“O que fazes da tua vida”

Sabe aquele famoso ditado “as aparências enganam”? Pois é, para o capitalismo são elas as determinantes, como mostrou o ótimo texto do André lá no Cataclisma 14.

Pouco importa que o cara seja uma pessoa decente, se não tiver no currículo trocentas horas de seminários e workshops (que não são de graça), cursos de línguas estrangeiras (igualmente pagos), e claro, a experiência (de tanto a pedirem para qualquer porra, vai chegar a hora em que ninguém mais a tem por não ter recebido uma primeira chance).

Ao mesmo tempo, se o cara tiver tudo o que o “mercado” pede, não significará problema ser um baita “pau no cu”. E, mais, pode até mesmo ser um zero à esquerda, mas que fez curso de inglês e é amigo do primo em terceiro grau do dono da empresa.

Anúncios

Não é mentira!

Após o surgimento da polêmica sobre um mestrado (ou um doutorado?) da ministra Dilma Rousseff que jamais teria sido cursado, tem mais essa. Existia na plataforma Lattes do CNPq o currículo de… Galvão Bueno! O narrador da Globo, pelo documento, seria doutor em Física!

O currículo Lattes é um dos mais importantes documentos para um pesquisador acadêmico: quanto mais extenso – o que não quer necessariamente dizer “melhor” – maior é a chance de se conseguir financiamento para projetos de pesquisa. O exemplo de Galvão Bueno demonstraria o quanto é complicado usar o Lattes – no formato atual – como importante critério, visto que a plataforma seria vulnerável a fraudes.

Cito meu próprio exemplo: se quiser posso adicionar ao meu currículo participações em simpósios inexistentes e fluência em idiomas os mais diversos possíveis, mesmo que não saiba nem pedir água com o uso deles. Eu sou honesto, o problema são os desonestos… Pois em tese, adicionar dados falsos é, obviamente, falsidade ideológica. Mas, dependendo da universidade que o sujeito tentar um mestrado ou um doutorado, pode se traduzir em vantagem, caso as informações não sejam verificadas.

Porém, dizer que o currículo do Galvão Bueno é totalmente falso, também é uma desonestidade. Já toquei no assunto faz mais de dois anos, lembrando a final da Libertadores de 2005, quando o narradoutor demonstrou seu conhecimento de Física. Mas, numa transmissão que mais parecia uma banca de doutorado, foi contestado por seu par, o doutor Arnaldo…