O dia mais esperado dos últimos meses

É hoje, 20 de março. Acabou a bosta do verão!!!

É um fato que merece ser bebemorado com uma cerveja gelada (e não pensem que isso é contradição: cerveja gelada cai bem em qualquer época do ano, e para quem não gosta de frio, não custa nada lembrar que o álcool esquenta o corpo).

Esse calorão desgraçado que tem feito desde novembro – com alguns breves intervalos – não deixará saudade nenhuma. Não tenho ideia de quantos litros de suor destilei desde então, mas certamente não foi pouco.

É verdade que o calor continua hoje em Porto Alegre (e agora ele merece o título de invasor – igual aos Estados Unidos no Iraque, há exatos sete anos completados hoje). Mas há a esperança de, em breve, voltar seco da rua, sem aquele fedorão provocado pelo suor. Assim como de usar um casaco, por mais leve que seja: tem gente que detesta, eu simplesmente adoro, muito melhor do que vestir bermuda e camiseta e mesmo assim suar.

Tem também as maravilhas culinárias que caem bem quando faz frio. Sopão, fondue… Além de uma boa feijoada – é bom em qualquer época do ano, é verdade, mas no frio é muito melhor. Para acompanhar, um bom vinho – que definitivamente, não combina com o abafamento do verão de Porto Alegre.

Enfim, que venha logo o que a melhor estação do ano proporciona!

Sim, é o outono a minha estação preferida! Por um motivo muito simples: depois dele, vem o inverno… Não há aquela triste perspectiva de que as coisas só tendem a piorar nos próximos meses.

Anúncios

O Apocalipse desembarca no Sul

São duas previsões diferentes, mas que antecipam os dias de brutal calor que assolarão Porto Alegre. Não sei qual das duas é mais desesperadora.

A primeira é do CPTEC/INPE, que prevê temperatura MÍNIMA de 30°C para a quinta-feira. Para fazer tanto calor de madrugada, é preciso muita umidade: se com alta umidade 30°C de máxima já é ruim, imagine de mínima! Como faltam quatro dias, há a esperança de que a previsão mude ou erre.

Captura de tela feita ao meio-dia de hoje da previsão do CPTEC/INPE (clique para ampliar)

Já a do Correio do Povo de hoje não aponta tamanho calor pela madrugada, mas em compensação, prevê dois dias (sexta e sábado) com máxima de 40°C, o que representa risco à saúde. Muito mais danoso do que o frio (claro que não falo de Sibéria): quando a temperatura está baixa, a solução é se agasalhar e se abrigar – diferente do calorão infernal previsto para Porto Alegre nos próximos dias, pois mesmo que fosse permitido andar PELADO na rua, não se evitaria o risco de hipertermia.

O que mata no inverno não é o frio, e sim a desigualdade social – ou alguém acha que na Escandinávia, onde faz muito mais frio do que aqui, morre muito mais gente? É capaz de até serem registradas menos mortes… Lá existe distribuição de renda. Entendo que as pessoas mais pobres não gostem do inverno: afinal, não tendo muito dinheiro para comprarem roupas, qualquer frio representa sofrimento.

Assim como quem mora em cidades onde é quente o ano inteiro, o que faz qualquer queda maior na temperatura ser muito sentida. É preciso um certo tempo para se acostumar (inclusive acho que o ideal é pegar de cara um inverno dos mais frios, aí dá para aguentar melhor os seguintes que forem menos frios).

Agora, quem mora aqui há anos e não passa dificuldades, por favor… Se está com frio, vista um casaco! Pés gelados? Meias grossas são a solução. Mãos geladas? Luvas nelas!

Não gosta de usar casaco? Pois eu não gosto de bermuda, só uso para passar um pouco menos de calor – diferente do casaco no inverno, que esquenta o corpo, inclusive, dando uma caminhada é até possível sentir… Calor!

————

Tudo bem, tudo bem, sei que muitos devem estar pensando: “esse cara exagerado aí, falando de apocalipse, pensa que pode mandar o verão embora”. Sei que (infelizmente) não posso, tudo isso é apenas um desabafo. A maioria acha o verão uma beleza. A mídia, então… Só fala de praia e “corpo bronzeado” essa época (bem que podiam não mostrar aquelas imagens de gente torrando no sol ao meio-dia, isso faz muito mais mal à saúde do que frio).

Um interessante paradoxo: um monte de gente, bem de vida, diz adorar o calor, mas no primeiro sinal do verão, corre para a praia, onde… Faz menos calor! Na praia, até eu gostaria do verão – agora, em Porto Alegre, simplesmente não dá.

Já no inverno, quem gosta do frio quer ir para onde faz mais frio, e não fugir dele. Se eu gostaria até de ir morar em São Joaquim… Só não vou porque não tenho como.