Constatação

Alguns cientistas dizem que o verão deixa as pessoas mais felizes, e o inverno deprime.

Logo, das duas, uma: ou esses cientistas são comprados pela indústria de sorvetes, ou Forno Alegre tem um verão digno do filme “Um Dia de Fúria”.

Anúncios

4 comentários sobre “Constatação

  1. Rodrigo,

    Excluindo o teu raro desconforto fisiológico, no verão, o mundo fica mais colorido e as pessoas tem a compulsão de saírem de casa e de explorarem lugares que não costumam frequentar habitualmente.

    Não que isso não possa ser feito no inverno. Porém, o frio deixa as pessoas “ajorjadas” e mais carrancudas, além das cores do ambiente serem escuras.

    Talvez tu estejas mais condicionado pelo desconforto do que propriamente sintas o desconforto na proporção com que tu o expressas. É um círculo vicioso: se tu pensas no lado bom das coisas, tenderás a ver que há excelentes vantagens no verão. :)

    Eu sobrevivo bem ao inverno, embora não me sinta física nem emocionalmente à vontade. Isso que não sou chegado àquilo que muitos veem como grandes virtudes do inverno, que são o romantismo, se entupir de comida e beber vinho… ;)

    []’s,
    Hélio

    • Penso no lado bom das coisas, e a primeira coisa que me vem à cabeça é o outono. Que por sinal, é mais colorido que o verão: temos árvores com folhas amarelas, laranjas, vermelhas…

      Sem contar que esse calor não me dá a menor vontade de andar na rua. Isso é muito mais deprimente que qualquer dia cinzento de inverno.

  2. A mim parece que teu problema com o verão já tem algo de pessoal. Não gostas do verão e ponto final. Não estás interessado em ver as opções vantajosas que a estação mais quente do ano é capaz de oferecer.
    Já te disse, ano passado, que o calor das ruas – não o dos carros ou casas – é igual para ricos ou pobres, diferentemente do frio do inverno que é sempre, em qualquer lugar, bem mais perverso com os menos favorecidos pelo sistema.
    Sei lá, mas já começo a achar que teu caso não pode ser curado por um simples aparelho de ar-condicionado. Já pensaste em um psiquiatra?

    • Não vejo nenhuma opção vantajosa no verão. Só suor e desânimo para sair à rua enquanto o sol não se põe. Pois o argumento da praia é falacioso: quem pode passar os três meses de verão lá? Na cidade, é esse inferno.

      E o calor das ruas não é igual para ricos e pobres, justamente porque os ricos não andam nas ruas (e quando o fazem, é só de carro no ar condicionado, nunca a pé ou num ônibus lotado). Quanto ao frio ser mais perverso com os menos favorecidos pelo sistema, isso se deve não ao frio em si, mas sim… AO SISTEMA. Aliás, o mesmo motivo pelo qual o calor afeta mais quem não tem grana pra comprar ar condicionado.

      Não preciso de psiquiatra, só preciso que o tempo melhore. Bom, pelo menos enquanto eu não começar a dar uma de Michael Douglas em “Um Dia de Fúria”…

Os comentários estão desativados.