Antes de compartilhar, cheque a informação

No momento, a maioria das pessoas está dando bastante atenção à Copa do Mundo, o que é absolutamente normal. É assim em todas as Copas e nesta não se poderia esperar algo diferente, já que é no Brasil.

Porém, dentro de algumas semanas terá início algo que sempre se segue às Copas do Mundo: campanha eleitoral. E não é qualquer uma: em 5 de outubro votaremos para deputados estaduais e federais, senadores, governadores de Estado e presidente da República. E, em especial, é a disputa pela presidência que mais mobilizará os brasileiros: afinal, é o cargo máximo da política nacional.

Na eleição de 2010 (e na de 2006 também), a rede social mais usada pelos brasileiros era o Orkut, mas lá não havia a opção “compartilhar”. Assim, boa parte das informações (e também dos boatos) era passada e repassada via e-mail, e na “caça ao voto” o Twitter teve um papel muito mais relevante que o Orkut. Perdi as contas de quantas “correntes” recebi na minha caixa de e-mail…

Em 2014 temos uma situação diferente. Não apenas porque agora a rede social mais usada é o Facebook, mas principalmente por conta de suas particularidades: o botão “compartilhar” (que facilita muito o repasse de informação: ao invés de clicar em “encaminhar”, selecionar os contatos e depois clicar em “enviar”, o compartilhamento do Facebook atinge, com menos cliques, mais pessoas – eu, pelo menos, tenho muito mais contatos no FB do que na minha lista do e-mail) e a “economia” de palavras, como provam inúmeras imagens com textos curtos – afinal, se diz que as pessoas têm “preguiça” de ler na internet. Sem contar que muitos não clicam em links que levem para fora do Facebook (o que é um problema, pois isso tira tráfego de muitos sites e pode acabar por inviabilizá-los), e assim compartilhar “memes” é muito mais eficaz do que repassar um e-mail apenas com texto.

O Facebook é, portanto, um facilitador na tarefa de desmentir inverdades divulgadas pela mídia conservadora (imaginem se ele existisse na campanha eleitoral de 1989, por exemplo). Porém, as mesmas características que favorecem o desmentido também contribuem para que sejam divulgados ainda mais boatos, mais mentiras. Ainda mais com tantos “memes” que em poucas palavras “explicam” tudo. Pois como já disse, muitas pessoas perderam o hábito de acessar outras páginas que não o FB.

Porém, está chegando a hora em que não limitar sua navegação na internet ao Facebook será extremamente necessário. Pois a campanha eleitoral de 2014 tem tudo para ser a mais suja que o Brasil já viu, tornando 2010 “brincadeira de criança” (e olhem que já foi feia a coisa quatro anos atrás). Mais do que nunca, será preciso checar a informação recebida antes de clicar em “compartilhar”. E não é no FB que se faz isso – ele deve ser usado sim para espalhar os desmentidos a muitos boatos que serão difundidos.

Já detonei diversos boatos por aqui, tantos que nem recordo de todos. Mas certamente voltarei a fazê-lo durante a campanha eleitoral, e pretendo também buscar postagens antigas em que desmenti inverdades para organizá-las em uma lista, para facilitar o combate à desinformação nos próximos meses.

E também vale sempre uma visita ao E-farsas, que há anos desmente diversas farsas que circulam pela internet. E aqui, algumas dicas sobre como checar informações.

Anúncios

Por onde andam os “correnteiros”?

Em junho do ano passado, detonei uma série de correntes que tinham por objetivo difamar Dilma Rousseff. Meu objetivo não era defender a então candidata petista à presidência (até porque eu pretendia votar em Plínio de Arruda Sampaio, só mudei o voto “em cima da hora” para tentar derrotar o PSDB mais rapidamente), e sim, frear as mentiras que vinham sendo constantemente difundidas por reacionários mal-intencionados e também por “inocentes úteis” que repassavam aquelas bobagens.

Uma das correntes dizia que, se eleita, Dilma Rousseff não poderia pisar nos Estados Unidos, pois seria presa por ter participado do sequestro do embaixador Charles Elbrick, acontecido em setembro de 1969 no Rio de Janeiro. Logo, o Brasil teria uma Chefe de Estado que não poderia representar o país em solo estadunidense. Ruim, né?

