Números nada frios

Dizem que não há nada mais frio que os números. Afinal, eles são exatos, inflexíveis. Quando a chance de algo acontecer é de 99%, só quem deseja muito o contrário consegue acreditar naquele 1% restante. Já quem leva em conta apenas os números, praticamente bate o martelo – e raramente erra ao fazê-lo.

Agora, o que dizer quando você contabiliza algo diretamente ligado ao seu coração? É algo semelhante ao que acontece com quem se agarra a uma chance de 1%: números que dizem respeito a algo que realmente te afeta jamais serão “frios”.

Pois acabo de definir meus números do Olímpico Monumental até agora. Semana passada tinha divulgado o total de partidas que assisti no estádio, gols que o Grêmio fez e os que sofreu. Esses dados foram mais fáceis: ao montar a tabela no Excel, já tinha feito a numeração dos jogos até o último (que é o Gre-Nal de domingo); para os gols, usei as fórmulas do programa, que a cada partida adicionava os tentos marcados e sofridos ao total.

Porém, na contagem de vitórias, empates e derrotas, não teve jeito: como não entendo tanto do Excel, tive de voltar lá ao começo e somar tudo. Para não me perder, fui ano a ano. Quando cheguei em 2012, jogos de memórias tão recentes… Senti as lágrimas vindo, mas não chegaram a sair.

E assim consegui os números abaixo (sem contar o Gre-Nal). Os menos frios que tenho recordação.

  • Partidas: 257
  • Vitórias: 161
  • Empates: 55
  • Derrotas: 41
  • Gols marcados: 512
  • Gols sofridos: 232

————

Agora, se números já trazem recordações e quase levam às lágrimas, é simplesmente impossível não chorar com o vídeo abaixo.

Anúncios

O Cão em 2011

Os duendes de estatísticas do WordPress.com prepararam um relatório para o ano de 2011 deste blog.

Aqui está um resumo:

A sala de concertos da Ópera de Sydney tem uma capacidade de 2.700 pessoas. Este blog foi visitado cerca de 60.000 vezes em 2011. Se fosse a sala de concertos, eram precisos 22 concertos esgotados para sentar essas pessoas todas.

Clique aqui para ver o relatório completo.

2011, um desastre

Ainda estou tentando entender o que aconteceu para que o Cão Uivador venha tendo tão poucos acessos em 2011. Uma comparação com 2010 é o suficiente para deixar bem claro o verdadeiro desastre que está sendo este ano, em matéria de visitas.

No ano inteiro de 2010, o Cão teve 83.492 visitas, média de aproximadamente 229 por dia. Só em junho foram 10.842 (média diária de aproximadamente 361), graças à Copa do Mundo: às vésperas da abertura, o texto escrito em dezembro de 2009 no qual eu dava meus primeiros palpites sobre o Mundial atraiu muita gente apaixonada por futebol, que preparava suas apostas nos diversos bolões promovidos na época (se ferraram bonito, né?). Tanto que ele continua a ser o que teve mais visualizações na história do blog, mesmo que depois da Copa tenha sido praticamente esquecido.

Já em 2011, até hoje (23 de julho), o número de visitas ainda nem se aproximou da metade do verificado ano passado, mesmo que mais de meio ano já tenha passado. A média diária de 170 acessos é a pior desde 2007, quando o Cão ainda era um “filhote”.

Afinal, por que será que caiu tanto o número de acessos? Foram os textos que pioraram? As pessoas estão com menos tempo para ler? Ou, pior ainda, com menos vontade de ler qualquer coisa que tenha mais de 140 caracteres?

————

E isso que nem falei do que está sendo este mês. Mas, deixemos julho acabar…

O Cão em 2010

O WordPress.com enviou aos blogueiros que utilizam a plataforma algumas estatísticas sobre o ano de 2010 em cada um deles. Achei interessante compartilhar as do Cão com os leitores.

O que achei mais curioso (além dos termos digitados nos sites de busca e que resultaram em visitas ao blog), é que dos cinco textos mais lidos em 2010, nenhum foi postado no ano que recém acabou… O mais novo – que é também o mais lido – é de dezembro de 2009.

Aliás, o fato de haver dois textos sobre futebol entre os cinco só me faz ter mais certeza: o esporte bretão dá audiência… Ainda mais em ano de Copa do Mundo – o mais lido é justamente o texto em que dou palpites sobre o Mundial. Foi graças a ele que o blog atingiu o recorde de visitas em um só dia – foi em 10 de junho, véspera da abertura da Copa.

A Copa do Mundo também ajudou a elevar a audiência do 5º texto, sobre os hinos nacionais (mais especificamente, sobre o hino da Rússia) – que é também o mais velho dos cinco, postado em setembro de 2007.

