Quatro anos de Cão Uivador

Quatro anos é o tempo que separa duas Copas do Mundo, duas edições dos Jogos Olímpicos (“olimpíada” era o termo grego que designava este período)… É também a duração dos mandatos eletivos no Brasil (exceto os de senadores, que duram oito anos) e em vários países.

E, hoje, é também o tempo de existência do Cão Uivador, surgido no final da tarde do dia 14 de maio de 2007, de uma conversa que tive com o meu pai. Eu já tinha um blog, chamado Kardía (êta criatividade para nomear um blog…), que criei em 2005 e já no ano seguinte pensava em mudar pelo menos o nome, para que ficasse com uma cara menos “pessoal” – embora, sendo escrito apenas por mim, obviamente continuasse a ser pessoal. Mas me faltava uma ideia para nomeá-lo. Então o pai lembrou de um poema que escrevi em 21 de setembro de 1991, chamado “Cão Uivador Incolor” – e daí surgiu não apenas o nome do novo blog (decidi terminar o anterior), como a primeira postagem.

Alguém pode perguntar sobre o link para o blog antigo, só que o deletei em 2009. É que já não concordava mais com muito do que escrevi no Kardía (sem contar que achava os textos meio bobos, mal-escritos…). Mas, como andei relendo alguns daqueles textos (salvei no HD antes de mandar pro espaço) e notei que alguma coisa é possível de ser aproveitada, anuncio planos para o futuro próximo: algumas postagens “pré-caninas”…

Nesses quatro anos que se passaram, escrevi 1.129 postagens (contando com esta), que receberam 3.862 comentários, falando sobre os mais variados assuntos. Curiosamente, embora a origem do blog seja a poesia, raramente ela se fez presente aqui. Taí algo para ser implementado no futuro “canino”.

Outra coisa que também quero falar no blog é sobre alguma grande conquista do Grêmio sem precisar usar os verbos no pretérito. Logo nas primeiras semanas do Cão eu sonhei com a Libertadores de 2007, mas tinha um Riquelme no meio do caminho. No ano seguinte quase veio o Brasileirão, que conseguimos a façanha de perder. Depois, mais nada, exceto o Gauchão de 2010 – e, espero que amanhã venha o de 2011, mas é muito pouco.

Há também as utopias, que norteiam o pensamento deste que vos escreve. Justiça social, fim da discriminação, do preconceito, uma sociedade mais solidária e menos individualista… Ideais pelos quais, modéstia à parte, sei que fiz alguma coisa (embora ache pouco) nesses quatro anos – e pretendo continuar por não apenas mais quatro. Espero que, no dia em que este blog encerrar suas atividades (seja pelo motivo que for), tenhamos um mundo melhor que o de quando ele começou.

Por fim, obviamente não posso deixar de registrar meus mais sinceros agradecimentos a todos os leitores, que são a razão de existir do Cão. Afinal, sem ninguém para ler, um blog não tem como fazer alguma diferença. Um grande abraço, e muito obrigado!

Anúncios

Três anos de Cão Uivador

Hoje é um dia especial para o Cão Uivador: o blog completa três anos de existência.

Desde 14 de maio de 2007, postei 851 vezes aqui, recebendo 2591 comentários (fora os de trolls que apago sumariamente desde janeiro de 2009) até o momento em que publico este texto.

Aliás, o número de comentários mostra o quanto o Cão cresceu de importância nos últimos tempos: lembro bem que o milésimo comentário foi publicado em novembro de 2008 – ou seja, um ano e meio atrás, e quando o blog tinha também um ano e meio de existência. De lá para cá, foram mais de 1500 comentários publicados – e isso que barrei os trolls!

O número de acessos também é algo a se comemorar. Um ano atrás, eu celebrava os dois anos e também as 100 mil visitas desde 17 de agosto de 2007 (quando o Cão veio para o WordPress). Agora, já são quase 174 mil – ou seja, provavelmente as 200 mil serão alcançadas em um tempo bem menor do que eu esperava em 14 de maio de 2009.

