Aquela saudade de reclamar do calor

Não, quem me conhece não leu errado.

Mas também: não, eu não sinto saudade do verão.

Parece uma enorme contradição, mas é a mais pura verdade. Eu sinto falta de reclamar, não do calor em si que mais cedo ou mais tarde vai nos assolar. E isso nada tem a ver com o fato de que este ano teve inverno (ao contrário de 2014 e 2015), mas sim com o que aconteceu no último dia de calor “de desmaiar Batista” ao qual lembro de ter sobrevivido.

O dia em questão foi 17 de abril, quando aconteceu aquele show de horrores na Câmara dos Deputados: nem Stephen King produziria algo tão aterrador quanto o que vimos naquele domingo. Comecei a assistir na sala, só que o calor era tanto que terminei no meu quarto, única peça do apartamento onde eu morava em Ijuí que tinha ar condicionado — mas que não tinha televisão, e assim tive de apelar para o celular.

É verdade que o calor ainda continuou por mais alguns dias (até que no final do mesmo mês de abril fomos direto do verão para o inverno, com um frio impressionante para tal época do ano), mas não lembro de ter reclamado das altas temperaturas após aquele domingo: no máximo celebrei discretamente o tempo frio que pouca trégua deu em 2016. Pois a partir de então o calor passou a ser absolutamente o menor dos males que nos afligem.

Passamos a ter uma sucessão de notícias ruins, de “maldades” pretendidas pelo (des)governo que se instalou com o golpeachment. Reforma trabalhista, do ensino médio, PEC 241… Toda vez que falo de “amenidades”, chego a me sentir “culpado” por “fugir da realidade” ainda que uma sensação como a de calor seja, para mim, real demais para ser ignorada, como provam os litros de suor que verto nos dias mais quentes.

O fato é que o verão está chegando e será diferente dos anteriores, pois provavelmente não me sentirei encorajado a reclamar do calorão, e justo agora que voltei a morar no “Forno Alegre”. Saudade dos nem tão distantes tempos em que o Brasil vivia sua “normalidade democrática”: havia muitos problemas, é verdade, mas era possível variar o assunto e dar aquela reclamadinha básica dos trinta e todos graus da canícula porto-alegrense sem pensar “o país desse jeito e eu só querendo que o inverno volte”.

Um comentário sobre “Aquela saudade de reclamar do calor

  1. “O fato é que o verão está chegando e será diferente dos anteriores, pois provavelmente não me sentirei encorajado a reclamar do calorão, e justo agora que voltei a morar no ‘Forno Alegre’.”

    AHAM, SEI… HAHAHAHAHA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s