————

Os duendes das estatísticas do WordPress.com analisaram o desempenho deste blog em 2010 e apresentam-lhe aqui um resumo de alto nível da saúde do seu blog:

Healthy blog!

O Blog-Health-o-Meter™ indica: Uau.

Achamos que foi fantástico!

Números apetitosos

Imagem de destaqueO Museu do Louvre é visitado por 8,5 milhões de pessoas todos os anos. Este blog foi visitado cerca de 82,000 vezes em 2010, o que quer dizer que se fosse uma exposição no Louvre, eram precisos 4 dias para que as mesmas pessoas a vissem.

Em 2010, escreveu 260 novos artigos, aumentando o arquivo total do seu blog para 1023 artigos. Fez upload de 75 imagens, ocupando um total de 8mb. Isso equivale a cerca de 1 imagens por semana.

O seu dia mais activo do ano foi 10 de junho com 977 visitas. O artigo mais popular desse dia foi Meus primeiros palpites para a Copa 2010.

De onde vieram?

Os sites que mais tráfego lhe enviaram em 2010 foram cloacanews.blogspot.com, classemediawayoflife.blogspot.com, twitter.com, blogdokayser.blogspot.com e google.com.br

Alguns visitantes vieram dos motores de busca, sobretudo por cao uivador, gremio, palpites copa do mundo 2010, transgenicos e leite

Atracções em 2010

Estes são os artigos e páginas mais visitados em 2010.

1

Meus primeiros palpites para a Copa 2010 dezembro, 2009
10 comentários

2

Documentário: “Criança, a alma do negócio” março, 2009
10 comentários

3

Por que o Corinthians é tão detestado? dezembro, 2007
70 comentários

4

Diziam que os transgênicos eram tão bons… maio, 2008
1 comentário

5

O hino nacional mais bonito setembro, 2007
15 comentários

UM ANO DE CÃO UIVADOR

Hoje este blog completa um ano de existência. E quem ganha o “presente de aniversário” é o leitor: uma nova seção, dedicada à História. São os Uivos Históricos.

A idéia nasceu do fato de que muitos trabalhos que escrevi ao longo dos quase quatro anos e meio que já passei freqüentando o curso de História da UFRGS provavelmente acabariam guardados em um armário, visto que não serão utilizados na produção do meu TCC, ano que vem. O que não quer dizer que eles não valham nada. Sinceramente, não vejo motivos para me sentir empolgado ao escrever um trabalho se ele apenas servir para a nota em uma cadeira. Mais do que “valer nota”, ele precisa ser lido, e (por que não?) criticado.

Os “Uivos Históricos” começaram a ser publicados hoje, incompletos. Porque eu tinha decidido publicá-los hoje justamente em comemoração pelo 1º aniversário do Cão. Mas quando eu tive a idéia, há cerca de um mês atrás, achei que hoje teria tudo pronto. Mera ilusão… Não escrevo aqui por dinheiro: o “combustível” do Cão Uivador ao longo de seus primeiros 366 dias de existência foi o prazer que sinto ao escrever e o fato de saber que existem pessoas que visitam regularmente o blog, seja para concordar ou discordar. Não posso passar um dia inteiro blogando, tenho mais coisas para fazer. Mas sempre que posso postar algo que considero importante, posto.

Aos leitores de todas as partes do mundo que passaram por aqui desde 14 de maio de 2007, o que tenho a dizer é meu mais sincero muito obrigado!

———-

Bom, não custa nada também conferir algumas estatísticas do primeiro ano de existência do Cão Uivador, referentes ao momento em que publico a postagem. Como o Blogspot não tinha estatísticas, elas são referentes ao período a partir de 17 de agosto de 2007 (exceto quando eu disser que ela se refere a todo o primeiro ano de existência do blog), quando mudei o Cão para o WordPress:

  • Total de visitas: no momento em que publico a postagem, o blog já teve 23.719 visitas. Como não há estatísticas referentes ao período de 14 de maio a 17 de agosto de 2007, especulo que em um ano de existência o Cão já tenha tido quase 30 mil visitas;
  • Postagem mais comentada: Só perde a final quem chega lá!, publicada em 21 de junho de 2007, quando o Cão ainda estava no Blogspot. O objetivo era exaltar a campanha gremista na Libertadores 2007, mas o Valter inventou de falar daquela besteirada colorada de “tríplice coroa” e aí a discussão sobre isso tomou conta dos comentários, que chegaram a um total de 20;
  • Postagem mais vista: A fome no mundo, publicada em 13 de setembro de 2007. Já são 913 visualizações até agora;
  • Postagem mais vista em um único dia: Caso Isabella: o “fato-ônibus”, publicada em 11 de abril de 2008. No dia 14 de abril – quando se estabeleceu o recorde de visitas ao Cão em um único dia – a postagem foi visualizada 79 vezes;
  • Recorde de visitas em um dia: 280 em 14 de abril de 2008;
  • Recorde de visitas em uma semana: 1.250 nos períodos de 7 a 13 e de 21 a 27 de abril de 2008;
  • Recorde de visitas em um mês: 5.037 em abril de 2008;
  • Total de comentários (até a publicação desta postagem): 482.