Claro que esses números não são nada se comparados com blogs ligados à “grande mídia”. Mas para um blog pessoal (mesmo que não tratando de temas exatamente pessoais), até que não é tão pouco.

Sem contar que o fato de vez que outra ter de apagar comentários de trolls indica que eu incomodo algumas pessoas com o que eu publico aqui… Digo mais: sempre que um carinha desses aparece por aqui com xingamentos, apenas me motiva a escrever ainda mais. Assim, por conta disso, quero deixar publicamente registrado meu agradecimento a tais figurinhas.

Mas agradeço ainda mais aos leitores que não aparecem por aqui para xingar – ou seja, a maioria. São aqueles que gostam de ler o que escrevo aqui, às vezes comentam, elogiam e também criticam (ninguém é obrigado a concordar com nenhuma ideia, e não esqueçamos que para formarmos nossa opinião e fundamentá-la bem é preciso saber o que pensam e argumentam os outros, nem que seja apenas para discordar).

Afinal, o que seria do Cão se não fossem vocês, leitores?

“Plebiscito” no Cão Uivador

Em janeiro, decidi adotar uma nova “política de comentários”. Pois o blog estava sofrendo incursões de nazi-fascistas que vinham aqui defender Coronel Mendes, pena de morte e outras barbaridades. Passei a me utilizar do “poder” que tenho como moderador do blog, para bloquear tais manifestações. Como disse um professor da faculdade, “não se pode ser tolerante com os intolerantes”.

As regras não atingiram apenas os nazi-fascistas. O Cão Uivador é abertamente gremista, mas tem muitos leitores colorados. Não é um blog dedicado exclusivamente a futebol ou ao Grêmio, ou seja, não é escrito apenas para os gremistas. Existem blogs que tratam apenas do Grêmio ou do Inter.

Porém, desde o começo de 2008, tem sido comuns as incursões de colorados “pifados”. O uso do termo se explica pela mania deles de quererem diminuir qualquer conquista do Grêmio, por mais importante que seja – e o símbolo maior desta “dor de cotovelo” é o negacionismo em relação ao título mundial do Grêmio, só porque a FIFA não colocara o nome dela no caneco em 1983 – pois não tinha intere$$e nisso. Muitos colorados se vangloriaram de serem “campeões da FIFA” em 2006, e pouco tempo depois viram seu time ser eliminado na primeira fase da Libertadores e, pasmem, do Gauchão. Aí apareceu o aviãozinho com a faixa “Campeão do Mundo PIFA” sobrevoando Porto Alegre, em homenagem à arrogância que tomara conta de muitas mentes vermelhas.

Os colorados “pifados” são uma praga tão terrível quanto os nazi-fascistas. Pois o que mais fazem é tumultuar os debates sérios. Já aconteceu de eu escrever uma postagem que nada tinha a ver com futebol, e um “pifado” escreveu besteiras, desviando totalmente o foco da discussão: no caso, era sobre a tragédia da chuva em Santa Catarina, mas acabou virando futebol.

E mesmo nos textos sobre futebol, a baixaria acaba tomando conta. Pois os “pifados” não tocam uma flauta de qualidade, com ironias como as do meu pai (o Cesar) ou o sarcasmo do meu amigo Antonio Duarte. Os “pifados” só provocam, falam idiotices. Esquecem que há diversos blogs colorados para escreverem as suas “pifações” – só lamento que façam isso em blogs de qualidade, que obviamente também existem no lado vermelho.

Cheguei a pensar em não escrever mais sobre futebol, mas sei que muita gente gosta do assunto. Então, decidi saber o que pensam os leitores, razão de existir de qualquer blog. Não deixem de votar.

E, por favor, sem “pifações” nos comentários.

Por um 2009 utópico

mafalda

A mensagem acima foi enviada pela amiga Cláudia Cardoso, do Dialógico. Considero-a perfeita para a época em que vivemos.

