Dois dias em memória das vítimas da ditadura

Ano passado, propus que nos dias 31 de março e 1º de abril, retirássemos nossas imagens de perfil nas redes sociais (Orkut, Facebook, Twitter etc.) e as substituíssemos por um “nunca mais”, em lembrança ao aniversário do golpe militar de 1964. A ideia surgiu a partir de uma notícia que li na página do jornal argentino Página 12, sobre a mobilização para lembrar o motivo do dia 24 de março, aniversário do golpe de 1976 na Argentina, ser feriado nacional com o nome de Dia Nacional de la Memoria por la Verdad y la Justicia:

Para que quem ainda pergunta por que este dia é feriado, veja como seria se muitas pessoas queridas se ausentassem todas juntas, como aconteceu durante a ditadura.

Já cheguei a ler comentários de argentinos falando que seu país “tem a memória fraca”, por incrível que pareça – por lá ao menos os responsáveis pela carnificina estão sendo julgados e condenados.

Se a Argentina é um país “de memória fraca”, o que dizer do Brasil então? Nosso país é o único do Cone Sul que nada fez em busca de reparação aos familiares das vítimas da ditadura. Argentina, Chile, Paraguai e Uruguai estão “passando a limpo” o seu passado ditatorial. Já aqui, continua tudo na mesma, em nome de “evitar o mal-estar com os militares”. Aliás, me pergunto se não seria melhor para a imagem das Forças Armadas colaborar para a elucidação dos crimes da ditadura, e deixar de tecer loas a militares que violaram a lei máxima do Brasil (ou seja, a Constituição) em 1964.

Por parte do governo não podemos esperar nada nesse sentido (que decepção, Dilma!), mas nós mesmos podemos fazer algo. Assim como no ano passado, vamos retirar nossas imagens de perfil das redes sociais nos dias 31 de março e 1º de abril, e substituí-las por um “nunca mais”. Mas, claro, não basta isso: é bom colocar na descrição do perfil o motivo – ou seja, explicar que é pelos 47 anos do golpe – para que as pessoas entendam com mais facilidade o nosso objetivo, que é induzi-las a pensar, lembrar que houve uma ditadura em nosso país e isso não deve ser esquecido, e também para dizer: DITADURA NUNCA MAIS!

————

Atualização (13/03/2011, 22:53): Vamos também usar uma hashtag no Twitter e tentar levá-la aos TTs nos dois dias. Proponho #DitaduraNuncaMais, quem tiver outra ideia, fique a vontade para sugerir nos comentários.

Anúncios

Difunda esta ideia

Ontem, a Argentina lembrou o aniversário do golpe militar de 1976, que derrubou o governo de Isabelita Perón e deu início a uma ditadura militar no país. Desde 2006 o dia 24 de março é feriado na Argentina, sendo chamado Dia Nacional de la Memoria por la Verdad y la Justicia.

Na rede social Facebook, uma interessante ideia surgiu entre os argentinos: uma convocação aos usuários para retirarem suas imagens de perfil no dia 24 de março, deixando no lugar apenas a silhueta que aparece quando não se escolhe nenhuma foto. Eis o motivo (que tomei a liberdade de traduzir ao português):

Para que quem ainda pergunta por que este dia é feriado, veja como seria se muitas pessoas queridas se ausentassem todas juntas, como aconteceu durante a ditadura.

Logo que tomei conhecimento da mobilização argentina (aliás, à qual eu aderi), pensei: que tal fazermos algo semelhante no Brasil? Seja em 31 de março ou 1º de abril, o golpe militar que derrubou João Goulart completará 46 anos. E por aqui não temos feriado, muito menos lembranças – o que facilita a vida dos que dizem não ter havido ditadura no Brasil (negar algo contra todas as evidências históricas, isso lembra algo, né?) ou, que até teve, mas ela foi branda, “ditabranda”.

Pensando melhor, não basta tirarmos imagens de perfil no Facebook (e também no Orkut, onde há muito mais brasileiros). Façamos mais: é necessário que as pessoas entendam que há um motivo importante para a mudança da imagem e assim seja atiçada a sua curiosidade: “o que ele(a) quer dizer?” – do contrário, poderá parecer apenas uma falha do Facebook ou do Orkut.

Assim, nos dias 31 de março e 1º de abril, substituamos nossas imagens de perfil no Facebook e no Orkut por um NUNCA MAIS. Pode ser apenas as duas palavras em um fundo branco, ou a silhueta de quando não se escolhe nenhuma foto – também com o NUNCA MAIS, é claro. Induzamos as pessoas a pensarem, a lembrarem que houve uma ditadura militar em nosso país, e que isto não deve ser esquecido.

Claro que poderá acontecer de muitos não entenderem o motivo do NUNCA MAIS, daí a importância de se colocar no perfil uma explicação – pode ser lembrando que 31 de março/1º de abril é aniversário do golpe de 1964, e que nosso objetivo é dizer DITADURA NUNCA MAIS.

Procure difundir esta ideia, seja em blogs ou por e-mail, para que tenhamos a maior adesão possível – no Brasil e mesmo fora do país!