Obrigado por não telefonar

Já falei do quanto detesto atender telefone. Prefiro receber e-mail, mensagem no celular, no Facebook… Mas o pessoal insiste em ligar, sendo que na maioria das vezes é bobagem, coisa sem urgência, ou pior ainda, a ligação nem é para mim e preciso anotar o maldito recado.

E então toca o telefone… E já vejo pelo identificador de chamada que não é comigo que querem falar (eis um dos maiores males de não morar sozinho: uma linha de telefone fixo para todos).

– Alô.

– Quem fala?

– É o Rodrigo.

– Tudo bem, Rodrigo?

– Tudo…

Descubro que sou um grande hipócrita. Pois a resposta sincera seria outra:

– Estava tudo bem até esse maldito telefone tocar!

Anúncios

Sobre poder falar mal do presidente (e de outras coisas mais)

Às vezes tenho a impressão de que quanto mais correntes são detonadas, mais “novidades” surgem. A última que recebi é um texto muito tosco, defendendo a ditadura militar. Me senti na obrigação de escrever uma resposta.

Primeiro vamos ao texto da mensagem, que copiei como veio: mal-formatado e (principalmente) mal-escrito…

É MUITO BEM HUMORADO E MUITO VERDADEIRO. . .
Na época da ‘chamada’ ditadura…
Podíamos namorar dentro do carro até a meia- noite sem perigo de sermos mortos por bandidos e traficantes.
Mas, não podíamos falar mal do presidente.

Podíamos ter o INPS como único plano de saúde sem morrer a míngua nos corredores dos hospitais.
Mas não podíamos falar mal do presidente.

Podíamos comprar armas e munições à vontade, pois o governo sabia quem era cidadão de bem,quem era bandido e quem era terrorista,
Mas, não podíamos falar mal do Presidente.

Podíamos paquerar a funcionária, a menina das contas a pagar ou a recepcionista sem correr o risco de sermos processados por “assédio sexual”,
Mas, não podíamos falar mal do Presidente.

Não usávamos eufemismos hipócritas para fazer referências a raças (ei! negão!), credos (esse crente aí!) ou preferências sexuais (fala! sua bicha!) e não éramos processados por “discriminação” por isso,
Mas, não podíamos falar mal do presidente.

Podíamos tomar nossa redentora cerveja no fim do expediente do trabalho para relaxar e dirigir o carro para casa, sem o risco de sermos jogados à vala da delinqüência, sendo preso por estar “alcoolizado”,
Mas, não podíamos falar mal do Presidente.

Podíamos cortar a goiabeira do quintal, empesteada de taturanas,sem que isso constituísse crime ambiental,
Mas, não podíamos falar mal do presidente.

Podíamos ir a qualquer bar ou boate, em qualquer bairro da cidade, de carro, de ônibus, de bicicleta ou a pé, sem nenhum medo de sermos assaltados, sequestrados ou assassinados,
Mas, não podíamos falar mal do presidente.

Hoje a única coisa que podemos fazer…

…é falar mal do presidente!

que merda !

Bom, agora vem a parte mais divertida: destruir os “argumentos” de quem escreveu esse lixo e-mail. Continuar lendo

SIM à campanha eleitoral no Facebook. Viva a democracia!

Começou na última sexta-feira a campanha eleitoral de 2012. Será a primeira em que o Facebook é a rede mais utilizada pelos brasileiros: dois anos atrás, tal papel ainda pertencia ao Orkut; e o Twitter foi muito mais importante na briga por votos.

Ao mesmo tempo em que era aberta a “temporada de caça ao voto”, uma imagem começou a ser compartilhada por vários de meus contatos. Com uma mãozinha com o polegar para baixo (figura inversa à que simboliza o “curtir”), dizia “não à propaganda política no Facebook”. Não compartilhei, e uma das primeiras coisas que pensei foi em como responder àquilo.

Me pergunto: qual é o problema de alguém pedir voto pelo Facebook? “Propaganda indesejada”? Ora, até parece que ninguém nunca recebeu uma ligação de telemarketing, nem um spam via e-mail…

Aliás, reparem que o telefone não nos dá a opção de escolher quem nos liga: apesar de ser possível bloquear a chateação do telemarketing, sempre haverá o risco de alguém se enganar de número, ou mesmo de estar ocupado e ter de atender o maldito telefone porque aquela campainha já está dando nos nervos.

O e-mail, por sua vez, nos permite decidir se respondemos ou não. Mas também não escolhemos quem enviará mensagem: apesar do spam poder ser marcado como tal, sempre surgem novos – assim como os vírus.

