Associação Nacional dos Torcedores

Talvez seja a melhor novidade do futebol brasileiro nos últimos anos. Uma associação com o objetivo de lutar pelos direitos dos torcedores de clubes de futebol no Brasil, e discutir criticamente a organização da Copa do Mundo de 2014, com suas inevitáveis consequências para todos.

A Associação Nacional de Torcedores foi fundada a partir das iniciativas de Christopher Gaffney (professor visitante da Escola de Arquitetura e Urbanismo da UFF e autor de “Temples of the Earthbound Gods”, em que trata sobre os estádios de futebol como santuários) e Marcos Alvito (professor do Departamento de História da UFF), preocupados com as mudanças acontecidas no futebol brasileiro nos últimos anos.

A Associação define sua missão em sete pontos:

Criar uma organização sem fins lucrativos para lutar contra:

  1. A exclusão do povo brasileiro dos estádios de futebol, fruto de uma política deliberada de diminuição da capacidade dos estádios, extinção de setores populares dos estádios e aumento abusivo dos ingressos
  2. O desrespeito à cultura torcedora com a extinção de áreas populares como a geral, onde há uma tradição própria de participação no espetáculo que inclui assistir ao jogo de pé (o que acontece na Alemanha)
  3. A falta de transparência no futebol brasileiro, há décadas nas mãos de dirigentes incompetentes e corruptos; exigimos a democratização das decisões acerca do futebol brasileiro com a participação dos torcedores; por exemplo: as sucessivas e milionárias reformas do Maracanã, feitas sem nenhuma consulta aos torcedores
  4. A exploração politiqueira do futebol visando eleger candidatos que aproveitam-se da sua popularidade para conseguirem mandatos contra o povo
  5. O controle das tabelas e horários dos campeonatos na mão da rede de televisão que há décadas detém o lucrativo monopólio das transmissões televisivas de jogos de futebol; horário máximo de 20h para o início das partidas durante a semana e 17h aos domingos
  6. A retirada de comunidades de trabalhadores em nome da Copa do Mundo e das Olimpíadas
  7. A falta de meios de transporte dignos durante os dias de jogos; exigimos esquemas especiais em dias de jogos

Uma sugestão a mais, é também lutar contra o grande apelo midiático (não só na televisão, como também em jogos de videogame) que se vê em favor de clubes europeus, para evitar que possa acontecer no Brasil o que já se vê em vários países asiáticos: os jovens, ao invés de torcerem pelos clubes de seus países, optam por times da Europa. Antes que alguém ache que é bobagem, lembremos que em vários Estados os clubes locais não têm torcida significativa, devido à maior visibilidade de Flamengo e Corinthians. Tendência que se fortalece com a elitização dos estádios, que força a maioria dos torcedores a só verem futebol profissional pela televisão.

Por aqui, embora a gurizada ainda torça por nossas equipes, é crescente o número de crianças vestindo camisas de clubes europeus, inclusive de menos tradição que boa parte dos nossos grandes: ninguém me convence que o Chelsea – clube que até ser comprado pelo bilionário russo Roman Abramovich só tinha sido campeão inglês uma vez, em 1955 – possa ser maior que o Grêmio (ou, para um exemplo menos passional, que o Cruzeiro). Porém, no videogame se pode jogar com o Chelsea; Grêmio, Cruzeiro e outros grandes do futebol brasileiro, só se o jogo for pirata.

Menos mal que no próximo Pro Evolution Soccer ao menos se poderá disputar a Libertadores, fazendo a “geração PlayStation” perceber que o nosso futebol também é bacana.

Anúncios

10 comentários sobre “Associação Nacional dos Torcedores

  1. Simpatizei com os princípios dessa associação, em especial no que se refere à elitização do futebol. Ingressos caros, camisetas com valores extorsivos, substituição de arquibancadas por camarotes nos estádios, pay-per-view, tudo isso afasta o povão do futebol, que só é lembrado quando o time vai mal e oferecem ingressos baratos. Na Inglaterra, estes movimentos organizados de torcedores são mais comuns. Quando o Manchester United foi vendido a um bilionário australiano, um grupo de torcedores criou seu próprio time, o United of Manchester.

  2. Por falar em futebol olha só isso aqui. Depois não adianta dizer que é coisa de Colorado… KKKK

    Trecho da entrevista de Rafa Benítez, técnico da Inter de Milão, a Paulo Roberto Falcão:

    Falcão – Qual é a importância do Mundial de Clubes para você?

    Benítez – Para qualquer treinador, sempre é importante ganhar. Neste caso, coincide que a Inter nunca ganhou este troféu. É o título que falta na galeria da Inter.

    => Detalhe: a Inter de Milão ganhou 2 Intercontinentais (1964 e 1965)

    http://www.clicrbs.com.br/esportes/rs/noticias/futebol-inter-mundial-2010,3053206,Rafa-Benitez-Falta-o-titulo-mundial-na-galeria-da-Inter.html

    E por falar em vídeo game adivinha qual é o clube brasileiro que você encontra no joguinho original? KKK

    • Cada vez mais me convenço de que esse desespero em “desqualificar” as conquistas do Grêmio só pode ser inveja, porque ganhamos antes…

      Tenho certeza absoluta de que se o Inter tivesse sido campeão mundial em 1980 (ano em que foi vice da Libertadores), os colorados não ficariam falando em “Toyotão” e outras pifações.

  3. Pingback: Tweets that mention Associação Nacional dos Torcedores « Cão Uivador -- Topsy.com

  4. “Na zona sul existe um rio
    nesse rio mergulha o sol
    e arde de fins de tarde
    de luz vermelha
    de dor vermelha vermelho anil

    atras de um muro existe um rio
    que na verdade nunca existiu
    mas arde de fins de tarde
    de luz vermelha
    de dor vermelha vermelho anil”

  5. Salve!

    Tive a oportunidade de estar com alguns estudantes da UFF que estão na construção da ANT e pude conversar bastante sobre essa proposta. A idéia partiu de uma aula de educação física e em cerca de 1 mês já se espalhou pelo país.

    Arthur Bispo
    Coordenador Nacional da ABEF e associado da ANT
    DA-LHE GRÊMIO!

Os comentários estão desativados.