Pois pensar em um 2009 de paz parece difícil, diante da barbárie perpretada pelas forças israelenses na Faixa de Gaza. Prosperidade, depende de qual tipo se quer: se o objetivo é só ganhar dinheiro, isso nunca foi possível para todos, e com a crise será privilégio ainda mais restrito. Amor, é algo cada vez mais em falta. Justiça e igualdade parecem piada. Recompensa pelo esforço, assim como o Guile (irmãozinho da Mafalda), eu nunca vi. Desejos cumpridos, nunca se consegue todos – e na maioria dos casos, não dependem apenas de nós. E um mundo em que se realizem as utopias… Bom, é mais uma utopia.

Então, que tal pelo menos fazermos nossa parte para que tenhamos um pouco de tudo o que citei acima?

Que haja prosperidade não só em termos materiais: tem coisa muito mais importante que dinheiro. O ano de 2008 foi a prova disso para mim, quando conheci pessoas fantásticas, que fazem sua parte na luta por um mundo melhor. Posso dizer que enriqueci muito nesse ano que termina, mesmo sem ganhar muito dinheiro.

Diante da guerra e da injustiça, manifeste seu repúdio, não faça de conta que “não é da sua conta”: hoje é no Oriente Médio; no futuro, quem garante que não será aqui?

Já que o amor está em falta, contribua para que falte menos.

Lute por mais justiça e igualdade.

Tenha desejos, sonhos, mas não esqueça de fazer o necessário para que se tornem realidade.

E, quanto às utopias, passo a palavra para Mario Quintana:

Se as coisas são inatingíveis… ora!
Não é motivo para não querê-las…
Que tristes os caminhos, se não fora
A mágica presença das estrelas!

Um abraço a todos os leitores do Cão Uivador, e feliz 2009!

Cão Uivador pautou ZH?

O caderno “Cultura” da Zero Hora de sábado deu destaque ao atual desencanto de muitas pessoas com a política, em comparação a 1984, que no Brasil teve não o Big Brother, mas sim um dos maiores movimentos de massas de nossa história, pedindo eleições diretas para presidente naquele ano. As diretas ficaram para 1989, mas quem participou dos comícios em 1984 certamente jamais esquecerá a experiência.

O curioso é que a Zero Hora usou a fórmula “desencanto em comparação com as Diretas Já!” poucos dias depois de eu publicar o depoimento do meu pai sobre aquela época. O texto que ele escreveu fazia referência à discussão sobre anular ou não o voto no dia 5 de outubro, que o Hélio Paz iniciou no dia 14 e retomou na terça passada, após eu publicar o texto do meu pai.

Certamente foi mera coincidência tal fato… Ou será que realmente o Cão Uivador pautou a Zero Hora?

30.000

Mais um “número redondo”: o Cão ultrapassou nesta quarta-feira a marca de 30.000 visitas desde 17 de agosto de 2007, quando passou a ser hospedado no WordPress.

Vale a pena chamar a atenção para a “rapidez” com que tal número foi atingido: o blog alcançou 10.000 visitas em 23 de janeiro, e 20.000 em 23 de abril. E uma coincidência: todos os “números redondos” (10.000, 20.000 e 30.000) se deram em quartas-feiras.

Mais uma vez (ou melhor, 30.000 vezes), obrigado leitores!

UM ANO DE CÃO UIVADOR

Hoje este blog completa um ano de existência. E quem ganha o “presente de aniversário” é o leitor: uma nova seção, dedicada à História. São os Uivos Históricos.

A idéia nasceu do fato de que muitos trabalhos que escrevi ao longo dos quase quatro anos e meio que já passei freqüentando o curso de História da UFRGS provavelmente acabariam guardados em um armário, visto que não serão utilizados na produção do meu TCC, ano que vem. O que não quer dizer que eles não valham nada. Sinceramente, não vejo motivos para me sentir empolgado ao escrever um trabalho se ele apenas servir para a nota em uma cadeira. Mais do que “valer nota”, ele precisa ser lido, e (por que não?) criticado.