Já o Facebook, assim como o Twitter (e mesmo o Orkut), nos dá a opção de escolher com quem iremos interagir. Adicionamos quem nos interessa, e se a pessoa é muito chata, podemos excluí-la de nossa lista para que não recebamos mais suas atualizações.

Assim, se o leitor está “de saco cheio de tanta propaganda eleitoral no Facebook”, acho melhor (e bem mais eficaz) fazer uma “faxina” em seus contatos ao invés de ficar “cagando regra”, dizendo o que os outros podem ou não postar. Essa atitude de querer mandar os outros pararem de falar sobre certo assunto é extremamente antipática, chegando mesmo a ser autoritária.

E sinceramente, o cara do qual se reclama por usar o Facebook para fazer campanha eleitoral (para si mesmo ou para um candidato no qual deseja votar), pode muito bem achar um pé no saco as mensagens religiosas ou piadas sobre futebol que muita gente compartilha. Talvez ele nunca tenha se metido a querer determinar o que os outros irão ou não postar, mas se o fizer, é recomendável que também dê uma “reciclada” na sua lista de contatos.

————

Em tempo: não bloquearei quem postar a imagem da qual falei. Aliás, nunca excluí ninguém de minha lista de amigos (a única pessoa que foi “banida” sequer estava dentre meus contatos); em compensação, já fui “deletado” por pessoas que não suportaram algumas de minhas opiniões. Mas, por ser mais tolerante do que eu mesmo achava que era, muita gente acabou me surpreendendo positivamente.

Agora, eles vêm com uma “profecia”…

Trata-se de mais um dos tantos “e-mails eleitorais” deste ano de 2010. Meu pai recebeu e me repassou, fazendo o comentário: “não desistem nunca…”, em referência aos direitoscos que continuam mandando essas coisas.

Como sempre, as “previsões” da tal mulher que “nunca se engana”, são catastróficas e relacionadas à eleição de Dilma Rousseff para a presidência.

Diante de tal enxurrada de e-mails, lembro daquelas mensagens que pintavam Dilma como uma “perigosa terrorista” e pergunto: não seria mais correto classificar como “terroristas” os que criam tais porcarias? Pois quem repassa, geralmente já o faz “apavorado” – e o objetivo do terrorismo é justamente esse.

Depois dos concretoscos, os DIREITOSCOS

A direita brasileira é mortal… Mata de rir!

Tudo bem, nada que me surpreenda. O baixo nível das correntes de e-mail continua. Aliás, cada vez mais baixo.

Esses dias, recebi a mensagem sobre a tal “bolsa bandido” (que já fora detonada pelo Vinicius Duarte). Respondi ao meu amigo, que um dia depois enviou outra corrente, mas esta batendo na Rede Globo (o famoso boato do “Criança Esperança”), perguntando se eu ia gostar “agora que não fala mal do PT, do Lula e da Dilma”. Claro que respondi de novo, dizendo que o problema não era fazer críticas ao governo Lula – já que eu tenho muitas – mas sim que elas fossem realmente críticas, não abobrinhas: afinal, essas porras de correntes são pura pregação direitosa, não vi nenhuma delas reclamando de que os arquivos da ditadura não foram abertos, por exemplo.

Outras tosqueiras foram as mensagens que vi ontem. Uma delas, que foi encaminhada pelo meu pai para que eu risse junto com ele, tinha o título “Cuidado, tsunami em outubro”, e chamava a possível vitória da Dilma de “tsunami”. A imagem em anexo, então, foi uma das coisas mais toscas que já vi: a imagem de uma onda gigante com a cara da candidata petista… PQP!

A outra, o meu pai não me repassou porque eu cheguei a ver o momento em que ele respondeu. Foi para detonar mesmo: o texto da mensagem dizia que uma “jornalista” (sim, entre aspas mesmo!) tivera seu blog censurado pelo governo Lula por conta de um texto (aliás, muito ruim) publicado no ano passado (ela se utilizava várias vezes da expressão “petralhas”, que se não está entre aspas no texto, é para mim um atestado de “coisa que não é séria”). Claro que isso servia para dizerem que “temos de salvar o Brasil de uma ditadura” e muito blá blá blá direitoso (interessante que eles fizeram e ainda defendem a ditadura militar…). Mas faltou alguém avisar aos ingênuos que repassam essa porcaria que o blog da moça foi “censurado” por uma ordem judicial a pedido de um deputado estadual do Mato Grosso – ou seja, não tinha absolutamente nada a ver com o governo federal!

