cascatinha) e se dirigiram ao outro lado, para cantar junto com a “outra Geral”. Detalhe: este grupo – que no segundo tempo tornou-se significativo – ficou em local abaixo da torcida do Brasil, que estava no anel superior. A Brigada Militar reforçou o efetivo, mas não precisou trabalhar. As duas torcidas deram um belo espetáculo.

Atendendo a um pedido

O Jorge Nogueira não desiste de ver eu publicar algo a respeito do jogo do último domingo. Chega ao ponto de esquecer o tema dos posts – e eu pedi que não desviasse a discussão.

O Grêmio perdeu 3 pontos para o Inter, nada mais do que isso. Não entendo porque dar tamanha importância a uma partida da primeira fase do Gauchão.

Mas, de tanto ele insistir, acabou levando. Mas não sobre o jogo do último domingo, e sim, sobre o primeiro de todos, que em julho completa 100 anos.

Como diz o ditado, “a primeira impressão é a que fica”.

grenal1

E os colorados nem percam tempo vindo aqui com seus papos pifados – tem blogs colorados que servem para isso.

O dia que o Inter ganhar do Grêmio por 11 a 0, a gente conversa. Bom, se é que isso um dia acontecerá…

FEITO! O Gauchão 2009 começou…

Não são jogaços, não dão muita renda para a dupla Gre-Nal. E ainda por cima, em 2009 começa sob a tristeza provocada pela tragédia com o Brasil de Pelotas – talvez o único clube do interior do Estado que jogue sempre com o estádio lotado, seja qual for o adversário.

Mas não dá para negar que é possível se divertir com o Gauchão. Principalmente ao assisti-lo pela televisão, graças à algumas frases impagáveis do principal narrador da RBS, Paulo Brito. HEINHÔ BATISTA!

Brito não narra só jogos do Gauchão, também trabalha em alguns jogos da dupla Gre-Nal no Brasileirão, apresenta o bloco de esportes do “Jornal do Almoço” e o bloco gaúcho do “Globo Esporte”.

Bom, então relembremos algumas pérolas (registradas no YouTube) do grande Paulo Brito:

A volta de Eduardo Martini

No “Jornal do Almoço” de 3 de dezembro de 2007, Paulo Brito falava sobre o empate do Grêmio com o Corinthians em 1 a 1, na véspera, resultado que rebaixou o time paulista. Eis que em um lance de ataque do Corinthians, o nosso mestre fala em defesa do goleiro do Grêmio… Eduardo Martini!

Vale lembrar que Eduardo Martini deixou o Grêmio no final de 2003. O goleiro na última rodada de 2007 era Marcelo Grohe.

1978, Copa Sexual

Durante a partida Chapecoense x Inter, pela Copa do Brasil de 2008, (Heinhô) Batista falava sobre o período de treinamentos da Seleção Brasileira na Granja Comary para a Copa do Mundo de 1978. Então Paulo Brito larga essa: “Estavam transando (!)… Treinando na Granja Comary para a Copa do Mundo de 78”.

Feito! A bola não entrou…

Essa, a maior de todas, aconteceu no dia 20 de julho de 2008, no jogo Náutico x Inter, pelo Campeonato Brasileiro. Sabe-se lá como Paulo Brito achou que aquela bola ia entrando…

E dá-lhe Vovô!

Começa neste fim-de-semana o Campeonato Gaúcho da Segunda Divisão, que será disputado por 26 clubes. O campeão e o vice disputarão a Primeira Divisão em 2009.

O Rio Grande, clube de futebol mais antigo do Brasil, estréia em casa neste domingo às 15h30min contra o Grêmio Bagé. Ano passado, o Vovô disputou o octogonal final, mas infelizmente a vaga na Primeira Divisão não veio.

Em um dos amistosos de preparação para o campeonato deste ano, o Rio Grande empatou em 0 a 0 com o Cerro Largo, vice-líder da Segunda Divisão uruguaia, na cidade de Melo (Uruguai).

Este blog estará na torcida pelo retorno do Vovô à Primeira Divisão do Campeonato Gaúcho!