“Faltam táxis em Porto Alegre”

Estas foram palavras ditas pelo motorista do táxi que me conduzia a minha casa, nesta quarta à noite. E ele emendou: “quero só ver como vai ser nos jogos da Copa”.

De acordo com o taxista, Porto Alegre tem em torno de 4 mil táxis. Pode parecer bastante, mas todos sabem a dificuldade que é para se conseguir um nos horários de maior movimento. Quando chove, então, torna-se quase uma missão impossível. E já que se falou em Copa do Mundo, lembro uma experiência minha relacionada a futebol.

Após a final da Libertadores de 2007, saí do Olímpico em busca de um táxi, visto que ônibus àquela altura seria bem difícil pegar – o jogo terminava à meia-noite, provavelmente eu já perdera o último. Fui andando em direção à Avenida Getúlio Vargas, depois segui por ela. Percorri toda a extensão da via, sem conseguir um táxi disponível. Só achei um na Venâncio Aires, pouco antes da Santana. Não fosse praticamente uma da manhã, eu teria concluído o trajeto a pé mesmo, pois já havia caminhado mais da metade dele.

Anúncios

5 comentários sobre ““Faltam táxis em Porto Alegre”

  1. Caramba… tirando o fato de tu não ter deixado claro que o Grêmio perdeu aquela Libertadores, teu texto está bastante claro e verdadeiro. Tens muito jeito com a palavra escrita, e realmente não sei porque não investe na carreira de escritor ou jornalista.

    • Que o Grêmio perdeu aquela Libertadores, todo mundo sabe, acho que nem era preciso lembrar desse triste detalhe, hehe…

      Quanto à carreira de escritor, vou precisar do auxílio de um professor de português para a revisão dos textos. ;)

  2. Sim, concordo plenamente. Eu sofro muito tb com as lotações porque sempre priorizam aquelas que passam nos shoppings. Consumismo/capitalismo acima de tudo. Ocorre que pra ir pra minha aula eu uso outra que dobra bem antes do shopping e aí é uma loucura. NOrmalmente são 3 pro shopping e uma pro outro trajeto. Quando quebra alguma então é uma maravilha. Ônibus cheios, claro. Acho que deveriam colocar mais lotações em POrto Alegre e cobrar mais em horários noturnos já que terão menos passageiros e tb aumentar o horário de funcionamento das “tartarugas”. É melhor do que não ter o serviço em determinados horários ou trajetos.

    • É tudo priorizando os shoppings… De fato, consumismo acima de tudo.

      Lembro que as linhas de lotação que passam pela Cristóvão Colombo, no sentido centro-bairro, antigamente iam pela Farrapos até a Gaspar Martins, ao invés de pelo corredor de ônibus da Cristóvão (na Independência as lotações vão pelo corredor desde que ele passou a existir). Agora elas vão pelo corredor – por causa do Shopping Total…

  3. A solução é aprovar o projeto do Pontal, que fica bem pertinho do templo máximo do futebol gaúcho.
    Aí os eslovenos, uruguaios, coreanos ou seja lá quem vai ser sorteado pra jogar ali, podem se deslocar a pé para o hotel.

    #ironiamodeon#

Os comentários estão desativados.