E, para completar o dia de ontem, descobri no Twitter uma mulher que a única coisa que “tuíta” é bobagem contra a Dilma. Ela, assim como vários outros direiTOSCOS, quer fazer os bobos acreditarem que a vitória petista significará “a implantação do comunismo no Brasil”. Só aviso que desse jeito o risco que correm é de justamente me convencerem a votar na Dilma!

Mas, como não acredito nessas tosquices, vou de Plínio.

Não alimente os trolls

Começa amanhã, de forma oficial, a campanha eleitoral de 2010. Serão quase três meses em que receberemos muitas informações sobre candidatos aos mais diversos cargos (deputados estaduais e federais, senadores, governadores e presidente). E também muito lixo. O que não é de surpreender, já que tudo indica que esta será a campanha mais suja que o Brasil já viu.

Nossas caixas de e-mails certamente serão invadidas por mensagens de propaganda política. Mas isso nem é a pior parte.

Dose mesmo são as malditas correntes. Se já recebemos muitas… Agora elas irão se multiplicar. E de nada adiantará responder explicando que nada daquela besteirada é verdade, pois o lixo seguirá chegando. Talvez a solução seja ameaçar notificar os amigos que mandam essas bostas como enviadores de spam (caso não surta efeito pedir-lhes que não enviem mensagens sobre política).

E nos blogs, será preciso utilizar mais do que nunca a moderação dos comentários. Pois os trolls irão aparecer em grande número. Não interessa a eles uma discussão de ideias, em alto nível (em que as pessoas não concordam em nada, mas ao menos se respeitam). O negócio deles é xingar, é transformar um debate em uma “guerra”. É fazer com que adversários – que podem ser grandes amigos, sem problema algum – passem a se ver como inimigos.

A tentação de responder a um troll é enorme – falo por experiência própria, pois já caí na asneira de responder a um deles, e por isso tive de aguentá-lo por muito tempo vomitando besteiras em minha caixa de comentários. Até que um dia eu decidi cortar o barato dele. Claro que ele me xingou de tudo que é coisa – a vontade de responder foi grande, mas não o fiz (e obviamente não publiquei o comentário – tudo o que vem dele, vai direto para o spam). Pois atenção é tudo o que um troll busca.

Assim, caro leitor, independentemente de sua posição política, minha dica é: não alimente os trolls. Apenas ignore-os. E, se possível, “delete-os”.

Quem quer um Brasil melhor NÃO REPASSA CORRENTES!

Bem que o Milton Ribeiro avisou que 2010 seria “uma coisa”. Desde o final do ano passado, já me preparava para uma chuva de comentários-spam. Que, surpreendentemente, têm vindo em número menor do que eu esperava (mas não vou me animar muito, pois certamente os trolls direitosos esperarão passar a Copa para agirem mais).

Porém, algo com o qual eu não contava eram os e-mails. Afinal, spam é coisa que não vem de amigo, né?

Errado! Afinal, tenho amigos das mais diversas colorações partidárias e visões de mundo. Inclusive, direitosos que tenho a impressão de que jamais os convencerei a mudarem sua maneira de pensar – e que também não têm a menor chance de me convencerem.

O problema, é que eles acreditam ser possível que eu receba um daqueles arquivos “pps” com pregações direitosas e ainda os repasse!

Até perdi a conta de quanas mensagens deste tipo recebi desde o começo do ano. Já respondi diversas vezes, pedindo que não percam tempo com essas bobagens, visto que comigo elas não colam – sem contar que a maioria é para bater no Lula e na Dilma, mesmo que eles saibam que meu candidato a presidente é Plínio de Arruda Sampaio. Não adiantou…

Não vou copiar os textos e publicar aqui, mas vale a pena ter uma ideia do que ando recebendo (os trechos em negrito correspondem aos títulos das mensagens):