Ruim mesmo era ter de desmentir uma idiotice dessas. Dilma militou em organizações de esquerda durante a ditadura militar, que inclusive empreenderam ações armadas, mas não há prova alguma de que a agora presidenta do Brasil tenha participado de alguma delas. E sequestros, pelo que eu sei, são ações armadas.

Os Estados Unidos realmente negam o visto de entrada a todos os participantes do sequestro do embaixador Charles Elbrick. E entre os vetados obviamente não está Dilma Rousseff, que inclusive já tinha ido aos EUA em várias oportunidades, acompanhando Lula como ministra de Estado que era. Já Franklin Martins, que também era ministro, nunca acompanhou o presidente justamente por ter participado do sequestro e, por isso, não conseguir visto. Outro que não pode entrar é Fernando Gabeira – inclusive, quando o filme inspirado em seu livro “O que é isso, companheiro?” começou a ser exibido nos cinemas dos EUA, Gabeira não pôde ir assistir à sessão de estreia.

E agora, de novo, Dilma está em solo estadunidense. E os “correnteiros”, onde estão?

Me antecipando a ela

Corre na internet a notícia de que será erguida em Brasília uma estátua do ex-presidente Lula, projetada para ser mais alta que o Cristo Redentor, ao custo de R$ 13 milhões (13 milhões? Coincidência?) para os cofres públicos. Parece absurdo, né?

Não parece: É ABSURDO. (Inclusive, a ausência das aspas na palavra “notícia” do primeiro parágrafo foi proposital: me divertir um pouco, imaginando quantos reacinhas não cairiam facinho nessa.)

Foi via Facebook que achei a matéria de Carlos Newton no Tribuna da Imprensa publicada no último dia 5, alertando para mais uma dessas malditas correntes. Criação de algum imbecil para desinformar as pessoas: ele ri, mas muito “inocente útil” já deve ter repassado essa bobagem, “espumando de raiva” contra “mais essa dos petralhas”.*

E tenho certeza de que em breve mais essa merda corrente chegará à minha caixa de e-mail

————

Fica uma dica aos leitores: antes de saírem repassando qualquer coisa, pesquisem na internet e chequem a informação. Pode até ser que não se trate de uma mentira (sabe lá se não é notícia em primeira mão), mas se for algo tão absurdo quanto uma estátua em homenagem a uma pessoa viva (ainda mais se acompanhada de comentários raivosos), é alta a chance de ser apenas mais uma dessas porcarias de correntes.

Para facilitar um pouco, indico textos que detonam algumas delas. Tem dois do Vinicius Duarte: um sobre a tal de “bolsa-bandido”, e outro simplesmente impagável sobre aquela “campanha cívica” para baixar o preço da gasolina.

E tem também os que escrevi aqui no Cão, em ordem cronológica (a maioria é relacionada à última campanha eleitoral, mas podem servir como lição):

  • Quem quer um Brasil melhor NÃO REPASSA CORRENTES! Neste aí, acabei com quinze desses e-mails;
  • Não alimente os trolls. Não foi exatamente sobre correntes, e sim sobre os malas que adoram tumultuar o debate em blogs – e enchem o saco também;
  • Depois dos concretoscos, os DIREITOSCOS. À medida que a campanha eleitoral de 2010 avançava, o nível das correntes baixava (e estávamos recém no final de julho). Neste, desmenti a suposta “censura” do governo federal contra o blog de uma jornalista que “desagradaria ao governo” por ser direitosa: na verdade, a “censura” se dera por ordem judicial de um deputado estadual do Mato Grosso, ou seja, nada a ver com Brasília;
  • Mais uma mensagem tosca… Não chegava a ser exatamente uma corrente, pois a informação de que o Brasil abriria uma embaixada em Tuvalu não era totalmente falsa: na verdade o relacionamento bilateral entre os países seria de responsabilidade da embaixada brasileira na Nova Zelândia. Mas foi preciso explicar que relações diplomáticas não são questão de governo, e sim de Estado: só imagino o que mundo pensaria se José Serra ganhasse a eleição e uma de suas primeiras medidas como presidente do Brasil fosse romper as relações com Tuvalu;
  • A última da “fábrica de correntes”. Esta era uma “pesquisa imparcial” que apontava ampla vantagem de Serra, com mais de 60% dos votos. Tão “imparcial”, que Dilma venceu a eleição com 56,05% dos votos válidos no 2º turno;
  • Tem gente que PEDE para não ser levada a sério. Na ânsia de chamar Dilma Rousseff de “ladra”, um amigo teve a ousadia de me enviar (mesmo eu sendo graduado em História) um vídeo de Jair Bolsonaro… Nem assisti até o fim, pois era muito previsível: Bolsonaro começou falando sobre o PNDH-3 – ou seja, a iminente implantação de uma “ditadura comunista” no Brasil – e depois certamente acusaria Dilma de ter sido “assaltante de bancos” na época da ditadura militar (que para o deputado foi o auge da democracia no Brasil), sem citar que não há prova alguma de que Dilma tenha participado de ações armadas, e também de que os “terroristas” dos anos 60 e 70 não combatiam um governo democrático – pelo contrário, o verdadeiro terrorismo era o governo;
  • Eu morro e não vejo tudo… Recebi uma suposta entrevista do nadador Cesar Cielo ao jornal O Estado de São Paulo detonando os dirigentes da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) e o governo federal. Mas detonado mesmo foi esse e-mail: Cielo realmente criticou muito os dirigentes da CBDA, só que na matéria do Estadão que fala disso, publicada em 2 de setembro de 2008, a palavra “governo” sequer aparece… Neste mesmo texto também relatei o recebimento pela segunda vez e da mesma pessoa, de uma outra corrente.

