O que está acontecendo perto da Arena

O incêndio da Vila Liberdade, ao contrário do que se chegou a especular, não foi premeditado: começou com a briga de um casal. Mas o relato desta moradora do local dá uma amostra do que deve vir a acontecer na região que fica perto da Arena do Grêmio nos próximos anos. Assista até o fim.

Da Wikipédia:

Chama-se gentrificação, uma tradução literal do inglês “gentrification” que não consta nos dicionários de português, a um conjunto de processos de transformação do espaço urbano que, com ou sem intervenção governamental, busca o aburguesamento de áreas das grandes metrópoles que são tradicionalmente ocupadas pelos pobres, com a consequente expulsão dessas populações mais carentes, resultando na valorização imobiliária desses espaços.

Anúncios

12 comentários sobre “O que está acontecendo perto da Arena

  1. “Nosso terreno”? Já que a área valorizou, poderia, sim, vender, e realocar as pessoas na própria região com o dinheiro da venda, construindo 10x mais casas.

    • Tá, mas… E se as pessoas não quiserem vender?

      Sem contar que, se venderem para construtoras, é óbvio que para comprar a nova casa lá terão de pagar MUITO mais.

      • Estamos falando daquelas casas de papel, que estão em terrenos invadidos, cuja propriedade é da Prefeitura de POA. Quem tem imóvel regular, vende se quiser, claro.

        • Sim, mas o que a prefeitura vai fazer com os terrenos? Se é para ficarem ociosos, melhor deixar aquelas pessoas morarem lá: construindo novas casas ali mesmo ao invés de no outro lado da cidade, com melhor infraestrutura (calçamento, esgoto etc.).

          • Pessoas que invadem terrrenos pq estão “ociosos” não podem ser contemplados com benesses do poder público, pagos pelo resto da população.
            Fosse assim, todo mundo sairia invadindo terrenos “ociosos” pq não tem dinheiro para adquiri-los. Se bem que, de certa forma, já fazem isso. Dps reclamam ao poder público a infraestratura da região.

      • Simples, compre seus materiais de construção e construam suas casas.
        Porque eu tenho que pagar por isso? Se a prefeitura paga é eu que pago e, sinceramente, eu não quero pagar.
        Por mim, nada contra eles construírem suas casas, mas façam com seus recursos. Se meu apartamento aqui pega fogo ninguém vêm me dar nada. Tem pessoas que invadiram terrenos que moram muito melhor do que eu, que paguei pelo meu apartamento. Têm vista para o mar e moram a 10 minutos do centro. Eu moro a 1:50 e tenho vista para o morrão de São Gonçalo… e só quem pagou fui eu. Quer morar de graça? Vai lá para trás de Alvorada… ou Belford Roxo.

        • Pelo visto não percebeste que aquelas pessoas são muito pobres, não têm dinheiro para comprar material.

          “Se a prefeitura paga é eu que pago e, sinceramente, eu não quero pagar”. Queres, então, que eles fiquem morando na rua, ao relento? Depois não vale reclamar que tem muito morador de rua em Porto Alegre… Afinal, é a tua vontade.

  2. Humm, então….acho esta materia um pouco “vermelha” mas…acredito nisso
    sim; têm muitas “pessoas” contra a construção da arena e tentando achar “cabelo” em careca! Respeito todas as opiniões inclusive da midia que é a mais “culta” e transparente, eu disse transparente!
    Então sou contra a “grenalização”, discordias, e etc..
    A reforma urbana, não está prevista em lei?
    Há, lembrei de uma coisa! Quando ” teremos seriedade”, e empenho nas politicas publicas?
    Há, também está em LEI, na constituição que MORADIA,SAUDE,QUALIDADE DE VIDA ETC..mas LEMBREI que estou no BRASIL! OPS…
    Mas, se estas pessoas ganharem outras, CASAS todos ficarão felizes! ok

  3. Acho que a mídia deve vigiar, controlar, mas não manipular. Agora, segundo alguns, há um acordo, de gaveta, entre a OAS, burguesia e a Prefeitura de POA. Acho que criar e divulgar isso é irresponsabilidade.

    Acredito que devemos cobrar a construção do projeto urbanístico para a área, conforme foi apresentado, ontem, pela prefeitura. Dar, a essas pessoas, outras opções. Por favor, peguem o aluguel social – não vamos permitir que famílias durmam na rua – e a mídia deve exigir o pagamento – do aluguel -e a construção do conjunto habitacional, em alguns meses essas famílias terão um pouco de qualidade de vida, coisa que, provavelmente, nãio tinham em suas antigas moradias.
    A constr

  4. Triste. Calada pela mídia a realidade dessas pessoas causam revolta. Enfim, eu gostaria que alguém que esteja por dentro dessa situação tirasse um dúvida. Esses terrenos no qual as pessoas residem, foi comprado pela OAS ou é pura especulação? Qual é a situação?

Os comentários estão desativados.