O nosso Guaíba

Vídeo que mosta, em sequência de fotos obtidas durante passeio no Cisne Branco em 5 de abril de 2008, a imundície em nosso Guaíba. As legendas são baseadas em texto que escrevi no mesmo dia, após retornar do passeio.

Aliás, ao lembrar disso eu penso: por que perder tempo em estúpidas discussões quanto ao Guaíba ser rio ou lago? Pela lei é rio, mas a definição técnica deixemos para os acadêmicos (geólogos, geógrafos etc.) discutirem em seu espaço (ou seja, a universidade), e nos preocupemos em exigir que se pare de poluir o Guaíba!

Anúncios

As fotos da vergonha

Não são de Grêmio x Juventude, e sim, da poluição no Guaíba. Foram tiradas durante o passeio de sábado no Cisne Branco.

Clique para acessar o álbum.

A imundície do Guaíba

Hoje pela manhã, aconteceu um passeio no Cisne Branco, patrocinado pela Comissão de Saúde e Meio Ambiente da Câmara Municipal de Porto Alegre, para verificação dos problemas ambientais no Guaíba. Além de vereadores, participaram também representantes de associações de moradores e movimentos populares. Junto com o meu pai, fui um dos representantes dos Amigos da Rua Gonçalo de Carvalho. O barco não fez seu tradicional roteiro turístico, mas sim, passou pelos pontos mais poluídos do Guaíba. E o que vimos é simplesmente estarrecedor.

O local onde é feita a captação da água que chega às casas da maioria da população de Porto Alegre é também onde é despejado o esgoto dos bairros da Zona Norte, que é justamente onde vive a maior parte dos porto-alegrenses. Isto não é motivo para deixar de usar água da torneira para consumo, já que ela é tratada, mas vejam: quanto mais poluída a água, mais dispendioso é o seu tratamento.

Chegamos a navegar um pouco pelo Rio Gravataí, que marca o limite norte do município de Porto Alegre, onde não existe água propriamente dita, e sim um “caldo”, sem vida alguma. Muito fedor e muito lixo: sapatos, garrafas plásticas, caixas… Algo que, sim, sabemos que acontece mas quase não vemos, já que viramos as costas e fazemos de conta que não é problema nosso.

Em outros pontos do Guaíba o cheiro não era tão forte, mas também havia muito lixo, tanto boiando quanto acumulado nas margens. E, incrível: chegamos a ver uma tartaruga nadando naquelas águas, era literalmente a vida desafiando a morte.

Em breve, as fotos do passeio.