————

* Retificação (14/09/2011, 21:14). Via Facebook, o Natusch me avisou que a origem da “notícia” é o G17, página que satiriza o G1. Ou seja, alguém viu, achou que era sério (já que o leiaute realmente lembra o do G1) e repassou… Ou seja, continua válida a dica de checar as informações. Inclusive para este que vos escreve, de modo a evitar xingamentos a quem fez algo que muito prezo: humor.

Dilma lá

No início desta noite de 31 de outubro de 2010, o Brasil vive um momento histórico, ao eleger pela primeira vez uma mulher para a Presidência da República.

Mais do que uma vitória das mulheres brasileiras, é também uma acachapante e merecidíssima derrota da direita reacionária (a “grande mídia” incluída). De nada adiantaram as manipulações, os boatos, as correntes, os trolls, a “polêmica” sobre o aborto…

Perderam! Bem feito!!!

Enfim, é hora de comemorar a vitória de Dilma – que significa a derrota reacionária. Mas depois, é preciso que não deixemos de ter um olhar crítico sobre o governo Dilma.

E vamos curtir, mais uma vez, o samba que podemos considerar a trilha sonora desta vitória:

————

Atualização (31/10/2010, 21:37): Quando falo em derrota da direita reacionária, claro que me refiro apenas ao processo eleitoral, pois é preciso ficar de olho em suas movimentações. Quando o “jornalista” Arnaldo Jabor compara 2010 com 1963 (todos sabem – ou deveriam saber – o que aconteceu em 1964), se isso não é pregação golpista, sei lá o que é.

Quando nem a direita acredita nas mentiras reaças

Semana passada, recebi novamente aquela “corrente” sobre a “bolsa bandido”, que teria sido supostamente criada pelo governo Lula – mentira destroçada pelo Vinicius Duarte. Obviamente respondi, e como o meu amigo havia mandado o lixo e-mail sem usar a opção “com cópia oculta”, cliquei em “responder a todos”, enviando apenas o link para o texto do Vinicius, nada mais, para que mais gente recebesse o “antídoto” contra a mentira.

Já recebi duas respostas – ambas apenas para mim, e não para todos. Uma delas foi a que mais me deixou satisfeito. Pois veio de um outro amigo, que é de direita. E ele disse que achara a “denúncia” sobre a “bolsa bandido” exagerada… Inclusive, me agradeceu pelo esclarecimento.

Ou seja: há uma luz no fim do túnel. Há pessoas que são conservadoras e não saem acreditando em qualquer bobagem só por ser “contra o governo Lula”. Quanto menos gente tendo mentiras como verdades, melhor.

Quem quer um Brasil melhor NÃO REPASSA CORRENTES!

