Teremos sanções ao Estado de Israel?

Revoltante. Enojante. Covarde.

São essas as três primeiras palavras que me vêm à cabeça para descrever o criminoso ataque israelense a navios que levavam ajuda humanitária à Faixa de Gaza, submetida a um bloqueio por parte de Israel há três anos. Não bastasse a barbárie em si, ainda há outro agravante: aconteceu em águas internacionais. Ou seja, sequer havia a justificativa de “ingresso não-autorizado” em águas israelenses.

E depois ainda falam em “fundamentalismo islâmico”. Mas tão ou mais fundamentalistas são aqueles que consideram uma frota humanitária como “terrorismo” (querem ver que Israel vai dar essa justificativa?); ou os que vêem o Irã como “ameaça mundial” por querer desenvolver um programa nuclear – que até agora ninguém provou ser destinado à fabricação de armas -, mas têm bombas atômicas suficientes para destruir várias vezes o planeta.

A propósito, se o Irã é “ameaça mundial” por querer desenvolver um programa nuclear, o que dizer de Israel, que tem bombas atômicas e não faz o menor esforço pela paz? Cadê as sanções???

Anúncios

3 comentários sobre “Teremos sanções ao Estado de Israel?

  1. Sanções são para os não aliados, pelo visto, para os que ousam contrariar as ordens de Washington. É inaceitável, repugnante e consternante que civis arquem com as consequências de uma briga político-econômica, tendo, como na Faixa de Gaza, a vida prejudicada em nome de “segurança” e “combate ao terror”. Cada dia mais, pergunto: Terror por parte de quem? O mais perigoso, pelo visto, não é combatido.

    • E o amigo concorda com o que é mostrado no link? Ou mandou-o apenas para confirmar o acerto da minha previsão sobre a justificativa israelense? ;)

Os comentários estão desativados.