Palpites e esperanças

Faltando menos de 24 horas para a última e decisiva rodada do Brasileirão 2008, publico o que é meu palpite e também esperança de classificação final do campeonato.

brasileirao08simulacaofinal

Claro que acredito no Grêmio. É difícil: precisa vencer e torcer por derrota do São Paulo. Ou seja: há nove possibilidades distintas de combinação de resultados dos jogos Grêmio x Atlético-MG e Goiás x São Paulo, e somente uma interessa ao Tricolor gaúcho.

As vagas na Libertadores acredito que já são dos times que estão no G-4 antes mesmo da rodada começar: além de Grêmio e São Paulo, se classificam Palmeiras e Cruzeiro. Afinal, o Flamengo terá de jogar na Baixada contra o Atlético-PR, que briga contra o rebaixamento.

Acho que dá empate nesse jogo, resultado bom para o Vasco. Só que o Náutico e o Figueirense ganham de Santos e Inter respectivamente, condenando o clube de São Januário à Série B, infelizmente. Digo isso porque, embora muitos estejam torcendo pela queda do Vasco, o clube carioca não é mais presidido por Eurico Miranda: se cair com Roberto Dinamite na presidência, de nada adiantará dizer que foi “herança maldita” dos tempos do Eurico, já que a torcida, em geral, tem memória curta. E aí, “Euricão” voltará…

Mas, se o Vasco cair, o problema é dele. Eu quero é ver o Grêmio campeão!

Foi bom enquanto durou

No dia 11 de maio, comentei que “o Grêmio está de chorar, mas ganhou!”. Referência à vitória sobre o São Paulo, no Morumbi, no dia anterior, pela primeira rodada do Campeonato Brasileiro. Afinal, o time vinha de duas eliminações consecutivas, em pleno Olímpico: em 6 de abril fora eliminado do Campeonato Gaúcho pela ex-filial Juventude ao perder por 3 a 2 um jogo que podia empatar, e no dia 9 fora despachado da Copa do Brasil nos pênaltis pelo Atlético-GO. Tais fatos, somados a um período ruim de treinamentos para o Brasileirão, faziam a torcida temer (e os colorados sonharem) que o Grêmio se limitaria a lutar pela permanência na Série A.

Mas, ao contrário do que se esperava, o Tricolor fez um excelente campeonato. Nem o gremista mais otimista imaginava que o time brigaria pelo título até a antepenúltima rodada. Claro que ficou perceptível que o Grêmio não tinha um grupo em condições de ser campeão, e também que o campeonato não foi perdido ontem, contra o Vitória. Ainda mais se considerarmos que o virtual tricampeão São Paulo perdeu seis pontos para o Grêmio – três no já citado jogo de maio, e mais três aqui em Porto Alegre.

O Grêmio deixou de ser campeão naqueles jogos em que que os três pontos eram quase certos, mas não vieram:

  • Vasco 2 x 1 Grêmio: lá no começo do campeonato, lembro de ter comentado que os três pontos perdidos nesse jogo poderiam fazer falta no final;
  • Náutico 1 x 1 Grêmio: o empate no último segundo do jogo fez lembrar a Batalha dos Aflitos, mas a vitória era obrigação, ainda mais contra um adversário que luta contra o rebaixamento;
  • Grêmio 1 x 2 Goiás: o Tricolor terminou o primeiro tempo ganhando e acabou perdendo de virada;
  • Atlético-PR 0 x 0 Grêmio: desta vez, a vitória poderia ter vindo se um pênalti claro para o Grêmio ao final do jogo tivesse sido marcado;
  • Portuguesa 2 x 0 Grêmio: foi literalmente um jogo de dar sono, cheguei a cochilar durante o primeiro tempo;
  • Grêmio 1 x 1 Figueirense: um dos piores jogos que já assisti no Olímpico.

Nestes jogos, o Grêmio perdeu nada menos do que 15 pontos. O que quer dizer que o time poderia estar com o título garantido há várias rodadas, e mesmo perdendo para o Vitória ontem teria 81 pontos, 10 a mais do que o São Paulo, que tem 71.

Já era?

O Grêmio tem mais sorte do que juízo.

Depois da derrota para o Atlético-PR e da briga generalizada de ontem – e também de hoje, no aeroporto de Curitiba – o Tricolor ainda teve uma sorte maluca. Nem tanto pela derrota do Cruzeiro: a surpresa foi o resultado de 4 a 1 para o Botafogo, mas que o time mineiro perderia eu tinha certeza, já que entrou numa fase descendente.

Mas o que ninguém esperava era essa vitória do Juventude sobre o Palmeiras em pleno Palestra Itália. O Ju continua com a corda no pescoço, mas deu uma baita mão ao Grêmio – o que vai alimentar especulações coloradas sobre o time de Caxias ser “filial” do Tricolor.

Bom, que o Grêmio trate de aproveitar tanta sorte, e ganhe do Figueirense sábado. A Libertadores ficou mais longe após a derrota de ontem, mas nem tanto.

Ranking

A Federação Internacional de História e Estatísticas do Futebol (IFFHS) divulgou seu ranking atualizado, referente ao período de 1º de setembro de 2006 a 31 de agosto de 2007.

Grêmio na frente do Inter. Nada como ver as coisas voltarem a seu lugar…

Os 5 primeiros colocados são:

  1. Sevilla (Espanha)
  2. Chelsea (Inglaterra)
  3. Santos (Brasil)
  4. Boca Juniors (Argentina)
  5. Manchester United (Inglaterra)

Dentre os clubes brasileiros, além do Santos, aparecem São Paulo (17º), Grêmio (35º), Inter (40º), Flamengo (43º), Paraná (49º), Atlético-PR (57º), Fluminense e Botafogo¹ (ambos empatados em 65º), Figueirense (84º), Corinthians (95º), Cruzeiro (109º), Vasco (124º), Goiás (141º) e Palmeiras (266º).

———-

¹ Na postagem de ontem, que dediquei à minha amiga botafoguense Flavia, ela deixou um comentário dizendo que o Botafogo continua na frente do Grêmio. Por enquanto, continua na frente na classificação do Brasileirão, mas no ranking