Mentiras sobre a Avenida da Legalidade

No quarto parágrafo do texto de quarta-feira, comentei sobre a comodidade de se manter o atual nome da “porta de entrada” de Porto Alegre, em nome da “facilidade de se localizar”. Afinal, já são 40 anos de homenagem ao ditador Castelo Branco, a população já se acostumou.

Era de se esperar que vozes contrárias à renomeação da avenida se levantassem. Porém, estão enganando a população com o uso de mentiras (por ingenuidade ou por descaramento).

Uma destas mentiras é a de que a mudança de nome da via – de Avenida Presidente (é ditador, pô!) Castelo Branco para Avenida da Legalidade – atrapalhará a vida dos porto-alegrenses. Pois eu digo que não atrapalhará em absolutamente nada: a avenida cujo nome homenageia Castelo Branco não tem residências nem estabelecimentos comerciais. Os prédios mais próximos da via têm entrada por outras ruas. Ou seja, não será preciso atualizar endereço nenhum. Mudarão apenas algumas placas, e serão poucas mesmo, pois como a referida avenida é uma via expressa, praticamente não tem esquinas.

Um outro argumento mentiroso é o de que “a esquerda quer reescrever a História conforme lhe convém”. É bem típico de quem não entende absolutamente nada de História, pois ela é constantemente reescrita. Se a Física, uma ciência exata, não é imutável (Albert Einstein que o diga), por que a História teria de ser rígida? Inclusive, a cada trabalho historiográfico – acadêmico ou não – a História é reescrita, ganha uma nova versão.

No caso da avenida, não se trata de uma nova versão da História, e sim, de trocar uma homenagem: ao invés de um ditador, um movimento em defesa da democracia. (E não me venham com o papo furado de que “os militares nos salvaram de uma ditadura comunista”: muito fácil se dizer defensor da democracia depois de acabar com ela…)

————

Lembram da famosa Batalha de Stalingrado, na Segunda Guerra Mundial? Sua denominação se deve à cidade onde os combates aconteceram. Porém, há muitos anos ela não se chama mais Stalingrado, e sim, Volgogrado. A cidade mudou de nome justamente para não mais homenagear um ditador: Josef Stalin.

————

E o Guga Türck tem uma outra proposta, ainda mais ousada. E que iria deixar ainda mais em pé os cabelos dos direitosos, já que mudaria o nome da rua dos poderes do Rio Grande do Sul…

Anúncios

6 comentários sobre “Mentiras sobre a Avenida da Legalidade

  1. Muitas ruas mudam de nome e ninguém fala nada… pq essas vozes contrárias agora??? A própria rua do foro central mudou de nome além de muitas outras…

  2. Bah, não tinha lido ainda o que o Guga escrevera… muito boa ideia. Eu estou pesquisando sobre os lanceiros para fazer um documentário e outras publicações sobre o assunto. Muitos lugares em POA deveriam ter homenagens aos negros. A propósito, veja o que já estão fazendo. Vi a inauguração da pegada africana na feira do livro. Valeu o post, Rodrigo. Vai o link…ali há as fotos do percurso negro pra quem está longe ou não viu.
    http://museudepercursodonegroemportoalegre.blogspot.com/

  3. Rodrigo,

    Por pior que seja, penso que deva-se manter os nomes não por uma questão de documentação e de custo mas, sim, porque houve momentos lamentáveis na nossa história que não podem ser apagados nem varridos pra debaixo do tapete. Filhos, netos e turistas precisam saber que, em determinada época, o tipo de político, de empresário, de militar e de mídia que tínhamos no RS louvavam FDPs que fizeram isso e mais aquilo com a vida da maioria das pessoas na cidade, no estado, no país, no continente e no mundo.

    []s,
    Hélio

    • Discordo. Pois os citados políticos, empresários, militares e veículos de mídia seguem louvando a ditadura… Deixaram isso bem claro nesse episódio.

  4. Pingback: A batalha sem campo | Cão Uivador

Os comentários estão desativados.