O otimismo é uma ilusão

“Todo esforço será recompensado. Basta querer, que vai chegar lá.”

Quantas vezes já ouvimos dizerem isso para nós? Chega a parecer que somos os únicos culpados por tudo o que dá errado em nossa vida.

Se não passamos no vestibular, por exemplo. A culpa é nossa, pois “não estudamos o suficiente”, mesmo que tenhamos perdido muitas noites de sono. Pouco importa que fossem centenas de candidatos por vaga ou que não tenhamos acordado bem no dia da prova: sempre seremos os culpados. Sempre.

É muito fácil, quando já se tem uma garantia de futuro, ser otimista e dizer aos demais que “basta ter persistência” para ser “um vencedor”. Não deixa de ser verdade que para “chegar lá” é preciso ser persistente (isso quando já não se nasce “lá”), mas por outro lado, poucos dizem que “lá” não tem lugar para todos. Ou seja, que muitos de nós passaremos a vida “batalhando duro” sem jamais chegarmos ao tal “dia da vitória”.

Obviamente não devemos ser pessimistas, pessoas que “se entregam” antes mesmo de lutar. Nem exageradamente otimistas. Opto pelo realismo, e a realidade me mostra que nem todo esforço será recompensado. Não creio na meritocracia, segundo a qual o jovem da favela e o do condomínio fechado têm as mesmas chances de “vencer na vida”.

Aliás, não quero um mundo em que tenhamos de “vencer”, mesmo com chances iguais a todos. Nem mais vencedores nem perdedores: que sejamos todos um solidário empate.

Anúncios

Um comentário sobre “O otimismo é uma ilusão

  1. Pingback: Uma resolução para 2014 | Cão Uivador

Os comentários estão desativados.