O que espera pelos turistas

Saio para a rua e deparo com um baita cocô no chão. De cachorro ou de gente, pouco importa: bosta é bosta. É uma merda.

E não pensem que isso é “coisa de periferia”: caminhando por bairros de classe média, é preciso cuidar bastante, por causa dos restos deixados por cachorros de madames.

Só imagino um turista passando pelos espigões de 72 metros da Azenha (afinal, juram que aquilo vai trazer muitos turistas para Porto Alegre). Se é altura que o atrai, obviamente ele vai caminhar olhando para cima, e por isso não perceberá o cocozão no chão…