Cálculo renal: melhor prevenir ou tratar antes da dor

Uma ecografia revelou que tenho um cálculo de 4,2mm no rim direito. Bom saber, pois assim vou em busca de tratamento antes que ele me incomode, né?

Na verdade, bom mesmo seria tê-lo descoberto totalmente por acaso. Pois fiz a ecografia por ter ido parar na emergência do Hospital Ernesto Dornelles na manhã da última terça-feira, com uma forte dor lombar à esquerda e ardência nas vias urinárias: a ecografia não revelou nenhuma pedra no rim esquerdo, mas o exame de urina detectou sangue acima do normal, tornando improvável que a dor não fosse causada pelo fato de estar expelindo um outro cálculo renal – que obviamente estava no rim esquerdo.

Senti a primeira cólica na madrugada do sábado passado e até fui à emergência da Santa Casa à tarde (pela manhã estive abraçando o Olímpico, não podia deixar de fazer isso), mas como estava lotada e não sentia nada no momento, voltei para casa e nem procurei outro hospital. Na madrugada seguinte, nova cólica, mas aí comecei a tomar remédios para a dor – que só voltou na fatídica terça-feira.

Se a pedra no rim direito tivesse sido descoberta ao acaso, em um exame de rotina, talvez eu estivesse mais tranquilo quanto a ela. Porém, agora já sei o que é ter uma cólica renal, e percebo que ela pode ser pior: já vi um amigo meu literalmente urrar por conta da dor causada por um desses cálculos malditos, o que não chegou a acontecer comigo. Fazendo uma analogia geológica, é como uma região suscetível a terremotos, que passou por um de intensidade moderada: sempre é possível que venha outro bem mais forte. E o pior: assim como não há como prever os sismos, também é impossível saber o momento em que aquele cálculo no rim irá provocar dor.

Porém, há diferenças em favor das pedras: enquanto nem o mais genial geólogo pode controlar a tectônica de placas, os cálculos podem ser tratados e, principalmente, evitados – tomar bastante água, para diluir a urina e dificultar a formação das pedras, já ajuda.

E é importante também fazer exames regularmente – cristais de oxalato de cálcio na urina são um sinal de alerta, pois tal substância é das principais formadoras de cálculos renais. Como já falei, é melhor descobrir e tratar de uma pedra dessas sem precisar sentir dor; já no meu caso, não quero senti-la novamente.