Bem que o Milton Ribeiro avisou que 2010 seria “uma coisa”. Desde o final do ano passado, já me preparava para uma chuva de comentários-spam. Que, surpreendentemente, têm vindo em número menor do que eu esperava (mas não vou me animar muito, pois certamente os trolls direitosos esperarão passar a Copa para agirem mais).

Porém, algo com o qual eu não contava eram os e-mails. Afinal, spam é coisa que não vem de amigo, né?

Errado! Afinal, tenho amigos das mais diversas colorações partidárias e visões de mundo. Inclusive, direitosos que tenho a impressão de que jamais os convencerei a mudarem sua maneira de pensar – e que também não têm a menor chance de me convencerem.

O problema, é que eles acreditam ser possível que eu receba um daqueles arquivos “pps” com pregações direitosas e ainda os repasse!

Até perdi a conta de quanas mensagens deste tipo recebi desde o começo do ano. Já respondi diversas vezes, pedindo que não percam tempo com essas bobagens, visto que comigo elas não colam – sem contar que a maioria é para bater no Lula e na Dilma, mesmo que eles saibam que meu candidato a presidente é Plínio de Arruda Sampaio. Não adiantou…

Não vou copiar os textos e publicar aqui, mas vale a pena ter uma ideia do que ando recebendo (os trechos em negrito correspondem aos títulos das mensagens):

  • 500 mulheres cearenses! É INACREDITÁVEL. Trata sobre supostas alunas de um curso dedicado a beneficiárias do Bolsa Família “que não quiseram trabalhar com carteira assinada para não perderem o benefício”. Pergunto: alguém em sã consciência acredita nisso? Para quem não sabe, o Bolsa Família é apenas assistência, não salário – se alguém deixa de trabalhar para receber o benefício, é sinal de que trabalhava por um salário de fome.
  • Iran ??? Esse é barbada: criticando o acordo com Ahmadinejad. Interessante é que a mensagem apresenta as supostas penas aplicadas no Irã como coisas terríveis. Pura demagogia, visto que quem manda essas mensagens costuma defender que se faça as mesmas barbaridades aqui no Brasil.
  • Indígenas e Quilombolas. Texto de um suposto general do Exército, que embasa seus argumentos em reportagem pra lá de preconceituosa da revista Veja. Sem comentários…
  • A PERGUNTA QUE NÃO QUER CALAR!!! Bizarro: diz que se Dilma Rouseff for eleita presidenta, não poderá entrar nos Estados Unidos por ter participado do sequestro do embaixador Charles Elbrick, em 1969… ACREDITEM SE QUISER, EU RECEBI ISSO!!! Esse eu respondi recomendando mais cuidado com o repasse de e-mails sobre política (sugerindo, inclusive, que não se repasse nenhum, devido a informações totalmente falsas, como essa da participação de Dilma no sequestro do embaixador estadunidense).
  • Texto de posse Sarkozy!!! – Muito bom. Suposto discurso proferido por Nicolas Sarkozy ao tomar posse na presidência da França. Claramente conservador – como não deixaria de ser, né? Ao final, após a suposta mensagem do presidente francês, a “conclamação”: “se você não é um dos aninhados nas benesses do poder, nem recebe bolsa de merda alguma, passe à frente” – nem preciso dizer que NÃO passei (ou que só o fiz agora, para esculachar).
  • O assunto é sério, Urnas viciadas. Bem “teoria da conspiração”, né? Mas não é uma simples corrente distópica: as “urnas viciadas”, é claro, beneficiam Dilma Rousseff.
  • DIREITOS HUMANOS. Mais um daquela série “direitos humanos para humanos direitos”, recomendando que “quem deseja tratamento digno a delinquentes os leve para casa”, típico papo direitoso (para não dizer FASCISTA). Esse eu respondi dizendo que não quero levar um criminoso para a minha casa, e sim que ele pague por seu crime e que possa se reabilitar, de forma a sair da prisão e ter uma vida digna. E não é com tratamento desumano (como defendem os direitosos) que isso acontecerá.
  • O Viajante. Texto supostamente de Joelmir Beting criticando as viagens de Lula – e não só ao exterior, como dentro do Brasil mesmo! Ou seja, o presidente da República não pode visitar vários Estados e conhecer melhor o país que ele mesmo governa, e sim, deve se limitar a seu gabinete em Brasília.
  • Apenas Isto !! O título não é nada demais, mas o texto já começa “mal”: falando do pai de Dilma, o búlgaro Petar Russev (que no Brasil passou a assinar Pedro Rousseff), que teria “deixado um filho na Bulgária” e vindo para cá (mas o porquê ninguém explica, embora esteja implícito na mensagem: Russev era filiado ao Partido Comunista Búlgaro – provavelmente tenha sofrido perseguição política em seu país, visto que na época a Bulgária se aliara a Hitler). Depois, fala que a família de Dilma “não passava dificuldades” (interessante, visto que em geral quem repassa essas bobagens não passa lá muitas dificuldades também…), e finalmente, como não podia faltar, a acusação de “terrorista” nos anos 60 e 70 – como se o regime político no Brasil da época fosse muito democrático.
  • Não é preciso comentar. Totalmente bizarro! A mensagem começa com uma pergunta: “você votaria nisso?”, e depois aparece uma foto de Dilma fumando um charuto… Que qualquer amador em Photoshop faz! E UM MONTE DE GENTE REPASSOU ACHANDO QUE ERA SÉRIO!!!
  • Fiquem os atentos …Cadê As Meninas d o Jô? (sic) Perguntando por onde andam as tais “meninas do Jô”, que obviamente teriam “saído do ar” (aliás, quando é que entraram?) por “imposição deste governo autoritário”. O texto chega a falar que os mesmos motivos teriam sido a causa da demissão de Boris Casoy! Não aguentei e respondi perguntando quando que Casoy havia sido demitido da Band – e dizendo que se confirmada a notícia, tomaria uma cervejada para comemorar.
  • Desabafo de um pai. Aquele suposto relato do suposto pai de um suposto soldado morto por uma bomba, que teria sido atirada de um carro onde estaria Dilma (mesmo que não haja prova alguma de que ela tenha participado de ações armadas). Mensagem naquele estilo “ela é terrorista” (e a ditadura, que torturava e matava, claro que não era).
  • O que nos reserva o futuro… Essa começa com o já clássico “Acorda Brasil”, e depois cita a suposta entrega de um prêmio da Associação Juízes para a Democracia ao MST como “coisa terrível”: afinal, conforme disse a Veja (só podia ser, né?), o MST “destroi a Amazônia” (interessante saber que o panfletão, tradicional defensor do agronegócio e que chamava ambientalistas de “ecochatos”, decidiu defender a natureza…). E também bate no PNDH-3, que “acaba com a propriedade privada” (praticamente uma religião para os direitosos).
  • ENFIM SAIRAM DA TOCA. Mais uma batendo no “decreto comunista” do Lula, o PNDH-3… Uma das mensagens, aparentemente enviada originalmente a uma pessoa, começa com… REINALDO. Só pode ser aquele humorista (pois só como humor para levar aquilo em consideração) da Veja.

