10 teses sobre o Holocausto e o Revisionismo

  1. Houve um plano nazista para exterminar todos os judeus que habitavam territórios ocupados pela Alemanha ou pelos seus aliados;
  2. O plano de extermínio foi criado pelo próprio Hitler que o anunciou conjuntamente com outros dirigentes nazistas;
  3. Tanto Hitler como outros dirigentes nazistas foram informados do desenvolvimento do processo de extermínio dos judeus;
  4. O extermínio dos judeus realizou-se, entre outros meios, através de maus-tratos, trabalhos forçados, experiências médicas, fuzilamentos massivos, camionetas com gás e câmaras de gás;
  5. A imensa maioria dos judeus assassinados eram civis inocentes e não tinham relação alguma com tarefas de espionagem ou guerrilha;
  6. O número total de judeus assassinados pelos nazistas foi próximo aos seis milhões. Destes, aproximadamente, um milhão eram crianças;
  7. O Estado de Israel recebeu pagamento em função dos gastos de assentamentos dos sobreviventes da tragédia, e não como indenização pelo número de vítimas do Holocausto;
  8. Pelas suas próprias características, e embora a história da humanidade possua abundantes testemunhos de barbárie e brutalidade, o Holocausto constitui um exemplo excepcional de degradação sem precedentes;
  9. A literatura revisionista, carente da mínima qualidade científica, constitui fundamentalmente um instrumento de propaganda de ideologias anti-semitas, neonazistas e neofascistas, cujas únicas bases reais são a ignorância da documentação histórica, a má fé e o interesse por facilitar, concretamente, o caminho do poder a essas cosmovisões;
  10. A finalidade fundamental do revisionismo é apagar das mentes a lembrança do Holocausto – associado aos horrores do nazismo e, em menor medida, de outros regimes fascistas – para assim facilitar o alcance do poder político às formações com essas orientações ideológicas.

Fonte: VIDAL, César. La revisión del Holocausto. Madrid: Anaya & Mario Muchnik, 1994.

O material acima foi distribuído na aula de História Contemporânea, e o “pirateio” aqui por sua importância. Os grifos são meus.

Anúncios

5 comentários sobre “10 teses sobre o Holocausto e o Revisionismo

  1. O holocausto é o evento mais documentado da historia da humanidade.

    Negar o holocausto tem duas naturezas, isto conforme a posição de quem nega.

    1 – Incaulto e tolo, por aqueles que acreditam nos hipócritas “revisionistas”.

    2 – Cara-de-pau e má fé, pelos próprios autores do material “revisionista”.

    O problema é que nem mesmo os autores do revisionismo acreditam no que escrevem.

    Analizem com cuidado:

    Seria possível que instituições bancarias e o governo alemão viessem a indenizar sobreviventes do nazismo ou parentes de vítimas fictícias, em tão larga escala?

    Seria possivel que tantos oficiais da SS viessem a confessar tais crimes, narrando os detalhes dos crimes, tudo a partir de uma abstração mental?

    Seria possivel que os velhinhos sobreviventes após tantos anos, em todos os lugares do mundo onde se encontram estivessem todos combinados em conjunto para sustentar uma farsa?

    Seria possivel que no Museu do Holocausto, uma pedra na qual consta uma lista com 11 milhões de nomes de vítimas, sendo nesta lista 6 milhões de vitimas com nomes judaicos, foi tudo inventado?

    Para negar isto tudo, conhecendo estes fatos a pessoa tem que ter muita cara de pau e má fé.

    Agora se a pessoa desconhece tais informações, trata-se de um tolo, que não merece ser ouvido para uma discussão.

    Abraços

  2. Pingback: Difunda esta ideia « Cão Uivador

  3. Pingback: Campanha: Não podemos esquecer o Golpe de 64!!! « Faltando Teclas

Os comentários estão desativados.