Um Grêmio mais caro

O Grêmio tem contratado bastante recentemente. Se será vencedor neste ano que começa, ainda acho cedo para prever: em janeiro de 2000, a torcida estava empolgada com os nomes que chegavam ao Olímpico (Paulo Nunes, Zinho, Astrada etc.), mas ao final daquele ano nenhuma taça entrou na sala de troféus do estádio. Obviamente minha torcida é para que em 2012 não se repita nem 2000, nem os últimos 10 anos.

De qualquer jeito, já senti diretamente no meu bolso um impacto das contratações: o aumento da mensalidade. Como pago tanto a minha como a da minha mãe (nada mais justo, já que comecei a ser sócio há mais de 10 anos porque ela pagava), hoje se foram 172 reais de minha conta bancária: 86 para cada boleto. Em 2011, a mensalidade era de 69 reais.

Não estranho: o dinheiro para pagar os salários do clube sai de algum lugar. De investidores, patrocinadores e… Dos sócios. Normal.

Mas, depois de um aumento de quase 25% na mensalidade, não peço mais ao Grêmio que ganhe títulos de verdade: passo a exigir. Quero, no mínimo, a Copa do Brasil.

Até porque será preciso taças para que esse time se pague…