Porto Alegre, cidade-fantasma

Algo que já disse ano passado, mas não custa nada repetir: não fosse o calor insuportável, o verão seria, disparado, a melhor época para se estar em Porto Alegre. E no feriadão de Ano Novo, então, a cidade consegue ficar ainda melhor, visto que as pessoas viajam mais do que no Natal.

Sou um cara estressado. O nível de estresse varia de pessoa a pessoa, mas obviamente o lugar onde ela vive também tem certa influência: certamente eu me estressaria menos morando no interior (embora também não quisesse me mudar para uma cidade pequena demais). E Porto Alegre é uma cidade cuja rotina é estressante: o trânsito é cada vez pior (a qualquer hora se pode ficar preso num congestionamento), ir ao supermercado no final da tarde é garantia de fila (já não gosto de supermercado, e de enfrentar fila então…), almoçar ao meio-dia também (o que me leva a antecipar meu almoço para as 11 da manhã, de modo não passar mais tempo na fila do que comendo), dentre outros fatos do dia-a-dia que cansam.

A rotina é algo que nos faz desejar muito um descanso. Porém, de nada adianta tirar férias ou viajar num feriadão, se é para se estressar também. Aí, é melhor permanecer na cidade. Ou é uma coisa muito boa ficar fora da cidade por quatro dias, mas destes, passar quase um inteiro na estrada?

Sem contar que o estresse da cidade se muda para a praia nos feriadões: é época de fila nos supermercados, nos restaurantes… Além de muito trânsito. Na última vez que passei o Carnaval no litoral, em 2009, usar o carro como forma de deslocamento exigia muita, mas muita paciência. Se a ideia era chegar rápido a algum lugar, era melhor ir a pé ou de bicicleta.

Em 2013 tirarei férias em fevereiro e escaparei do calorão. Mas, definitivamente o melhor mês para elas é março: nos permite escapar tanto do “Forno Alegre” (o terceiro mês do ano é ainda bem quente) como do caos que retorna junto com o início das aulas – aliás, é justamente o retorno às aulas na minha especialização que determina as férias em fevereiro, não em março.

Anúncios

2 comentários sobre “Porto Alegre, cidade-fantasma

  1. Pingback: O inverno me representa | Cão Uivador

Os comentários estão desativados.