Estatísticas do “Cão no Olímpico”

Fui ao Olímpico ver o Tricolor pela primeira vez muito tarde: só em 16 de setembro de 1995, quando o Grêmio perdeu por 3 a 2 para o Botafogo, no Campeonato Brasileiro que viria a ser conquistado pelo time carioca. Naquela ocasião, eu tinha 13 anos, e estava a 29 dias de completar 14.

O mau começo parecia indicar que eu seria um “pé-frio”. Mas não. O Grêmio venceu a maioria absoluta dos jogos em que estive presente ao Olímpico. Foram 84 vitórias, 36 empates e 27 derrotas, em 147 partidas. Foram marcados 401 gols: 263 do Grêmio, e 138 dos adversários.

As 147 partidas foram contra 60 times diferentes. Os mais enfrentados são os rivais regionais, Inter e Juventude (8 jogos contra cada um). O primeiro Gre-Nal foi em 20 de junho de 1999, aquele do Ronaldinho. De fora do Rio Grande, os mais enfrentados são Corinthians e São Paulo (6 jogos contra cada um).

Curiosamente, dentre os 27 clubes que “enfrentei” apenas uma vez, está ninguém menos que o Cruzeiro: derrota de 3 a 2, no dia 17 de outubro de 1999.

Os anos em que menos fui a jogos foram 1995 e 2004: apenas quatro partidas em cada um. Em 1995, fui ao primeiro jogo só em setembro (que foi o primeiro de todos). Já em 2004 aconteceu uma soma de fatores: estresse elevadíssimo por estar no primeiro ano da faculdade e por isso desacostumado com a grande quantidade de leituras + segundo ano seguido em que o Grêmio se limitava a lutar para não cair (o que me desanimou). Em 2003, quando o Grêmio também só lutou para não ser rebaixado, fui a 17 jogos (mesmo número de 2001). O recorde positivo de presenças ao Monumental se deu em 2000: 19.

Os únicos anos em que não presenciei derrota do Grêmio foram 1997 (quando fui a 6 jogos) e 2005 (10 jogos). A maior “invencibilidade” foi de 21 partidas, e o maior “jejum”, de 4 jogos.

A maior vitória foi de 6 a 0 sobre o Inter de Santa Maria (tinha que ser um Inter!) em 18 de abril de 1998, pelo Campeonato Gaúcho. A pior derrota foi 5 a 1 para o Atlético-PR em 20 de abril de 2002, jogo de ida da semifinal da Copa Sul-Minas.

Em 2007, fui a 13 jogos até agora, dos quais o Grêmio venceu 9, empatou 2 e perdeu 2. Foram anotados 34 gols: 25 do Grêmio e 9 dos adversários. Considerando que restam mais 3 jogos no Olímpico este ano, provavelmente terminarei 2007 com 16 partidas. Será o quarto ano com mais presenças, atrás apenas de 2000 (19 jogos), 2001 (17) e 2003 (17).

Um jogo “histórico”

Eu mantenho atualizada uma lista de todos os jogos do Grêmio que fui. Além disso, também tenho as estatísticas, de quantos jogos por ano, quantas vitórias, quantos gols o Grêmio fez etc.

Porém, tinha esquecido de atualizar as tabelas após Grêmio x Goiás, jogo que aconteceu no sábado passado, 13 de outubro. Só agora que lembrei e percebi o quão importante foi aquela partida – pelo menos para mim.

Primeiro fato “histórico”: foi a primeira vez que fui a uma vitória do Grêmio sobre o Goiás, esta touca desgraçada! Ano passado o Grêmio ganhou no Olímpico, mas o jogo era numa quinta-feira de noite e eu tinha aula, assim não pude ir.

Segundo fato “histórico”: a testada de Pereira que empatou o jogo foi simplesmente o 400º gol dos jogos do Grêmio em que estive presente. No total, foram marcados 401 gols nas partidas que assisti no Olímpico: 263 do Grêmio, e 138 dos adversários.

Em 147 jogos que eu fui, o Grêmio venceu 84, empatou 36 e perdeu 27.

O primeiro foi em 16 de setembro de 1995, derrota de 3 a 2 para o Botafogo, pelo Campeonato Brasileiro. Dos cinco gols daquele jogo, três foram de artilheiraços: Túlio fez dois para o alvinegro carioca, e Jardel descontou para o Grêmio.