Difunda esta ideia

Ontem, a Argentina lembrou o aniversário do golpe militar de 1976, que derrubou o governo de Isabelita Perón e deu início a uma ditadura militar no país. Desde 2006 o dia 24 de março é feriado na Argentina, sendo chamado Dia Nacional de la Memoria por la Verdad y la Justicia.

Na rede social Facebook, uma interessante ideia surgiu entre os argentinos: uma convocação aos usuários para retirarem suas imagens de perfil no dia 24 de março, deixando no lugar apenas a silhueta que aparece quando não se escolhe nenhuma foto. Eis o motivo (que tomei a liberdade de traduzir ao português):

Para que quem ainda pergunta por que este dia é feriado, veja como seria se muitas pessoas queridas se ausentassem todas juntas, como aconteceu durante a ditadura.

Logo que tomei conhecimento da mobilização argentina (aliás, à qual eu aderi), pensei: que tal fazermos algo semelhante no Brasil? Seja em 31 de março ou 1º de abril, o golpe militar que derrubou João Goulart completará 46 anos. E por aqui não temos feriado, muito menos lembranças – o que facilita a vida dos que dizem não ter havido ditadura no Brasil (negar algo contra todas as evidências históricas, isso lembra algo, né?) ou, que até teve, mas ela foi branda, “ditabranda”.

Pensando melhor, não basta tirarmos imagens de perfil no Facebook (e também no Orkut, onde há muito mais brasileiros). Façamos mais: é necessário que as pessoas entendam que há um motivo importante para a mudança da imagem e assim seja atiçada a sua curiosidade: “o que ele(a) quer dizer?” – do contrário, poderá parecer apenas uma falha do Facebook ou do Orkut.

Assim, nos dias 31 de março e 1º de abril, substituamos nossas imagens de perfil no Facebook e no Orkut por um NUNCA MAIS. Pode ser apenas as duas palavras em um fundo branco, ou a silhueta de quando não se escolhe nenhuma foto – também com o NUNCA MAIS, é claro. Induzamos as pessoas a pensarem, a lembrarem que houve uma ditadura militar em nosso país, e que isto não deve ser esquecido.

Claro que poderá acontecer de muitos não entenderem o motivo do NUNCA MAIS, daí a importância de se colocar no perfil uma explicação – pode ser lembrando que 31 de março/1º de abril é aniversário do golpe de 1964, e que nosso objetivo é dizer DITADURA NUNCA MAIS.

Procure difundir esta ideia, seja em blogs ou por e-mail, para que tenhamos a maior adesão possível – no Brasil e mesmo fora do país!

Anúncios

7 comentários sobre “Difunda esta ideia

  1. Pingback: uberVU - social comments

  2. Realmente hoje deveria ser feriado nacional para homenagear aqueles bravos militares que salvaram o pais de uma ditadura nos moldes da Uniao sovietica.

    • Campeão do Mundo PIFA, os verdadeiros bravos militares foram os que defenderam a CONSTITUIÇÃO por cima da qual passaram os GOLPISTAS. E não foram tão poucos.

      Se o objetivo deles era “salvar o Brasil de uma ditadura nos moldes da União Soviética”, o que eles conseguiram foi implantar uma ditadura nos moldes da Escola das Américas – ou seja, “made in USA”.

  3. É incrível que ainda existam pessoas que acreditam que em 1964 o Brasil estava na iminência de se tornar um regime ao estilo soviético.

    As reformas propostas por Jango eram similares as da Europa Ocidental e do Japão, ou seja, países sob a esfera de influência dos Estados Unidos. Lá foi feita reforma agrária, criado o Estado de bem-estar, entre outras coisas. Mas por aqui falar em presença do Estado na economia e reforma agrária sempre foi interpretado como coisa de comunista. Isso é pra gente ver o tamanho do atraso da elite tupiniquim.

    Jango queria reformar o capitalismo brasileiro e não abolí-lo. Isso até setores de direita hoje reconhecem. O golpe de 1964, que se dizia transitório (e durou mais de 20 anos) e que foi aplaudido pela imprensa “livre” foi grosseiro e deve ser repudiado com todas as forças!

  4. Eu sou colorado, mas esse campeão do mundo píffero aí merece o Fossati, o Edu, o Taison e um 3-5-2 com dois lateriais e dois volantes alucinados.

  5. O “campeão do mundo píffero” deixou mais um comentário dizendo que “a ditadura comunista matou um milhão de vezes mais do que a ditadura no Brasil”, e que foi muito certo tudo o que se fez em nosso país durante a ditadura. Aí foi demais: não vou tolerar que no meu blog se defenda barbaridades.

    E além de Fossati, Edu, Taison e um 3-5-2 com dois laterais e dois volantes alucinados, o cara merece umas aulinhas de marxismo… Pois, se ele lesse alguma coisa de Marx, saberia que é impossível uma “ditadura comunista” pelo simples fato de que segundo a teoria marxista o comunismo só se concretizaria quando o Estado deixasse de existir.

    O Jorge falou tudo: o Brasil de 1964 não estava perto de se tornar um regime ao estilo soviético. O que o país tinha de mais próximo do socialismo era o extremo norte de Roraima, ponto do território nacional mais perto de Cuba.

  6. Pingback: Dois dias em memória das vítimas da ditadura « Cão Uivador

Os comentários estão desativados.