  • 500 mulheres cearenses! É INACREDITÁVEL. Trata sobre supostas alunas de um curso dedicado a beneficiárias do Bolsa Família “que não quiseram trabalhar com carteira assinada para não perderem o benefício”. Pergunto: alguém em sã consciência acredita nisso? Para quem não sabe, o Bolsa Família é apenas assistência, não salário – se alguém deixa de trabalhar para receber o benefício, é sinal de que trabalhava por um salário de fome.
  • Iran ??? Esse é barbada: criticando o acordo com Ahmadinejad. Interessante é que a mensagem apresenta as supostas penas aplicadas no Irã como coisas terríveis. Pura demagogia, visto que quem manda essas mensagens costuma defender que se faça as mesmas barbaridades aqui no Brasil.
  • Indígenas e Quilombolas. Texto de um suposto general do Exército, que embasa seus argumentos em reportagem pra lá de preconceituosa da revista Veja. Sem comentários…
  • A PERGUNTA QUE NÃO QUER CALAR!!! Bizarro: diz que se Dilma Rouseff for eleita presidenta, não poderá entrar nos Estados Unidos por ter participado do sequestro do embaixador Charles Elbrick, em 1969… ACREDITEM SE QUISER, EU RECEBI ISSO!!! Esse eu respondi recomendando mais cuidado com o repasse de e-mails sobre política (sugerindo, inclusive, que não se repasse nenhum, devido a informações totalmente falsas, como essa da participação de Dilma no sequestro do embaixador estadunidense).
  • Texto de posse Sarkozy!!! – Muito bom. Suposto discurso proferido por Nicolas Sarkozy ao tomar posse na presidência da França. Claramente conservador – como não deixaria de ser, né? Ao final, após a suposta mensagem do presidente francês, a “conclamação”: “se você não é um dos aninhados nas benesses do poder, nem recebe bolsa de merda alguma, passe à frente” – nem preciso dizer que NÃO passei (ou que só o fiz agora, para esculachar).
  • O assunto é sério, Urnas viciadas. Bem “teoria da conspiração”, né? Mas não é uma simples corrente distópica: as “urnas viciadas”, é claro, beneficiam Dilma Rousseff.
  • DIREITOS HUMANOS. Mais um daquela série “direitos humanos para humanos direitos”, recomendando que “quem deseja tratamento digno a delinquentes os leve para casa”, típico papo direitoso (para não dizer FASCISTA). Esse eu respondi dizendo que não quero levar um criminoso para a minha casa, e sim que ele pague por seu crime e que possa se reabilitar, de forma a sair da prisão e ter uma vida digna. E não é com tratamento desumano (como defendem os direitosos) que isso acontecerá.
  • O Viajante. Texto supostamente de Joelmir Beting criticando as viagens de Lula – e não só ao exterior, como dentro do Brasil mesmo! Ou seja, o presidente da República não pode visitar vários Estados e conhecer melhor o país que ele mesmo governa, e sim, deve se limitar a seu gabinete em Brasília.
  • Apenas Isto !! O título não é nada demais, mas o texto já começa “mal”: falando do pai de Dilma, o búlgaro Petar Russev (que no Brasil passou a assinar Pedro Rousseff), que teria “deixado um filho na Bulgária” e vindo para cá (mas o porquê ninguém explica, embora esteja implícito na mensagem: Russev era filiado ao Partido Comunista Búlgaro – provavelmente tenha sofrido perseguição política em seu país, visto que na época a Bulgária se aliara a Hitler). Depois, fala que a família de Dilma “não passava dificuldades” (interessante, visto que em geral quem repassa essas bobagens não passa lá muitas dificuldades também…), e finalmente, como não podia faltar, a acusação de “terrorista” nos anos 60 e 70 – como se o regime político no Brasil da época fosse muito democrático.
  • Não é preciso comentar. Totalmente bizarro! A mensagem começa com uma pergunta: “você votaria nisso?”, e depois aparece uma foto de Dilma fumando um charuto… Que qualquer amador em Photoshop faz! E UM MONTE DE GENTE REPASSOU ACHANDO QUE ERA SÉRIO!!!
  • Fiquem os atentos …Cadê As Meninas d o Jô? (sic) Perguntando por onde andam as tais “meninas do Jô”, que obviamente teriam “saído do ar” (aliás, quando é que entraram?) por “imposição deste governo autoritário”. O texto chega a falar que os mesmos motivos teriam sido a causa da demissão de Boris Casoy! Não aguentei e respondi perguntando quando que Casoy havia sido demitido da Band – e dizendo que se confirmada a notícia, tomaria uma cervejada para comemorar.
  • Desabafo de um pai. Aquele suposto relato do suposto pai de um suposto soldado morto por uma bomba, que teria sido atirada de um carro onde estaria Dilma (mesmo que não haja prova alguma de que ela tenha participado de ações armadas). Mensagem naquele estilo “ela é terrorista” (e a ditadura, que torturava e matava, claro que não era).
  • O que nos reserva o futuro… Essa começa com o já clássico “Acorda Brasil”, e depois cita a suposta entrega de um prêmio da Associação Juízes para a Democracia ao MST como “coisa terrível”: afinal, conforme disse a Veja (só podia ser, né?), o MST “destroi a Amazônia” (interessante saber que o panfletão, tradicional defensor do agronegócio e que chamava ambientalistas de “ecochatos”, decidiu defender a natureza…). E também bate no PNDH-3, que “acaba com a propriedade privada” (praticamente uma religião para os direitosos).
  • ENFIM SAIRAM DA TOCA. Mais uma batendo no “decreto comunista” do Lula, o PNDH-3… Uma das mensagens, aparentemente enviada originalmente a uma pessoa, começa com… REINALDO. Só pode ser aquele humorista (pois só como humor para levar aquilo em consideração) da Veja.

