A pobreza em Porto Alegre

Via Blog do Rodrigues, do meu amigo e economista Diego Rodrigues, achei as postagens de seu colega Ricardo Martini sobre a pobreza em Porto Alegre.

Ao contrário do que muita gente pensa – em geral são pessoas que não conhecem realmente Porto Alegre, pois só andam de carro -, a capital gaúcha tem, sim, regiões paupérrimas em grande quantidade. Fala-se mais sobre as favelas do Rio de Janeiro porque elas são mais visíveis devido à geografia carioca, onde a cidade fica espremida entre o mar e as montanhas, fazendo com que existam favelas ao lado de condomínios de luxo. Aqui em Porto Alegre isto também acontece – na Zona Sul há vilas junto a bairros de classe média e alta – mas muitas delas ficam “escondidas”, de modo que só as vêem quem passa ao lado. A Vila Cruzeiro do Sul, que em geral só aparece nos jornais na página policial, não é vista por quem transita pelas avenidas Carlos Barbosa, Teresópolis ou Nonoai, importantes vias de acesso à Zona Sul que passam perto dela. Assim como a Bom Jesus não é vista tanto da Protásio Alves como da Ipiranga, que igualmente passam perto.

E as favelas porto-alegrenses não são restritas à periferia e às regiões distantes do Centro: ao lado do prédio da Justiça Federal existe a Vila Chocolatão, uma das mais pobres da cidade. Assim como há pequenas vilas na Cidade Baixa e no Menino Deus.

Ricardo Martini escreveu até agora três postagens sobre a geografia da pobreza em Porto Alegre: a primeira é uma visão geral; a segunda fala sobre a Vila Santo André, no trevo de acesso à capital gaúcha pela Avenida dos Estados; e a terceira trata das Ilhas do Guaíba, região mais pobre de Porto Alegre.

7 respostas em “A pobreza em Porto Alegre

  1. Camarada Rodrigo: basta andar no centro para tropeçar nos indigentes q estão em cada esquina do centro da capital. Neoliberalismo é isso!

  2. Pingback: Dia de Ação dos Blogs: A pobreza em Porto Alegre « Cão Uivador

  3. vcs moram bem e nao sabem! falar de uma vila ou um morrinho aquie ali nao e nada vem viver numa cidade de 8 milhoes e nao sei mais quanto expremido no rio d ejaneiro!!!vcs vivem bem pode crer!!

  4. Mudei para Porto Alegre no início de fevereiro 2009. Me surpreendi com o número de moradores de rua na cidade. Curioso também é a forma como a população enxerga a pobreza aqui e a relaciona com violência: levantando muros, cercas elétricas e fugindo das praças!! Enxerga pobre, logo se sente ameaçada!

    • Realmente, Lucimar, quando se vem de fora é mais fácil perceber aspectos da cidade que passam batidos para quem mora nela há muito tempo.
      Em relação aos moradores de rua, por exemplo, o porto-alegrense já se “acostumou”. E pensa que favelas de tamanho considerável são “exclusividade do Rio”: lá elas são mais visíveis, enquanto aqui se vê apenas algumas das que ficam em morros.
      Só por curiosidade: de qual cidade vens?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s