Será o fim da avalanche?

Não fui ao jogo, então não pude comemorar in loco a primeira vitória oficial do Grêmio na Arena. Tinha de imprimir o tal voucher para entrar e também havia o problema maior – como voltar.

1 a 0, 5 a 4 nos pênaltis, vamos adiante na Libertadores. Beleza.

Mas, por outro lado, tivemos o acidente na hora do gol, quando a grade da mureta na Geral cedeu com a avalanche feita pela torcida para comemorar. Alguns torcedores ficaram feridos e foram levados ao hospital.

Lembro que em novembro, poucas semanas antes da Arena ser inaugurada, os Bombeiros disseram que teriam de ser instaladas cadeiras na Geral, pois a avalanche representaria risco aos torcedores. Houve reclamações, inclusive informando que no Olímpico jamais aconteceu nenhum acidente em dez anos de avalanches (muito embora o Grêmio tivesse reforçado a mureta da Geral para evitar que ela cedesse).

Pois ficou claro que os Bombeiros tinham razão. A estrutura da grade era frágil demais, não tinha como suportar o peso da torcida. Foram instalados para-avalanches para impedir que “toda” a Geral descesse: imaginem se toda aquela multidão fizesse a avalanche?

Agora, restam duas opções: reforçar a estrutura ou acabar com a avalanche, mediante a instalação de cadeiras. E se considerarmos os problemas que a Geral vem causando (como a briga na semana passada), acredito mais na segunda opção.

Anúncios

2 comentários sobre “Será o fim da avalanche?

  1. Olha só, não concordo em colocar cadeiras na Geral. Se querem tanto acabar com a Avalanche (que nem é o mais importante na Geral, é apenas uma forma de comemorar gols) que se coloquem as barreiras em toda a Geral, como tem da metade da arquibancada prá cima.

    Agora o que não pode é, com o discurso da “segurança”, elitizar ainda mais o estádio. Sim, porque querendo ou não, colocando cadeiras vai diminuir a lotação do espaços pela metade, de cerca de oito mil para cerca de quatro mil lugares. Isso com certeza vai aumentar o valor dos ingressos.

    O resultado vai ser acabar com o lugar para os que não podem pagar 100 reais pra assistir um jogo e também para aqueles que gostam de assistir a partida de pé, torcendo e cantando o jogo todo e no lugar disso teremos uma torcida assistindo ao futebol sentadinha, tomando refri e comendo pipoca como se estivessem assistindo uma comédia no cinema…

    • Também estou achando que a melhor ideia é instalar as barreiras mais para baixo, para impedir a avalanche, mas ainda assim permitir que haja um espaço sem cadeiras e com ingressos mais acessíveis.

Os comentários estão desativados.