Cálculo renal: melhor prevenir ou tratar antes da dor

Uma ecografia revelou que tenho um cálculo de 4,2mm no rim direito. Bom saber, pois assim vou em busca de tratamento antes que ele me incomode, né?

Na verdade, bom mesmo seria tê-lo descoberto totalmente por acaso. Pois fiz a ecografia por ter ido parar na emergência do Hospital Ernesto Dornelles na manhã da última terça-feira, com uma forte dor lombar à esquerda e ardência nas vias urinárias: a ecografia não revelou nenhuma pedra no rim esquerdo, mas o exame de urina detectou sangue acima do normal, tornando improvável que a dor não fosse causada pelo fato de estar expelindo um outro cálculo renal – que obviamente estava no rim esquerdo.

Senti a primeira cólica na madrugada do sábado passado e até fui à emergência da Santa Casa à tarde (pela manhã estive abraçando o Olímpico, não podia deixar de fazer isso), mas como estava lotada e não sentia nada no momento, voltei para casa e nem procurei outro hospital. Na madrugada seguinte, nova cólica, mas aí comecei a tomar remédios para a dor – que só voltou na fatídica terça-feira.

Se a pedra no rim direito tivesse sido descoberta ao acaso, em um exame de rotina, talvez eu estivesse mais tranquilo quanto a ela. Porém, agora já sei o que é ter uma cólica renal, e percebo que ela pode ser pior: já vi um amigo meu literalmente urrar por conta da dor causada por um desses cálculos malditos, o que não chegou a acontecer comigo. Fazendo uma analogia geológica, é como uma região suscetível a terremotos, que passou por um de intensidade moderada: sempre é possível que venha outro bem mais forte. E o pior: assim como não há como prever os sismos, também é impossível saber o momento em que aquele cálculo no rim irá provocar dor.

Porém, há diferenças em favor das pedras: enquanto nem o mais genial geólogo pode controlar a tectônica de placas, os cálculos podem ser tratados e, principalmente, evitados – tomar bastante água, para diluir a urina e dificultar a formação das pedras, já ajuda.

E é importante também fazer exames regularmente – cristais de oxalato de cálcio na urina são um sinal de alerta, pois tal substância é das principais formadoras de cálculos renais. Como já falei, é melhor descobrir e tratar de uma pedra dessas sem precisar sentir dor; já no meu caso, não quero senti-la novamente.

Anúncios

10 comentários sobre “Cálculo renal: melhor prevenir ou tratar antes da dor

  1. Quatro semanas atrás passei pela mesma experiência. Pela quarta vez.
    Mas o parto foi normal…

  2. “Senhor Cão Uivador”,
    Tenho 69 anos e fui também vítima desta dor renal. Pelos idos de 78, estando na França para estudar, ao relatar fato semelhante a um amigo em uma cafeteria de uma universidade, recebi do barista ( alemão à época com + de 60 anos) a informação de que a ingestão diária de nabo ralado em jejum ( branco ou amarelo – “sem rezar” …) destruia algumas “variedades” de cálculos renais. Durante minha estada em França, além daquela data mais 2 anos, ingerindo muita água, não foi necessário o tal do tratamento. Um ano após ter chegado ao Brasil, voltou a sintomatologia, com exame de cálculo de cerca de 7mm de diâmetro (identific. por ultrason). Um mes após o tratamento com nabo ralado, a coisa desapareceu. Conheço situações semelhantes. A teu juízo. bom proveito !!!

  3. Camarada, já tive esse negócio. Quando o cálculo é pequeno e entra no canal, a dor é quase insuportável. Você sente dor até no cabelo. É impressionante. Dizem que é a segunda pior dor do mundo (só perde para o infarto do miocárdio). Não desejo essa dor nem para o Barbosão. Te cuida, camarada. Saude!

  4. Uma amiga que tinha cálculo pesquisou com várias pessoas: mães com cálculos, pessoas que quebraram membros e têm cálculos, pessoas que já levaram tiro e têm calculos. Com isso ela descobriu que a dor do cálculo é maior do que dor de parto, de quebrar membros e levar tiro.

    Meu marido tem cristais de oxalato e já presenciei suas dores “moderadas”. Olha, que medo.

  5. Consultei um urologista, que recomendou fazer uma tomografia, porque as ecografias feitas em emergência não são muito precisas devido ao paciente não estar exatamente em seu melhor dia…

    Pois bem: fiz, e o resultado? NADA de cálculo no rim direito! Já tô tomando um vinho pra comemorar…

Os comentários estão desativados.