Pérola histórica

O editorial publicado pela Zero Hora ontem é daqueles dignos de serem guardados. Não por ser um texto de grande qualidade, e sim, pelo verdadeiro festival de bobagens. Mas de objetivo muito claro: atacar o debate democrático que é feito na internet – e que ajuda a diminuir a credibilidade da chamada “grande mídia”.

Há uma crítica às opiniões muito extremadas (até aí, tudo bem), mas o termo usado no título é o pra lá de conhecido “radicalismo”. Basta abrir o dicionário para saber que chamar alguém assim não é xingar, e sim elogiar: afinal, “radical” é quem ataca o problema pela raiz.

Mas no corpo do texto, o jornal viaja de vez. Chega a falar que a internet é um ambiente “tendencioso” e que por isso lá impera a falta de credibilidade. Bem diferente, claro, das páginas da Zero Hora.

O que é o medo do verdadeiro debate democrático…

Leia mais no Jornalismo B.

Anúncios

7 comentários sobre “Pérola histórica

  1. Tu és maldoso, hein? ZH é um bastião democrático!

    Mas tu leste uma crônica do Sant`Anna de 2ª. Não, deixa eu procurar para te mostrar a grosseria:

    Perguntaram-me se sou contra ou a favor do casamento gay.

    Respondi: “Sou contra qualquer tipo de casamento, inclusive de homem com mulher”.

    E me disseram que casamento gay é “um dia no meu, outro dia no teu”, e perguntaram se sou a favor disso.

    Quero dizer a respeito disso que aí depende do contrato, há casamentos gays em que o contrato é bilateral, outros em que é unilateral.

    ??? Isso deve ser uma piada…

  2. E o pior de tudo é que este tipo de editorial funciona, principalente entre os leitores mais velhos.

    Por exemplo: esses dias o Santana escreveu sobre aquele estupro em Floripa. Tenho um tio que mora no RS e lê a versão impressa da ZH que acatou 100% o que disse o colunista. Quando na verdade,basta visitar o blog (ambiente democratico, de livre expressão) do Santana para ver a saraivada que ele levou dos leitores por descer tão baixo na defesa da família dos patrões. Único mérito do clicrbs nesse caso foi não ter apagado os comentários dos leitores, mostra um resquício de respeito.

    um abraço

  3. É por isso que estão tentando fechar o cerco à internet, inclusive nas proclamadas “terras das liberdades”.
    É por isso que no Brasil há um projeto tramitando para “regularizar” os Blogs:
    http://blogdomonjn.blogspot.com/2010/07/controle-da-internet-blogs-na-mira.html

    E isso que a internet tem limitações. Afinal ela é controlada por corporações capitalistas. Mesmo assim a mídia “livre” e as classes dominantes têm se sentido ameaçados e feito isso:
    http://blogdomonjn.blogspot.com/2010/07/midia-livre-demitida-por-delito-de.html

  4. Favor colocar o link para o tal editorial. Tens acesso??? Obrigada

    No caso do comentário do Rodrigo, só posso dizer que a mídia não precisa “controlar” opinião nenhuma pq ela é “proprietária” dos meios de comunicação. Se eles têm poder é pq alguém paga pra ler as idiotices que publicam. Eu boicoto direto. Se depender da minha grana, eles já estão falidos!!! Execução sumária.

  5. As grandes emissoras não sabem lidar com a democracia, não estão acostumadas, só sabem trabalhar “de cima pra baixo”. Também não se deram conta que a internet é território de ninguém e de todo o mundo ao mesmo tempo. Daí querem controlar o vento com as mãos… se quebraram.
    Muito me admira a RBS querer controlar a internet e todos os comentários postados na GRANDE web.
    Adiós, hermanos.

  6. Obrigada. Debate plural e saudável é a única coisa que não existe na RBS. Este profe filósofo certamente foi tendencioso em seus comentários, mas isto o editorial não ataca. Como sempre, tentam manipular o leitor para o lado deles. Ou seja, qq opinião contrária é vista como de mau gosto ou errada e q deve ser banida. Agora estupro não é mais crime, mas ter opinião é atividade criminosa. Já vi este filme antes…
    SOu adepta do slogan:
    ESTUPRO, NEM PENSAR!!!
    # Reproduzir o conteúdo para criticar vale a pena. A propósito, não vi espaço para comentários no editorial. Não constumam colocar comentários em editoriais??

Os comentários estão desativados.