O primeiro debate presidencial da televisão brasileira

No dia 15 de novembro de 1989, o povo brasileiro foi às urnas eleger o Presidente da República pela primeira vez após o longo interregno imposto pela ditadura militar. A última eleição direta ocorrera em 1960, logo, 29 anos antes.

Conforme a nova Constituição promulgada no ano anterior, como nenhum candidato obteve mais de 50% dos votos válidos, em 17 de dezembro foi realizado um 2º turno entre os dois mais votados, Fernando Collor de Melo (PRN) e Lula (PT). Collor venceu, após uma campanha muito suja (mas que acabaria superada pela de 2010).

Antes disso, foram realizados vários debates. O do dia 17 de julho, na Bandeirantes, foi histórico não só por ser o primeiro daquela campanha eleitoral, como também por ser a primeira vez que candidatos à presidência do Brasil debatiam na televisão.

Dos vinte e dois candidatos, nove participaram: Aureliano Chaves (PFL), Paulo Maluf (PDS), Lula (PT), Leonel Brizola (PDT), Afonso Camargo (PTB), Ronaldo Caiado (PSD), Afif Domingos (PL), Mário Covas (PSDB) e Roberto Freire (PCB). Fernando Collor (PRN) e Ulysses Guimarães (PMDB) foram convidados, mas não compareceram.

Continuar lendo

Meus oito anos

Não, esse post não é o famoso poema de Casimiro de Abreu. São as lembranças dos meus oito anos: a campanha política das eleições presidenciais de 1989.

Começo com um vídeo que mostra trechos dos programas de vários candidatos.

Agora, vídeos específicos de cada um deles. Começando com o candidato para quem eu pedia votos no primeiro turno: Leonel Brizola.

Agora, meu “voto” no segundo turno de 1989: Lula.

Posso dizer que essa eleição foi uma das primeiras frustrações de minha vida. Pois quem ganhou foi Fernando Collor de Melo, com a promessa de acabar com os chamados “marajás”:

Essa música lembro até hoje: o tema de campanha de Ulisses Guimarães, “Bote fé no velhinho”.

Sílvio Santos presidente? Sim, ele foi candidato!

Da candidatura de Afif Domingos eu lembrava. Mas da música, não.

Mas uma das melhores foi esse tapa na cara da Globo, que apoiava descaradamente o Collor: no dia do segundo turno das eleições, o cantor Lobão se apresentou no programa do Faustão e pediu aos telespectadores que votassem no Lula. E não bastasse isso, o público começou a cantar “Olê olê olá, Lula, Lula”!