Tri porcaria

Quando anunciaram a implantação do sistema “TRI” (Transporte Integrado) nos ônibus de Porto Alegre, disseram que seria “tri moderno, tri fácil, tri prático”. Mas até agora, está “tri ruim”.

Deslocaram a roleta mais para a frente nos ônibus, o que gerou dois sérios problemas:

  1. Poucos lugares na frente para os idosos, para estimulá-los a passarem a roleta e utilizarem lugares “reservados” no meio (!) do ônibus. Além da maioria dos passageiros não respeitar os lugares destinados aos idosos, ainda há o perigo deles caírem devido aos solavancos do ônibus quando se dirigem à porta traseira para descer;
  2. O leitor do cartão é lento, o que gera filas mais demoradas. Como a roleta está mais perto da porta, as filas se estendem para fora do ônibus, atrasando a viagem.

Não é nada “prático” também, porque só conseguimos saber o saldo do cartão passando na roleta – correndo o risco de embarcar no ônibus sem saber que o cartão não tem mais créditos. Não há sequer um sistema para se consultar o saldo pela internet, mediante fornecimento do número do cartão e senha – como se faz em sistemas de “home banking”.

E agora, mais essa. Quem tem o cartão de passagem escolar, precisa renová-lo.

Ano passado imaginei que, como o troço é “tri prático”, entre um semestre e outro só seria preciso levar o comprovante de matrícula ao posto (o que era feito entre o 1º e o 2º semestre de cada ano, para alunos de cursos de matrícula semestral), no momento de recarregar o cartão. Afinal, não é preciso fazer uma carteira nova a cada ano, como acontecia antes do “TRI”.

Mera ilusão… A burocracia é quase a mesma de quem faz o cartão pela primeira vez. Levar documentos, cópias etc., e aguardar três dias úteis, segundo o DCE da UFRGS.

Ah, e tem taxa (a mesma para fazer ou renovar o cartão), que varia de acordo com a entidade onde se vai fazer a renovação. Ano passado, havia a justificativa de que era preciso confeccionar o cartão, mas agora, para renovar, é apenas burocracia. E ainda é preciso pagar por isso.

E nosso transporte coletivo piora a cada dia, com direito a baratas em ônibus da Carris. Com um sistema dessa qualidade, nós é que deveríamos receber dinheiro a cada vez que entrássemos em um ônibus de Porto Alegre.

Anúncios

12 comentários sobre “Tri porcaria

  1. Ônibus é coisa pra pobre – que se explodam!

    Aqui em Curitiba a coisa é tão feia que outro dia uma pessoa morreu ao ser jogada pra fora do ônibus. Pelo excesso de lotação, o peso das pessoas pressionou a porta, que se abriu.

    E segue um número cada vez maior de pessoas tentando usar carros para se locomover. Tem uma hora que eles não cabem mais nas ruas…

  2. Algo assim em Curitiba é algo que deveria chamar a atenção, visto que seu sistema de ônibus é considerado exemplar.
    Lembro que muito se comparava Curitiba e Porto Alegre quanto aos ônibus, principalmente quando o PT governava Porto Alegre. Um amigo meu, que não era petista e morava em Curitiba dizia que o sistema era muito bom, mas os ônibus em si não – os de Porto Alegre eram melhores.
    Hoje em dia, acredito que Curitiba seja melhor em termos de sistema – que eu saiba, há integração, pagamento de uma passagem mesmo que seja preciso pegar dois ônibus (peço ao André que me corrija se eu estiver enganado), bem diferente do “TRI” onde se paga uma passagem e meia, isso se o passageiro tiver sorte de pegar o segundo ônibus até trinta minutos depois de passar a roleta do primeiro. Mas em termos de qualidade dos veículos, eu precisaria ver para poder comparar com Porto Alegre.
    E assim, cada vez mais gente quer só andar de carro. Em Porto Alegre, nem o verão nos salvou das tranqueiras. E agora o ano vai realmente começar…

    • Rodrigo, desculpe-me voltar aqui tão tarde, não vi teu comentário em tempo.

      Realmente temos aqui um sistema integrado, onde você paga apenas uma passagem e pega quantos ônibus precisar, desde que o faça dentro dos terminais ou estações-tubo integrados ao sistema. Este sistema é o que sofre de superlotação, e não há aumento suficiente do número de ônibus nas linhas, porque a prefeitura remunera as empresas por kilômetro rodado. Também estão deixando a coisa superlotar para propagandearem um metrô esdrúxulo que nunca chega, anunciado desde que eu sou criancinha.

      Os ônibus que não circulam pelo sistema integrado são mais confortáveis e menos lotados. Mas vão apenas do bairro (geralmente bairros mais centrais) ao centro, e paga-se uma passagem para cada ônibus que se toma.

      Comparando com Rio de Janeiro, São Paulo ou Belo Horizonte, onde já usei transporte coletivo e posso comparar, o daqui é uma merda, não serve de referência pra ninguém.