E agora, a mais recente, e bizarríssima. Não fala diretamente do Lula, mas…

É um arquivo “pps” (claro!), chamado “No Reino do Brasil”, criticando a carga tributária. É verdade que temos impostos demais se considerarmos o retorno para a sociedade (o que me faz ser não contra os impostos, e sim a favor de que eles sejam mais revertidos para a população), mas a mensagem é pura baboseira neoliberal: considera os empresários como “bobos da corte” (hã???), chama “salário” de “produção” (ou seja, que cada um recebe o equivalente ao que produz, o que quer dizer que “o mundo é justo”), e no final, obviamente, diz que a “nobreza” (políticos) distribui “migalhas” ao “povão”, na forma de “bolsas” (viram como o Lula não escaparia?). Quando na verdade o que vemos é justamente que certos empresários, aqueles “graúdos”, é que são os verdadeiros “nobres” da história… Tanto que quando a coisa fica feia para eles, vão correndo pedir ajuda ao Estado, para se recuperarem e depois continuarem com suas pregações em favor do laissez-faire.

São tantas mentiras, tantas besteiras… Que decidi usar as mesmas palavras de ordem dos que produzem tais bostas.

ACORDA BRASIL! Vamos parar de repassar correntes!

————

Outro texto interessante acerca do tema “correntes eleitorais”, que vale muito a pena ser lido, é do Vinicius Duarte – ele detona a besteirada que andaram espalhando por aí, de que o governo teria criado uma tal de “Bolsa Bandido” (essa eu ainda não recebi).