8 respostas em “Kayser Olímpico

  1. Camarada Rodrigo: fico arrepiado só de pensar na roubalheira que vai rolar tanto na Copa do Mundo quanto nas Olímpiadas.

    Quanto ao sentido da charge me pareceu meio Lulista. Um desgoverno que foi omisso em matéria de reformas estruturais para as camadas subalternas se limitando à enganá-las com programas assistencialistas.
    Não sou contra a criação de programas assistenciais, porém, eles devem ser acompanhados de um programa de reformas estruturais (não as que a direita quer) e mudança do modelo econômico neoliberal (que é extremamente excludente). Da forma como o governo Lula está fazendo fica como mero instrumento eleitoralista, e da forma mais perversa, no melhor estilo dos coronéis nordestinos.

    • Não achei que a charge foi lulista, e sim, crítica ao moralismo dos demotucanalhas. É fato: os caras só falam “em nome do povo” se for para atacar o Lula.
      E convenhamos camarada: o governo Lula pode ter mil defeitos, mas não é pior do que ter demotucanalhas no Planalto. Temos aqui no Piratini e o resultado é esse que vemos…

  2. Claro que não caímos na hipocrisia dos “DemoTucanos”, porém, isso não pode servir para cair na hipocrisia do lulismo-petismo que atualmente se limita a disputar o controle do aparelho de Estado com elles! A polarização do “seis” com o “meia-dúzia” é tudo o que a classe dominante brasileira quer ver emplacar!

    Eu não acho o governo Lula nem melhor e nem pior do que os DemoTucanos! Pra mim são iguais!
    Lula manteve a mesma política econômica neoliberal excludente; privatizou bancos, estradas e metade da Amazônia; não fez a Reforma Agrária; fez a Reforma neoliberal da Previdência; colabora com o imperialismo no Haiti; etc!
    É corrupto igual ao desgoverno Yeda e lembro ao camarada que o nefasto acordo com o Banco Mundial que tem norteado a (indi)gestão do desgoverno Yeda foi apoiado pelo PT gaúcho!

    Abraços!

    • É fato: hoje em dia o PT realmente se limita a disputar o controle do Estado com os demotucanalhas. A diferença entre eles é mínima, assim como entre republicanos e democratas nos EUA.
      O fato da desigualdade ter caído – mesmo que muito pouco – já me faz achar o Lula menos pior do que seus antecessores demotucanalhas. Mas que está muito aquém do que todos desejamos, realmente está!

      Ah, aproveito para deixar os parabéns ao camarada. Não é pela demissão do Tite, e sim, por ter sido o autor do comentário nº 2000 do blog!

  3. Fico feliz por ter sido o responsável pelo comentário de nº 2000 mas aceitaria tb se me parabenizasse pela tardia queda do “Entregador de Tudo”! KKK

    Alerto ao camarada que com relação ao fato da desigualdade supostamente ter caído, que houve alteração na forma de interpretação dos dados, por isso aquela balela de que a classe média virou maioria no país (tsc!)! Vou procurar o link com a notícia e te envio!

    Alerto também o perigo da tese do “mal menor”. Há pouco tempo atrás li um livro de um renomado empresário gaúcho que defendia a reforma trabalhista e ele dizia que o Lula era o cara ideal para fazer tal reforma pq exatamente por ser oriundo da classe trabalhadora e de gozar de prestígio junto a mesma, q a classe trabalhadora ñ enxergaria maldade na reforma pq confiaria nele!

    • Faz uns dois anos, um professor da faculdade fez um comentário sobre o governo Lula, que ilustra bem aquele meu post lá do começo do ano, sobre o conservador e o reacionário (direitoso), ambos pertencentes ao mesmo espectro político – ou seja, a direita.
      Disse ele que o conservador não tem do que reclamar no governo Lula: embora haja greves, elas são mais fracas do que sob FHC (tanto que a última greve de professores na UFRGS foi em 2001), as mobilizações sociais não são tão firmes justamente por haver confiança no presidente, o que não acontecia quando era o PSDB no governo.
      Já as críticas ao governo que não vêm da esquerda, vêm da classe mérdia, o setor mais reacionário da sociedade, que tem horror a qualquer sinal de ajuda governamental aos mais pobres: afinal, a classe mérdia crê piamente na balela de que “o trabalho dignifica o homem”, logo, política social é “ajudar vagabundo”.

      Bom, aguardo o link!

  4. Camarada, reproduzo aqui então o que eu já tinha escrito em agosto de 2008 sobre a “redução” da pobreza no Brasil:

    “Você sabe como a pobreza foi reduzida no Brasil?

    A mídia e o governo estão alardeando que a pobreza no Brasil foi reduzida e que agora mais da metade da população brasileira é de classe média.

    Se basearam no levantamento do IPEA e nos dados do IBGE que considera “como pobres pessoas em famílias com renda mensal per capita de até meio salário mínimo (R$ 207,50).”[*]
    É isso mesmo! Agora se, em uma família com duas pessoas, uma trabalha e ganha R$ 500 de salário já não é mais considerada pobre pois a renda per capita é de R$ 250. Pode?

    O Governo e a mídia invocam a máxima na qual “se você não pode ajustar suas teoria aos fatos, ajuste os fatos às suas teorias.” Troque teoria por metodologia na frase para ficar mais claro.

    Depois farsas como essas são utilizadas por organismos internacionais como FMI e Banco Mundial como exemplos a ser seguidos por outros países como já ocorreu com a Argentina no passado.”

    [*] http://www1.folha.uol.com.br/folha/dinheiro/ult91u429853.shtml

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s