      • Hum… Interessante saber disso, André.
        Hoje um vereador daqui, que se considera um “iluminado defensor do progresso”, citou em um artigo o sistema de ônibus de Curitiba, elogiando!
        Falam tão bem, mas não perguntam o que acham os moradores de Curitiba, que de fato usam o sistema – em dias de semana, para irem trabalhar, não para fazer passeios no fim-de-semana. Sábado e domingo, boa parte das linhas de ônibus de Porto Alegre é uma beleza, pela diminuição do número de passageiros (exceto os que passam nos estádios quando tem jogo). Mas a qualidade do sistema se vê durante a semana, naqueles horários complicados.

  3. Acabei de mandar um e-mail para o sistema TRI para reclamar dessa taxa. Considero que com um sistema “moderno” eu poderia ir até lá e simplesmente levar meu comprovante de matrícula, como se faz no meio do ano. Mas eis que tenhop que pagar nove reais para colarem um adesivo no meu cartão!

    Minha decepção é ainda maior pois fui visitar minha irmã na China onde também utilizam cartão para pegar o ônibus… Que você pode recarregar no terminal do trem inclusive, ou em máquinas. O leitor é extremamente rápido e o onibus custa 40 centavos de yuan, 13 centavos de real…
    Nada explica o atraso do Brasil, sinceramente…

  4. Bah e pior é que eu retirei o meu hoje e me surgiu uma questão.
    Se eu saio da aula pago a passagem de volta como estudante, mas eu faço estágio e logo pego o outro ônibus (só que a empresa da uma recarga de passagem normal) eu receberei o desconto no segundo ônibus???

    • Samanta, não tenho como te dar uma resposta com 100% de certeza, mas com 95% sim: provavelmente não receberás desconto no segundo ônibus…

  5. porra do caralho nao da pra ver saldo do cartao na internet ki bu…. quem inventou essa merda. se nao tem como ver o saldo antes de embarcar no banzu pagar vale nao eras foda

  6. Sou de Fortaleza e estou aqui em Porto Alegre a pouco tempo. Posso dizer que o sistema de transporte de lá é bem melhor que o daqui. Primeiro pq as “carteiras de estudante” nem precisam ter créditos, pode-se pagar meia passagem apenas apresentando. Se quiser créditos na carteira, é só carregar em algum terminal de integração. Porto Alegre não tem estes terminais, que lá são 7, você pode descer do ônibus e entrar em outro qualquer tendo várias opções, assim dá pra ir de qualquer ponto a qualquer ponto da cidade. E se você tem créditos na carteira pode fazer a “integração temporal” que é descer do ônibus em qualquer ponto e tem até meia hora pra pegar outro sem pagar NADA! Ainda tem mais, se você está regularmente matriculado na faculdade o recadastramento é feito automaticamente, minha carteira é de 2007 e não precisei recadastrar. Alem disso tudo a passagem custa R$ 1,80 inteira e R$ 0,90 meia! E a carteira de estudante é aceita todos os dias e horarios da semana inclusive domingo( todo domingo a passagem em fortaleza é mais barata ainda custa 1,20 inteira e 0,60 meia). A unica vantagem de Poa são os ônibus mais novos e com a porta de descar mais baixa evitando as escadas. Mas isso não compensa o preço da passagem.

  7. É realmente uma porcaria nosso transporte coletivo, e esse tri é tudo isso que o Rodrigo Cardia falou. Essa da taxa para estudante acho um absurdo também, quando fiquei sabendo me neguei a renovar o meu. Que eu saiba o conceito de taxa é uma contraprestação de um serviço oferecido, eles não fazem o serviço deles de integrarem a informação das faculdades com seu sistema, nós é que temos que ir lá fazer e provar. No mundo globalizado em que vivemos isso é demais ultrapassado.
    Outros aspectos péssimos também são o valor da passagem normal fico imaginando o pessoal que recebe um salário mínimo e não recebe passagem, como faz para viver imaginem se pegarem 1 bus (sendo humilde, pq na maioria moram longe do trabalho), em 20 dias trabalhados no mês já são R$98,00 um transporte de pobre que utiliza no mínimo 1/5 do salário deles. Além disso por esse valor absurdo trabalhadores tem que passar um desconforto na ida e vinda do trabalho com onibus mais que lotados, sem lugar para sentar, fedidos, suados vão se esfregando que nem sardinha na lata, e além disso tudo sem segurança nenhuma, eu mesma já presenciei 4 assaltos a mão armada no mesmo bus em UMA semana, o mesmo cara para piorar. A sem contar em dia de chuva que poucos onibus tem ar, então ficam de janelas fechadas, lotado e todo mundo fedendo a cachorro molhado. Aumentam todo ano e não melhoram em nada, como se já não ganhassem o suficiente. Nosso transporte coletivo é humilhante e demonstra toda submissão do nosso povo em relação a essa vergonhosa administração de nossos ELEITOS. E só mais um péssimo aspecto da vida do brasileiro

  8. realmente este tri é uma ?porque?para saber do saldo corre o risco do cobrador mandar descer é uma loucura

Os comentários estão desativados.