O primeiro debate de 2010

Ontem à noite, a Rede Bandeirantes realizou o primeiro debate entre os candidatos à presidência da República. Enfim, a “grande mídia” teve de abrir espaço para Plínio de Arruda Sampaio, que vinha sendo solenemente ignorado – só se falava de Dilma, Serra e Marina.

A propósito, foi justamente Plínio que salvou o debate da pasmaceira. Já tinha lido que ele se preocupava em atacar mais o PT do que a outros partidos, mas não foi o que vi ontem: o candidato do PSOL bateu forte nos três adversários, fez críticas pertinentes. E, o melhor de tudo, com toques de bom humor, diferente da postura adotada por Heloísa Helena em 2006. Afinal, qual foi a melhor: ele chamando José Serra de “hipocondríaco” por “só falar de saúde”, ou dizendo que Marina Silva é uma “ecocapitalista”?

Sem dúvida alguma, quem ganhou com este debate foi Plínio. Como falei, não se preocupou apenas em “bater no PT”, prática adotada muitas vezes pelo PSOL que considero muito equivocada, por fazer o partido se mostrar como “oposição” – que no Brasil, hoje, é de direita – e não como alternativa de esquerda, que é o que ele precisa ser. Na última eleição para a prefeitura de Porto Alegre (2008), para vocês terem uma ideia, nos debates Luciana Genro batia forte na petista Maria do Rosário enquanto debatia propostas com Onyx Lorenzoni, do DEM. Pode???

Bom, agora resta torcer para que a “grande mídia” deixe de falar em apenas três candidatos à presidência. Pois eles não são três, e nem quatro: além de Plínio, concorrem outros cinco – Rui Costa Pimenta (PCO), Zé Maria (PSTU), Ivan Pinheiro (PCB), Levy Fidelix (PRTB) e José Maria Eymael (PSDC) – que não participaram porque a lei só obriga as emissoras a convidarem os candidatos de partidos representados no Congresso.

Anúncios

14 comentários sobre “O primeiro debate de 2010

  1. Camarada, às vezes, quem faz oposição de esquerda ao Governo Lula bate de forma aparentemente demasiado no PT pela influência e falsa consciência progressista que este partido ainda exerce sobre setores progressistas da sociedade. É para salientar o quanto tristemente este partido hoje se parece com aquilo que sempre combatemos ferozmente!

    Dizer, por exemplo, que Lula privatizou mais estradas que FHC não é “bater mais no PT do que na velha direita” mas externar uma verdade irrefutável e demonstrar que no que tange ao PROGRAMA não há diferenças entre o PT e a velha direita.

    Abraços!!!

    • Aí é que tá: acho que a oposição já é feita pela direita, a esquerda deve ser alternativa. Afinal, há coisas boas do governo Lula, é um erro atacá-las diretamente.

      Concordo que o PT hoje não é mais o que podemos chamar de esquerda (embora os militantes ainda sejam), mas acho que as baterias devem ser voltadas contra a velha direita – pois é ELES que não quero nunca mais ver no Planalto, será uma tragédia para o Brasil se eles voltarem ao governo. Pois se preocupar muito em bater no PT não favorece ao PSOL, e sim, à velha direita (que, exceção feita ao DCE da UFRGS, se mantém unida).

      • Camarada a velha direita está no Planalto sim! Com quem Dilma está coligada? Não é com o PMDB do Sarney? O seu vice não é o Renan Calheiros? E o Collor hoje não é aliado de Lula? Mesmo o PSDB sendo “oposição” ele não deixou de fazer aliança com o PT em determinadas regiões do país, veja:
        http://g1.globo.com/Noticias/Politica/0,,MUL365016-5601,00.html

        São esses equívocos que quem faz oposição de esquerda ao Governo Lula busca esclarecer embora isso possa parecer “bater mais no PT do que no resto”. E digo mais ao camarada: só a esquerda pode ser oposição a este governo! Porque? Porque só ela é oposição ao MODELO NEOLIBERAL que tanto PT, quanto PMDB, PSDB, DEM e seus aliados implementam! A disputa entre PT e PSDB se limita a saber quem vai controlar o aparelho de Estado e efetuar o entreguismo em algo muito parecido no que já ocorre em países como os EUA, entre Republicanos e Democratas. Está insatisfeito com as guerras de Bush? Então que tal as guerras do Obama?

