Grande Murphy

Há tempos eu sou fiel seguidor de Murphy.

O descobrimento de sua Lei mudou minha vida. São vários “artigos”, mas pode-se dizer que ela se resume à frase: “se algo pode dar errado, dará”.

Certa vez, em um período de fossa, afoguei minhas mágoas num copo de cerveja. Meu amigo Diego (do blog Pensamentos do Mal) estava no bar para ouvir meus lamentos sobre um amor frustrado. Falei que “o amor é regido pela Lei de Murphy”: foi só eu começar a gostar dela, que ela começou a gostar de outro (dica: se você é mulher e procura namorado, me conquiste mesmo que eu não seja o seu tipo, que logo aparece outro cara para você!). O Diego gostou tanto da frase que pediu uma caneta emprestada ao garçom, para anotá-la no guardanapo. Ele jura que guarda até hoje aquele guardanapo.

O reconhecimento da força da Lei de Murphy fez com que eu nunca mais sofresse por amor. Pois cada paixonite é uma fossa em potencial. Toda vez que me livrei de paixões frustradas, entendi o significado da palavra “liberdade”. E aprendi a amar minha liberdade acima de tudo. Pois este amor não me deixa na fossa.

Mas eu não quero simplesmente falar de amor.

Em conversa com amigos ontem, eles achavam que era exagero eu comentar que o meu pai disse sentir “cheiro de 64”. Afinal, os tempos são outros: a Guerra Fria acabou, o Lula não é socialista, não há uma crise generalizada como em 1964, etc.

Pois bem: realmente parece exagero da minha parte escrever diversos textos “convocando à resistência”. Mas, como disse o Celso Lungaretti, não devemos subestimar a extrema-direita. Conforme o penúltimo parágrafo do texto dele, Há uma lâmina suspensa sobre nossa democracia. Poderá jamais ser acionada. Mas, melhor do que rezarmos para que não aconteça o pior, é desarmarmos o quanto antes essa guilhotina.

Assim como o fato de eu declarar amor incondicional à minha liberdade não impede que eu venha a me apaixonar (se será uma “guilhotina” só as conseqüências, felizes ou tristes, poderão dizer), o fato de poucos apoiarem um golpe não quer dizer que não haja a mínima chance dele acontecer. Não esqueçamos de Murphy.

Até porque eu também amo incondicionalmente a liberdade de expressão.

———-

Frase do dia: Se eu levasse um fora hoje e ele fosse noticiado, amanhã os jornais publicariam editoriais culpando o Lula.

Anúncios

4 comentários sobre “Grande Murphy

  1. Poderia ter identificado o tal amigo, né? Eu não iria cobrar “royalities”.

    Abraço, e vê se esquece esse negócio de “complô contra o Lula”. A Globo está com ele!

  2. Bom, agora o amigo está identificado!
    Diego: assiste os jornais da Globo e veja como ela apóia o governo.
    O próprio fato de terem filmado o Marco Aurélio Garcia já é um sinal de “imparcialidade”… Estavam com a câmera a postos só para ver se tinham uma chance de bater no governo.

  3. Já teve até Globo Reporter sobre o Lula! E o PAN foi uma invenção do governo e da Globo, e todo financiado por empresas estatais, bancado com nossos impostos para espetacularizar a política.

    Essa tua hipótese do Marco Aurélio Garcia é um vício da esquerda. Para ela, a mídia está sempre contra seus governos. É tu e o Chávez. Daqui a pouco tu vai dizer que o mensalão não existiu…

  4. Quando é que teve um Globo Repórter sobre o Lula? Deve ter sido em 2002, quando ele recém tinha sido eleito.
    Eu fui contra a realização desse Pan no Brasil, pago pelo Governo Federal. Tanto que considerei não só sinal de falta de educação, mas também de que os presentes ao Maracanã eram mal-agradecidos, o fato do Lula ter sido vaiado na abertura do Pan.
    O mensalão existiu sim. Não vou negar isso. Não pensa que eu estou preocupado em defender o Lula. Tanto que na última eleição, meu voto no 1º turno foi no Cristóvam Buarque. É que essas campanhas do tipo “Cansei” são apoiadas pelo que há de pior em nosso país. Inclusive pela mídia. A Globo e a Band não cederam espaço gratuíto porque não querem se posicionar abertamente contra o governo e perder os patrocínios das estatais (se o Lula tivesse coragem já tinha ordenado que as propagandas da Petrobras e da Caixa não passassem mais nessas emissoras). Esse tal “Cansei” se diz apolítico mas não é.
    Quando eu falo que “se levar um fora e sair no jornal, vão culpar o Lula”, é baseado no que vejo (e ouço) atualmente: tentam de tudo que é jeito pôr a culpa no Lula não só pelo acidente, mas também por todos os outros problemas do Brasil. Quando se sabe que a maioria deles são culpa não de Lula ou FHC, mas de muitos governos.
    Se minha hipótese do Marco Aurélio Garcia é “vício da esquerda”, então tua hipótese de que a Globo apóia o governo é “vício da direita”…

    Abraços (de esquerda, claro!)

Os comentários estão desativados.