Os esquerdistas cegos

No dia 10 de dezembro, o Hélio Sassen Paz escreveu um ótimo post no Palanque do Blackão, sobre os atuais desafios da esquerda – inclusive recomendei a leitura. E lembrei que, quando ele citou os “esquerdistas cegos”, não tive como não pensar em muitos colegas lá da faculdade de História. São, literalmente, contra tudo e a favor de nada.

Mas este “esquerdismo” é mais “partidarista” do que ideológico. Em setembro, quando aconteceu o episódio do “baba-ovo” dos deputados de esquerda para a RBS, a Luciana Genro, do PSOL, estava incluída na turminha. Comentei sobre o assunto com uma colega que votou na Luciana ano passado, esperando que ela também ficasse indignada.

Mas, para minha surpresa negativa, ela defendeu a Luciana Genro e atacou a mim! Disse que eu era “reacionário” (!!!) demais, que a Luciana utilizava o meio – no caso, a mídia – para obter benefícios para o partido (sim, para o partido, não para uma idéia) e que a Luciana não estava errada, ou seja, que o Estado “se vê melhor” via RBS.

Não bastasse isso, lembrou que a Globo e a RBS, assim como o PSOL, atacavam o PT porque ele era um “símbolo” da corrupção (como se todos os petistas fossem corruptos), ou seja, literalmente era a favor da aliança do PSOL com a mídia corporativa. Nada diferente das alianças do PT com a direita, que deram origem ao PSOL.

Uma pena, pois apesar de não ter votado em nenhum candidato do PSOL em 2006, eu respeitava o partido.

Anúncios

3 respostas em “Os esquerdistas cegos

  1. Rodrigo,

    Assim como já tornei público tantas vezes em conversar informais com tantos amigos do peito, parentes e amigos da onça e – obviamente – também declarei em diversos posts no PALANQUE DO BLACKÃO, concordo 100% contigo: sigo votando no PT por falta de algo melhor.

    Ontem à noite, minha Lu, eu, meu cunhado e sua esposa (os únicos esquerdistas das duas famílias, diga-se de passagem) conversávamos a respeito do PT e concluímos que o partido só é respeitável e mantém princípios socialistas aqui no Rio Grande do Sul graças à tradicional corrente Democracia Socialista (DS).

    Se não fosse por isso, toda e qualquer instância político-partidária assim como as leis que regem a representatividade cidadã através da formalidade jurídica seriam absolutamete inócuas no Brasil inteiro.

    Pra conversar com os reaças manés, utilizo apenas dois argumentos muito simples (porém não simplistas):

    1) No que o atual governo prejudicou a tua qualidade de vida, a tua empregabilidade e o teu poder de compra?

    2) Não é óbvio deduzir que, se quem estiver pior do que eu melhorar, eu também irei melhorar como efeito cascata?

    []’s e boas festas,
    Hélio

  2. Duas considerações, Henrique:
    1) Ela não é minha amiga, é minha colega – aliás, agora é ex-colega, já se formou.
    2) Considerando que pelo jeito não sabes ler direito – pois no texto estava bem claro que ela era colega e não amiga – ela é mais inteligente que tu… Mas não mais do que eu, modéstia a parte.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s