A guerra civil facebookeana

Gremistas x colorados. Petistas x anti-petistas. Adoradores do frio x adoradores do calor. Sedentários x atletas. Contestadores x conformados. Há mais vários “conflitos”, e um nessa época em especial: anti-Natal x fãs do Natal.

Durante os protestos de junho, alguns manifestantes levaram cartazes dizendo: “saímos do Facebook”. E, pelo que se via, parecia que realmente as redes sociais tinham ido às ruas. Mas não por inteiro.

No dia em que todos os brasileiros do Facebook resolverem ir às ruas, das duas, uma: ou teremos uma guerra civil extremamente sangrenta (e poucos restarão para contar a história); ou talvez ela não aconteça pelo simples fato de que, com tantos rótulos, ninguém saberá por que e contra quem lutar.

Como saber se um prefeito pensa nos interesses da população ou das corporações

Em São Paulo, é barbada.

Um projeto de lei, aprovado na Câmara de Vereadores, proibiria a realização de eventos esportivos após as 23h15min. O objetivo era facilitar a vida dos torcedores, que durante a semana precisam acordar cedo e muitas vezes mofam em paradas de ônibus à espera da condução para retornarem a seus lares.

Porém, o prefeito Gilberto Kassab (DEM) vetou. Para ele, a manutenção do horário daquela bosta de novela da Globo é mais importante que a comodidade da população…