Era só o que faltava

Impossível ler uma notícia assim e não pensar: “poderia ter sido comigo ou com qualquer amigo ou conhecido que ande de ônibus”. Um jovem, que retornaria da escola para casa, morreu eletrocutado após encostar em uma grade da parada de ônibus na Avenida João Pessoa, em frente ao Campus Central da UFRGS.

E o pior de tudo é que o problema já era conhecido: moradores da região dizem que a parada está energizada há cerca de um mês, e um segurança da UFRGS diz que alertou a EPTC após uma menina levar um choque no dia 28 de março. E o local sequer foi interditado – diz o prefeito José Fortunati que uma equipe verificou a estação e “não encontrou problemas”.

E José Fogaça, prefeito até o último dia 30, quer ser governador do Rio Grande do Sul. Que beleza.

Anúncios

7 comentários sobre “Era só o que faltava

  1. Se for confirmado que a EPTC e portanto também a Prefeitura estavam cientes do problema, não deve ser difícil responsbilizar criminalmente os responsáveis, incluindo os dois prefeitos, é claro.
    No entanto não fico pensando que poderia ter sido com qualquer um de nós, eu prefiro pensar que poderia ter sido com quem não cumpriu seu dever de resolver o problema.

  2. Deve ser este o tal “choque de gestão” que esse pessoal tanto defende!

  3. Sabe, achei que o descaso estava só com a saúde pública, que já esta desassistida a muito tempo. Onde coisas acontecem e a população nem chega a ter conhecimento… Mas agora, neste caso, vai ser estratégico jogar a culpa como sempre. Ficar empurrando um para o outro a responsabilidade de saber realmente quem deveria ter solucionado a tal fuga de energia, CEEE ou EPTC…..
    Sinceramente, para mim pouco importa de quem é a responsabilidade, o que me revolta é que um ser humano perdeu a vida pelo descaso daqueles que só sabem tirar seus belos carros da garagem para trabalhar ou passear e arranjar desculpas esfarrapadas para tapar suas incompetências…

  4. Pingback: Vem aí mais um assalto ao bolso do porto-alegrense « Cão Uivador

Os comentários estão desativados.