Tristeza pela morte de Fernandão

Muito sequei Fernandão, afinal, ele jogava (e muito!) pelo arquirrival do meu Grêmio. E estreou justamente num Gre-Nal, marcando um gol que foi também histórico, o milésimo da história do clássico, 10 anos atrás.

Ao mesmo tempo que o secava também o respeitava, não só por seu futebol, como também pela pessoa que era. Fernandão foi um dos raros casos de jogadores idolatrados por uma torcida (e fez muito por merecer isso) mas admirados também pelos rivais (e igualmente fez muito por merecer).

Hoje, não são apenas os colorados que lamentam, são todos os que gostam de futebol.


Como se não bastasse a notícia triste, ainda é preciso aguentar pessoas que perdem excelentes oportunidades de permanecerem caladas. Felizmente não vi até agora nenhuma manifestação desrespeitosa aos colorados por parte de gremistas mas já vi alguns “gênios” fazendo pouco caso e falando muita bobagem em nome de um suposto “esquerdismo”, por acharem que “futebol é o ópio do povo” (se estudassem um pouquinho de História teriam conhecimento de um grande número de clubes operários e até mesmo socialistas, que de “ópio do povo” nada tinham). Fica mais provado, assim, o quão diferente é ser “esquerdista” e ser “de esquerda”.

Por favor, respeite a dor alheia (o que, aliás, é uma das maiores virtudes da esquerda: não olhar só para o próprio umbigo). Se não gosta de futebol e acha que quem gosta é “alienado”, faça jus à sua “cultura superior” e abra um livro ao invés de ficar vociferando na internet.

Anúncios

Um comentário sobre “Tristeza pela morte de Fernandão

  1. Pingback: A imbecilidade na arquibancada | Cão Uivador

Os comentários estão desativados.