        O fato de uma eventual derrota do PT beneficiar um setor da velha direita não pode ser creditado a oposição de esquerda mas ao próprio PT. Enquanto ficarmos votando no PT para derrotar a velha direita sendo que ela está junto com o PT estaremos não só colaborando para inflar uma polarização que só disputa cargos e não projetos, além de deixar de fortalecer a esquerda que de fato se apresenta como alternativa.

        • O vice da Dilma não é Renan Calheiros, é Michel Temer!

          A velha direita está, sim, no governo Lula. Mas a diferença é que ele não é TODO de direita, tem aespectos em que ele é de esquerda (e outros, de direita). Um governo Serra seria TODO de direita – ou seja, bem pior. Teríamos a manutenção do conservadorismo em algumas áreas, como a econômica (o que “salvou o Brasil” da crise foi reduzir o IPI sobre os carros, e o resultado está aí nas ruas todo fim de tarde, quando não se consegue andar pela cidade) e a ambiental, e retrocesso em outras, como as políticas sociais.

          E não estou defendendo que “votemos no PT” – tanto que também vou de Plínio! Só acho que devemos sim criticar o governo Lula, mas sem deixar de voltarmos as baterias para o demotucanato, representante do que existe de pior na política brasileira.

          • Mas camarada a política econômica do Lula é celebrada pelos demotucanos e a atuação do Governo na área ambiental também não tem nada de progressista basta ver a gestão da Marina Silva a frente da pasta do Meio Ambiente (conhece o privatista projeto de Gestão das Florestas Públicas que entregou quase metade da Amazônia?), além do desrespeito com as comunidades indígenas em projetos de hidrelétricas, sem falar na transposição do São Francisco, entre outros. A política econômica então é a mais acusada de ter sido conservadora. E não é sem razão!

            Gostaria que o camarada me citasse em que aspectos acha que o governo Lula é progressista para discutir melhor.

            • Na resposta anterior eu já tinha falado justamente da política econômica e ambiental. E também há vários outros motivos para criticar o governo Lula, como os que citei naquele post que escrevi em maio: https://caouivador.wordpress.com/2010/05/05/por-que-nao-votarei-em-dilma-no-1-turno/

              O que eu achei que foi progressista no governo Lula, foram as políticas sociais – e isso é importantíssimo. O Bolsa Família, por exemplo, não é a solução, tem de ser medida de emergência, para ajudar os que estão na miséria a saírem dela e poderem se manter por conta própria. A solução mesmo se chama educação, o famoso “não dar o peixe, mas ensinar a pescar”, mas quando a pessoa tá morrendo de fome, é preciso primeiro “dar um peixe” para que ela tenha condições de “aprender a pescar”.

              Assim como concordo com as cotas nas universidades COMO MEDIDA EMERGENCIAL, já que a solução mesmo é qualificar o ensino público – fundamental e médio – para que os estudantes de escola pública, mais pobres, possam concorrer em pé de igualdade com os alunos oriundos do ensino privado.

              Hoje em dia há mais vagas nas universidades federais – que eram cotadas para a privatização no governo FHC – e inclusive temos novas instituições como a UNIPAMPA, que pode vir a ser uma importante ajuda para tirar a metade sul do RS daquele atraso. Claro que nem tudo está uma maravilha, como mostrou o próprio projeto do Parque Tecnológico da UFRGS, apoiado pelo governo e benéfico às empresas privadas, que ganham o acesso à “mão-de-obra barata” (bolsistas) e as patentes dos resultados das pesquisas feitas na universidade.