E agora, a mais recente, e bizarríssima. Não fala diretamente do Lula, mas…

É um arquivo “pps” (claro!), chamado “No Reino do Brasil”, criticando a carga tributária. É verdade que temos impostos demais se considerarmos o retorno para a sociedade (o que me faz ser não contra os impostos, e sim a favor de que eles sejam mais revertidos para a população), mas a mensagem é pura baboseira neoliberal: considera os empresários como “bobos da corte” (hã???), chama “salário” de “produção” (ou seja, que cada um recebe o equivalente ao que produz, o que quer dizer que “o mundo é justo”), e no final, obviamente, diz que a “nobreza” (políticos) distribui “migalhas” ao “povão”, na forma de “bolsas” (viram como o Lula não escaparia?). Quando na verdade o que vemos é justamente que certos empresários, aqueles “graúdos”, é que são os verdadeiros “nobres” da história… Tanto que quando a coisa fica feia para eles, vão correndo pedir ajuda ao Estado, para se recuperarem e depois continuarem com suas pregações em favor do laissez-faire.

São tantas mentiras, tantas besteiras… Que decidi usar as mesmas palavras de ordem dos que produzem tais bostas.

ACORDA BRASIL! Vamos parar de repassar correntes!

————

Outro texto interessante acerca do tema “correntes eleitorais”, que vale muito a pena ser lido, é do Vinicius Duarte – ele detona a besteirada que andaram espalhando por aí, de que o governo teria criado uma tal de “Bolsa Bandido” (essa eu ainda não recebi).

A origem do SPAM

Originalmente, SPAM é o nome de um tipo de carne enlatada, parecida com uma presuntada. O nome vem de Spiced Ham, que significa “presunto apimentado”.

Nunca eu havia entendido o porquê de chamarem spam às mensagens de e-mail indesejadas, até assistir ao hilário vídeo abaixo, do sempre hilário grupo inglês Monty Python.

O vídeo foi indicado pelo Kayser, na postagem que ele escreveu sobre a transmissão do último Gre-Nal pelo canal FX.

Manifestação foi um sucesso em São Paulo

De acordo com o Eduardo Guimarães, mais de 200 pessoas se reuniram no MASP (Museu de Arte de São Paulo) para manifestar seu repúdio ao presidente do STF, ministro Gilmar Mendes. O ato teve visibilidade, e chamou a atenção inclusive da “grande” mídia – uma equipe da Globo esteve presente no local, filmou tudo e prometeu apresentar matéria no “SPTV 2ª edição” (telejornal local), às 19 horas.

Também estiveram presentes a TV Cultura, a Radiobrás, a NGT (canal 48 UHF de São Paulo) e um repórter fotográfico do jornal O Estado de São Paulo.

———-

Já aqui em Porto Alegre, cerca de 20 pessoas – bem menos do que eu esperava – se reuniram no Monumento ao Expedicionário, no Parque da Redenção. Por parte da imprensa, cobertura do Jornal Já, que mandou a repórter Naira Hofmeister ao local.

Houve falha de nossa parte: não levamos nenhum cartaz, nenhum panfleto para chamar a atenção de quem passava pelo local. Quem via de longe aquela nossa roda de discussão, jamais pensaria que se tratava de uma concentração para protestar contra Gilmar Mendes.

Mas também pensei: PQP, esses gaúchos são acomodados mesmo! Mandei e-mail a cerca de 30 pessoas falando sobre o ato, a maioria de Porto Alegre. Dos meus contatos daqui, ninguém apareceu no Monumento ao Expedicionário.

Não foi à toa que um dos presentes, o amazonense Marcelo, disse ter ficado surpreso com o pouco número de presentes no local. Afinal, os gaúchos adoram se exibir, repetindo a balela de que o Rio Grande do Sul é o “estado mais politizado do Brasil”.

Vírus burro

Sempre que confiro meus e-mails, verifico a pasta de spam. Às vezes recebo ali mensagens que não são indesejadas. Do mesmo modo que muitas vezes o spam vai parar na caixa de entrada.

Eis que, agora há pouco, verifico a pasta de spam e vejo lá um e-mail com remetente “Orkut” e título “Você recebeu um VideoScrap”. Obviamente que era vírus, nem abri, mandei pro espaço.

Nem me interessava saber de quem era o negócio, pois saí do Orkut há quase dois anos…