Os “Uivos Históricos” começaram a ser publicados hoje, incompletos. Porque eu tinha decidido publicá-los hoje justamente em comemoração pelo 1º aniversário do Cão. Mas quando eu tive a idéia, há cerca de um mês atrás, achei que hoje teria tudo pronto. Mera ilusão… Não escrevo aqui por dinheiro: o “combustível” do Cão Uivador ao longo de seus primeiros 366 dias de existência foi o prazer que sinto ao escrever e o fato de saber que existem pessoas que visitam regularmente o blog, seja para concordar ou discordar. Não posso passar um dia inteiro blogando, tenho mais coisas para fazer. Mas sempre que posso postar algo que considero importante, posto.

Aos leitores de todas as partes do mundo que passaram por aqui desde 14 de maio de 2007, o que tenho a dizer é meu mais sincero muito obrigado!

———-

Bom, não custa nada também conferir algumas estatísticas do primeiro ano de existência do Cão Uivador, referentes ao momento em que publico a postagem. Como o Blogspot não tinha estatísticas, elas são referentes ao período a partir de 17 de agosto de 2007 (exceto quando eu disser que ela se refere a todo o primeiro ano de existência do blog), quando mudei o Cão para o WordPress:

  • Total de visitas: no momento em que publico a postagem, o blog já teve 23.719 visitas. Como não há estatísticas referentes ao período de 14 de maio a 17 de agosto de 2007, especulo que em um ano de existência o Cão já tenha tido quase 30 mil visitas;
  • Postagem mais comentada: Só perde a final quem chega lá!, publicada em 21 de junho de 2007, quando o Cão ainda estava no Blogspot. O objetivo era exaltar a campanha gremista na Libertadores 2007, mas o Valter inventou de falar daquela besteirada colorada de “tríplice coroa” e aí a discussão sobre isso tomou conta dos comentários, que chegaram a um total de 20;
  • Postagem mais vista: A fome no mundo, publicada em 13 de setembro de 2007. Já são 913 visualizações até agora;
  • Postagem mais vista em um único dia: Caso Isabella: o “fato-ônibus”, publicada em 11 de abril de 2008. No dia 14 de abril – quando se estabeleceu o recorde de visitas ao Cão em um único dia – a postagem foi visualizada 79 vezes;
  • Recorde de visitas em um dia: 280 em 14 de abril de 2008;
  • Recorde de visitas em uma semana: 1.250 nos períodos de 7 a 13 e de 21 a 27 de abril de 2008;
  • Recorde de visitas em um mês: 5.037 em abril de 2008;
  • Total de comentários (até a publicação desta postagem): 482.

Início

Ando com pouco tempo para escrever, mas decidi mesmo assim iniciar um blog novo. Pois se deixasse de fazer isso agora, acabaria não fazendo nem mesmo depois, e continuaria com o antigo.

Em breve, responderei ao desafio bloguístico proposto pela Mariana, e escreverei sobre “o Deus em que acredito”. O mais lógico seria eu fazer um post em branco, já que não creio em Deus. Mas vou escrever um texto sim.

Os motivos da mudança? Eu pensava em apenas mudar o nome do meu blog (tinha uma cara muito “pessoal”). Mas tinha um problema: o endereço continuaria o mesmo de antigamente. Por isso, decidi “mudar tudo” de uma vez.

A inspiração para o nome vem da (verdadeira) postagem inicial: o poema “Cão Uivador Incolor”, que escrevi aos 9 anos de idade. Foi o meu primeiro, e o segundo demorou mais de dez anos para acontecer. Vou ser honesto: foi uma “inspiração indireta”, pois em conversa com meu pai sobre a dúvida quanto ao nome do novo blog, ele lembrou do poema. E daí saiu o nome do blog: CÃO UIVADOR.

Dois avisos. O primeiro: o cão pode ser incolor, mas seus uivos futebolísticos têm cor, melhor, três cores: azul, preto e branco. E o segundo: eles sempre estarão à esquerda.

Cão Uivador Incolor

Era 20 de setembro
Nasce o cão
O cão uivador
Que traz a alegria
No silêncio da noite

———-

Poema escrito por mim em 21 de setembro de 1991, quando tinha 9 anos de idade. Ironicamente, o que menos escrevo é poesia. Mas vez que outra, acontece de surgir alguma em meus pensamentos.