              Enfim, como eu disse, acho que há muito o que ser criticado no governo Lula, mas não podemos demonizar tudo. Seria o mesmo caso de eu, só por ser gremista, não ver mérito nenhum na campanha do Inter na Libertadores – uma coisa é a flauta, outra é o bom senso. ;)

            • Aliás, há até medidas tomadas por JOSÉ SERRA (ele, não o PSDB) com as quais concordo, como a política de restrição ao cigarro – êta fumacinha desgraçada! Acho que a lei anti-fumo é exagerada (e midiática), mas ao menos isso acaba sendo falado, e se pode debater algo que considero mais importante: o desrespeito de alguns fumantes contra os não-fumantes, quando insistem em fumar em locais fechados (bares, restaurantes etc.) e nos deixam com o cheiro daquela fumaça maldita.

              Mas, o fato de eu concordar com isso obviamente não quer dizer que eu cogite votar em Serra – muito pelo contrário!

              • A política social não pode ser analisada separada do resto. Se fizermos isso podemos acabar por chamar até o FHC de progressista pois é sabido que o bolsa família foi uma junção de programas anteriores do governo tucano. É óbvio que mesmo quem defende mudanças radicais não rejeita medidas assistencialistas emergenciais que diminuam o sofrimento do povo. Mas como disse anteriormente, para saber qual o papel real que tais políticas cumprem é preciso observar o global.

                O bolsa família é distribuído ao mesmo tempo em que se aprofunda o modelo neoliberal no país. Ora, se foi esse modelo que deixou um determinado grupo de pessoas nessa situação, o que ocorrerá se mantivermos esse modelo? Parece óbvio que a dedução será a de que teremos mais pessoas nessa situação. Portanto não há nada a comemorar quando o governo diz que há mais pessoas mantidas por esse programa. Significa que a política econômica está deixando mais pessoas em situação de penúria. Saliento ao amigo, caso ele não saiba, que a fórmula “neoliberalismo econômico + programas assistencialistas” é uma recomendação do Banco Mundial (organismo que está longe de ser progressista). Tal fórmula é uma tentativa de evitar a sublevação dos desvalidos. É uma fórmula portanto conservadora e não progressista!

                A questão das cotas o camarada sabe que não foi bem assim. Na Ufrgs ela veio devido a luta dos estudantes contra a própria reitoria. E as tais alianças “necessárias para a governabilidade” as rejeitaram no Senado recentemente.
                As Universidades estão sendo sucateadas, a terceirização é grande e o aumento de vagas não está encontrando correspondência com aumento de professores. O meu curso de Sociais para atender os planos de governo teve o seu currículo esvaziado com inúmeras cadeiras centrais sendo removidas na última mudança do currículo.

                Podemos discutir se DENTRO DO MODELO NEOLIBERAL Lula foi um melhor gestor do que FHC. O que sinceramente eu não vejo nenhuma vantagem. Mas para apontá-lo como progressista é preciso muito malabarismo e rejeição a realidade concreta.

                Abraços!!!

  2. Pingback: Tweets that mention O primeiro debate de 2010 « Cão Uivador -- Topsy.com

  3. O Plínio foi responsável pela primeira verdadeira Reforma Agrária.
    Foi quando dividiu a Pangéia em Continentes !!!

  4. Olá td bom estou divulgando este documentário, se puder assistir, vale a pena. Obrigado
    http://nosolhosdaesperanca.blogspot.com/

    Resenha:

    Jânio é um rapaz de vinte anos que foi preso na orla da praia da Cidade de Praia Grande confundido de fazer parte de um grupo de jovens que promoveram um arrastão. Mesmo sem provas ficou preso durante 11 meses. Leide e Francisco a mãe e o pai de Jânio precisaram lutar para provar a inocência do filho, enfrentando a principal dificuldade que esbarra num problema social ainda não resolvido no Brasil.

    “Ser pobre é ser culpado até que se prove ao contrário?”

  5. O debate foi tão eficaz pro Plínio que até lugar no da globo ele conseguiu, né? É sempre bom ver que os pequenos conseguem incomodar, pra tirar um pouco da mesmice.

Os comentários estão desativados.